Conferência de Imprensa de Alvalade | Relvado

Conferência de Imprensa de Alvalade

JJ assume luta a três e Manuel Machado prefere não falar muito.
 
Jorge Jesus (Sporting) Conferência Imprensa em fato de treino

Na habitual conferência de Imprensa após jogo, treinadores e jogadores escolhidos fizeram a sua análise ao Sporting-Nacional disputa esta segunda-feira.

  Jorge Jesus considerou a vitória do seu Sporting como muito difícil, mas satisfeito com os três pontos alcançados: "Foi difícil ganhar, perante equipa que defende bem. O objetivo foi conseguido, que era ganhar. Não traduzimos a qualidade em golos, merecíamos mais. Mas o objetivo foi conseguido."

  Sobre a posição dos leões na Liga, onde ganhou pontos ao Benfica, o técnico foi claro: "Quatro pontos de vantagem sobre o Benfica não é significativo. É melhor estar à frente do que atrás, mas há três candidatos. O Benfica é bicampeão, o FC Porto apetrechou-se com grandes jogadores. Andamos ali no meio, também a lutar pelo título."

  Inevitável a abordagem sobre a ausência de Carrillo na equipa: "Como treinador estou aqui para defender os interesses do Sporting. O que o presidente achar que é melhor para os interesses do clube, estou 100 por cento de acordo com ele. É uma decisão do presidente e tudo o que eu achar que beneficia o Sporting, estarei de acordo."

  Freddy Montero, foi o jogador leonino chamado à fala, e deixou considerou que neste jogo, "com o passar do tempo, foi tornando-se cada vez mais difícil."
 
  Sobre a sua importância na equipa, nomeadamente sempre que tem entrado, Montero tornou clara a sua posição: "Continuo a trabalhar, se tiver oportunidade de jogar vou dar o melhor de mim para ajudar. Felizmente consegui um golo que deu os três pontos à equipa."

  Manuel Machado foi mais evasivo nas palavras, mas sem ainda assim assim deixar de apontar de forma indireta, o dedo à arbitragem: "A equipa esteve muito bem defensivamente. Jogando uma hora em inferioridade, fez o que tinha de fazer, com boa organização, perante uma equipa que tem uma organização ofensiva muito difícil de bloquear. Pena é que, no plano ofensivo, a segunda vertente que tínhamos trabalhado e que tentámos nos primeiros momentos do jogo ficasse mutilada pela subtração do Sequeira.
Os árbitros, não tendo claques, têm de ser protegidos e isso inibe-me de dizer o que penso, também por carácter e princípios. Hoje foi preciso mais do que o Sporting para que o Nacional saísse vencido."

Sporting:

Comentários