Bessa será marcado por regressos | Relvado

Bessa será marcado por regressos

William Carvalho e Ewerton às ordens de Jorge Jesus.
 
William Carvalho e Ewerton (Sporting) correm nos treinos

O Boavista recebe este Sábado dia 26, a equipa do Sporting CP. Tradicionalmente uma deslocação difícil, embora com um Boavista diferente dos seus anos dourados, o maior realce do jogo vai para os regressos de alguns jogadores.

De registar os regressos à disponibilidade, dos leões William Carvalho e também de Ewerton. O primeiro recuperado de uma fratura de stress na tíbia da perna esquerda, e o brasileiro de uma rotura total do ligamento lateral interno do tornozelo.

Embora ambos disponiveis, a verdade é que ainda só têm pouco mais de uma semana de trabalho, pelo que dificilmente serão titulares. Na melhor das hipóteses, ambos ou apenas um deles poderá ter alguns minutos de jogo, conforme o desenrolar da partida.

Do lado dos anfitriãos, o Boavista vê o avançado nigeriano Uchebo, que saiu tocado da partida com a Académica, ficar disponivel para o jogo. Havia dúvidas, mas a situação desenvolveu favoravelmente e poderá defrontar o Sporting.

Sporting:

Comentários [1]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Os ratos de esgoto, é assim que se movem...

"

A armadilha chamada Gomes da Silva e a honra do visado

Palavras ocas
Foi preciso sete meses, mas a CII da Liga finalmente decidiu pronunciar-se sobre o esquema de viciação de resultados que alegadamente tinha sido proposto por Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, a Bruno de Carvalho, homónimo do Sporting. Para concluir basicamente o seguinte: não passou tudo de um mal entendido. Pausa para rir, continuemos.

Já nos habituámos a que a palavra de Bruno de Carvalho valha muito, muito pouco. Depois de ter deixado fugir a vitória frente ao Benfica em Alvalade, era preciso algo para desviar a atenções e sacudir culpas. E foi daí que surgiu aquele célebre post no Facebook em que o presidente do Sporting falou da suposta aliança para alternar campeonatos.

Sete meses foi o tempo de que a CII precisou para avaliar o sucedido. Foi o tempo suficiente para o Benfica confirmar a conquista do título, cumprir toda a pré-época e já ter a época 2015-16 em pleno andamento. Sete meses. O tempo necessário para que quase toda a gente já se tenha esquecido, que já haja novos entretenimentos na praça pública e que a decisão do CII possa sair sem o mínimo impacto mediático.

Uma vez mais, as instâncias do futebol português mostram uma precisão de timing maravilhoso. Recordemos, por exemplo, quando Jorge Jesus agrediu Luís Alberto no final de um Benfica x Nacional, em janeiro. Só a 9 de abril saiu o castigo... de 11 dias. Adivinhem em que dia acabou o castigo? No dia do Benfica x FC Porto para a Taça de Portugal.

Outro exemplo foi quando criticou o auxiliar Ricardo Santos de validar um golo em fora de jogo contra o Benfica. Jorge Jesus disse que o erro foi premeditado. Foi preciso esperar 187 dias para que a decisão sobre o castigo (de 15 dias) a Jorge Jesus saísse. Resultado: saiu durante uma pausa para jogos internacionais, o que permitiu que o então treinador do Benfica não falhasse um único jogo oficial.

Como desviar atenções

Agora, a CII da Liga decidiu divulgar o seu parecer a 21 de setembro. Precisamente no dia seguinte ao FC Porto ter derrotado o Benfica. Os portistas andam mais contentes, muitos já nem se lembram da forma como se forjou o campeão 2014-15, muitos já cederam à ideia que muitos pretendiam implementar (culpar Lopetegui pelo título ganho pelo Benfica). Que belíssimo timing para divulgar a conclusão sobre a investigação à Liga Aliança, sem dúvida. E agora até andamos entretidos com o Rui Gomes da Silva e ninguém se lembra de reagir às conclusões do CII.

Enquanto andamos num toma-lá-dá-cá com o vice do Benfica, a CII lá passa entre as gotas da chuva. Estão a fazer exatamente o que pretendiam: desviar todas as atenções da Liga Aliança. E Rui Gomes da Silva sabia que tinha que chamar a si próprio as atenções, de forma bem marcante, pois o programa em que participa, O Dia Seguinte, foi transmitido logo após a CII da Liga emitir o seu comunicado. Resultado: todos falam do Rui Gomes da Silva, mas ninguém fala da CII da Liga. Armadilha fácil e eficiente.

Agora vamos aos pareceres da CII. Bruno de Carvalho, o quase auto-proclamado profeta do futebol português que tinha as soluções para todos os podres que ele dizia existir (é como um anus, não é?), fez o que faltava: desvalorizar as palavras dele próprio. Depois de termos chegado ao ponto em que ninguém liga ao que Bruno de Carvalho diz, o próprio Bruno de Carvalho deixou de ligar ao que ele próprio diz. Depois de ter denunciado a suposta aliança proposta por Vieira... Voltou atrás.

COMUNICADO OFICIAL N.9 88/1.5-16 - LIGA

Neste caso, a questão mantém-se: como é que Luís Filipe Vieira poderia garantir que o FC Porto não voltaria a ganhar campeonatos sem implicar viciação de resultados? Bem, em 2014-15 mostrou como é possível (todas as equipas, em todas as épocas, fazem meia dúzia de jogos menos bons, mesmo quem é campeão - logo não se poderá nunca resumir o 2.º lugar do FC Porto aos pontos perdidos na Madeira ou na receção ao Benfica). Mas não deveria então a CII da Liga convidar Luís Filipe Vieira a explicar - ou desmentir - o tal alegado esquema?

Não toquem na honra do visado!

Nada disso. Pelo contrário, a CII só está preocupada que as palavras de Bruno de Carvalho pudessem ferir a honra de Luís Filipe Vieira. O presidente do Benfica esteve calado em todo o processo e nem se atreveu a abrir a boca aquando do tal post de Bruno de Carvalho. Possivelmente porque não sentiu «a sua honra visada», ou seja, não se importou que o associassem a possíveis práticas de manipulação de resultados. Ou talvez não tinha como o desmentir.

Falou-se de uma possível proposta de manipulação de resultados em 2014-15 e todos viram, ao longo da época, como o Benfica foi segurando e aumentando a sua vantagem na liderança da liga. Ainda assim, a CII nunca achou pertinente pedir a Luís Filipe Vieira um depoimento, nem o Benfica achou por bem tentar defender o seu presidente. Uma boa estratégia, pois acabou por contribuir para que a palavra de Bruno de Carvalho, uma vez mais, não valesse absolutamente nada no futebol português.

Mas para a posterioridade, fica aquela que era a verdadeira preocupação da CII: não a integridade da liga portuguesa, mas sim que a honra de Luís Filipe Vieira não fosse afetada. Ou seja, as palavras de Bruno de Carvalho teriam pertinência disciplinar se fossem ofensivas para o presidente do Benfica. Como Vieira esteve calado em todo o processo, saiu a ganhar. Assim se fez o vencedor do campeonato 2014-15.

PS: Uma nota: os regulamentos de Competições preveem castigos e punições para dirigentes/treinadores/atletas que incentivem à violência ou que coloquem em causa a integridade ou bom nome dos intervenientes. Se Rui Gomes da Silva infringiu estes dois segmentos e o FC Porto se sente, com direito, ofendido, resta avançar para uma participação às instâncias disciplinares da Liga, imediatamente, pois dois dias consecutivos de Dragão Diário já é dar demasiada atenção ao ex-ministro do PSD sem avançar para consequências disciplinares."