Selecção: Madaíl poderá sair com Scolari após Euro 2008 | Relvado

Selecção: Madaíl poderá sair com Scolari após Euro 2008

 


Selecção: Madaíl poderá sair com Scolari após Euro 2008
O Euro 2008 marcará o fim de um ciclo na Selecção portuguesa. Luiz Felipe Scolari deixa a equipa das quinas, rumo ao Chelsea, e poderá ser acompanhado por Gilberto Madaíl. O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) deverá também bater com a porta ao cabo de 12 anos no poder. Em Outubro de 2007, Madaíl admitia que «seria muito bom sair com a vitória no Euro 2008». O dirigente também já expressou que não desejaria ser ele a escolher o sucessor de Scolari, tarefa que não se adivinha fácil...




Goste-se ou não do estilo, a marca de Scolari na Selecção portuguesa é evidente ao cabo de seis anos. O treinador brasileiro não guiou ainda Portugal
a um título e tem no Euro 2008 a última oportunidade para tal, mas conduziu a equipa das quinas à final do Euro 2004 e às meias-finais do Mundial 2006
. Por muitos reparos que se lhe apontem, e por muito que ainda doam aqueles dois jogos perdidos com a Grécia no Europeu em Portugal, o sucesso terá que ser admitido.

O sucessor do "Sargentão" «vai ter uma pesada herança», afiançava Gilberto Madaíl em Maio passado, na mesma altura em que defendia a «preferência» por um treinador português para o pós-Scolari. Vários nomes despontam, mas não será fácil encontrar uma escolha que arranque unanimidade e com a mesma dose de carisma do técnico campeão do mundo com o Brasil. Talvez só José Mourinho fosse capaz de fazer esquecer, no imediato, Felipão. Esse Mourinho que Roman Abrahmovich procura fazer esquecer no Chelsea com a contratação de Scolari...


Ainda quando a saída de Scolari depois do Euro 2008 era uma mera previsão, Madaíl confessava em Abril de 2007 que esperava não ser ele a escolher o próximo seleccionador de Portugal. O dirigente admitia então que poderia não cumprir na íntegra o actual mandato, válido até 2009. «Tudo tem um princípio e um fim e só os ditadores saem por uma revolução ou com a morte... eu quero sair pelo meu pé», afiançava.

Na presidência da FPF desde 1996, depois de ter sido presidente da Mesa da Assembleia Geral da estrutura entre 1992 e 1996, Madaíl deverá aproveitar a "deixa" de Scolari para bater também com a porta. Será o assinalar do fim de um ciclo com o dirigente a considerar sobre a sua própria sucessão, em Outubro de 2007, que quem se lhe seguir terá também «uma pesada herança», denotando que «encontrará uma casa mais arrumada, um património e uma organização substancialmente diferentes».

Para Madaíl o futuro estará na UEFA, onde vem assumindo cargos de maior relevância, sendo neste momento o presidente do Comité das Competições de Selecções e um elemento do Comité Executivo.



Fotos: Lusa


Seleção:

Comentários [38]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Re: (des)INTERESSANTE

O termo «sobrepôr» é demasiado vasto para ser aplicado aqui porque se quizeres entrar por esses caminhos, então o lógico, a fundamentação e a educação são igualmente subjectivas e ninguém se deve sobrepôr a ninguém e nenhum chegaremos a um concenso do que é certo ou errado. A moderação é uma seleção qualitativa do que se diz, uma forma de educação das pessoas. Não vejo mal nenhum. Já tive comentários com moderação superior a +10 e já tive comentários apagados. E continuará a ser sempre assim. É sempre justo? Não. Mas há algo que seja? Quando tudo for justo o planeta Terra transforma-se em estrela e nós em salamandras.

Re: (des)INTERESSANTE

não estou de acordo acerca dessa subjectividade. Por mais subjectivo que seja, por mais estranha que seja a opinião, por mais escabrosa que ela seja, exige uma fundamentação para suportar a ideia. Seja ela qual fôr. A credibilidade da fundamentação torna uma ideia aceite. Eu não aceito que alguém me diga que este jogador é melhor do que aquele, com o argumento do "porque sim". Agora, se o fundamentar e me fizer ver qual o lado da sua argumentação, a justificação para fazer o seu juízo, e se tiver lógica (e a lógica só advém da inteligência), sim, comentário aceite. mesmo que seja totalmente diferente do meu.

Re: (des)INTERESSANTE

É uma boa perspectiva mas eu não concordo já que se é para falar holisticamente, então o holismo tem que servir mesmo para tudo e não apenas para um dos pólos da equação. Quando ao "porque sim", fizeste-me soltar uma pequena gargalhada interior porque me lembraste de uma pequena história deste ano. Num dos trabalhos que apresentei na faculdade, tinhamos que justificar as causas para uma determinada síndrome. E eu, como estou um pouco farto de quase todas as justificações serem idiopáticas, terminei o trabalho dizendo que blá blá acontecia porque... «Porque sim» e fui-me sentar. O meu professor cuspiu-se todo e o pessoal fartou-se de rir. Não sei se percebes a "joke" ou não já que é um tanto ou quanto um pouco "private" mas pronto... Já que "ri" sozinho então resolvi partilhar.

Re: (des)INTERESSANTE

faz-me lembrar de um caso que aconteceu no U.S.A., numa faculdade, onde um professor de uma certa cadeira faz um teste escrito aos alunos e estes ficam de boca aberta quando o seu teste tem apenas uma pergunta. Olham cada um para o seu teste e vêem todos a única pergunta do teste à frente dos seus olhos. A pergunta era meramente: "WHY?" Viam-se alunos a coçar a cabeça, outros sem saber o que escrever, outros incrédulos com o que viam à frente dos seus olhos. alguns arriscaram e pegaram no lápis e puseram-se a escrever, a escrever, a escrever, páginas e páginas, com teorias, com justificações de toda a espécie. No final, testes entregues, apenas um teste entregue se destacou. No meio de todas aquelas folhas de resposta, a deste aluno só tinha uma folha. A resposta que deu? "WHY NOT?"

Re: (des)INTERESSANTE

ahahah! Brutal! De génio mesmo... Essa é a resposta que esse professor devia querer receber.

Interessantes conversas

as vossas. Não concordo com moderações por: a)quem as faz, na maior parte dos casos, não se preocupa em tentar ser imparcial b)o "prestígio" é risível, despropositado e gerador de hirarquizações, discussões balofas... c)numa sociedade que se diz democrática como é que se vai admitir que uns tenham mais prestígio que outros, e para mais baseados em critérios não objectivos d)as classificações/apreciações não são livres e muitas vezes não se adaptam ao texto e)sempre odiei o termo "VIP" e considero o mesmo "demonstrador" de que não vivemos numa sociedade de "iguais". Por isso costumo, ironicamente, intitular-me "LIP". Aliás queria lançar as revistas "LIX", "LIP", "COROAS", "MANEL"... ... Quanto à vossa discussão àcerca de opiniões, comentários, etc acho que definitivamente acabo com a mesma: em vez de afirmarem e outros contra-afirmarem numa espiral infinita eu proponho-me a, assertivamente, dizer que a explicação é definitivamente "idiopática" (parafraseando alguém). :)))))

Re: (des)INTERESSANTE

Leio mas ignoro, e é o que a maioria faz, porque todos estamos cá pela mesma causa... falar de futebol. Claro que já me apercebi que a clubite faz-se sentir aqui, mas não creio que tenha sido isso que por exemplo tenha levado as pessoas a moderarem o teu comentário, porque tenho a certeza de que 99,9% das pessoas preferia ver Quim a titular! As palavras que usaste e que eu próprio já usei em alguns comentários meus é que não foram as mais apropriadas, daí a moderação.

yes

Agora sim uma boa noticia! Logo que não vá para lá o mamão do Cunha Leal é sempre a melhorar