José Mourinho tem um ‘complexo B’ | Relvado
Lead: 

José Mourinho queixa-se da ‘má sorte’ para fundamentar o resultado de sábado do Real Madrid-Barce

Os números resultantes dos confrontos entre Real Madrid e Barcelona, desde que o treinador português chegou à capital espanhola, que são também os números dos duelos entre Mourinho e Guardiola, ajudam a explicar a realidade: os conhecimentos e a sensibilidade táctico-estratégica do treinador luso não têm chegado, em pouco tempo, para contrariar a força do Barcelona. A força do Barcelona não é apenas o produto do somatório das qualidades dos jogadores que subiram no sábado ao Bernabéu, sob a orientação de Pep Guardiola. A força do Barcelona é a sua cultura futebolística, é uma identidade que levou muitos anos a construir e que se associa, também, à história social e política da cidade condal.

Dir-se-á: como é que essa identidade futebolística, que faz com que a equipa jogue sempre da mesma maneira, potenciando em tese o fácil aparecimento de um antídoto anti-Barça, não é contrariada e põe em causa, até, a capacidade técnico-táctica de um ‘mago do futebol’ chamado José Mourinho?

A resposta tem e não tem a ver com o próprio Mourinho.

Não tem a ver, como já observei, no plano da ‘cultura Barça’ versus ausência de uma ‘cultura Madrid’. O Barcelona joga como joga há muitos anos, mesmo quando Guardiola era atleta e não treinador. É uma ‘marca’ que foi sendo apurada ao longo dos tempos e tem agora a sua expressão máxima no conhecido tiki-taka.

O Real Madrid tentou combater a sua pouca propensão para criar raízes à base de contratações multimilionárias, que eram colocadas à disposição de treinadores nem sempre muito preparados para lidar com a realidade... Real. Até que chegou Mourinho. E Mourinho não teve tempo ainda nem para criar raízes nem para criar um ‘bilhete de identidade’ associado ao clube, a todas as equipas do clube, e naturalmente à mais representativa de todas. Sinceramente, nem sei se Mourinho estará muito disposto a isso, e tenho muitas dúvidas que o próprio clube esteja preparado para eliminar as ‘formulas instantâneas’, incapazes de vencer na actualidade o poderio do Barcelona...

A resposta à pergunta acima formulada tem a ver com Mourinho no sentido da projecção de uma espécie de ‘complexo B’ (‘B’ de Barcelona’).

É um complexo que resulta de uma obsessão de tentar não deixar nada ao acaso, nem o mais imperceptível detalhe, como foi o caso da preparação deste jogo, a partir da qual o treinador português definiu atempadamente a estratégia, a táctica e o modelo de comunicação. Empenhou-se mas voltou a falhar.

Não lhe saiu bem. Houve uma tentativa de não espicaçar nem o adversário nem as questões em redor da arbitragem (em contraste com as estratégias mais recentes que levaram o Real a tirar escasso aproveitamento da agressividade que colocara em todas as intervenções, dentro e fora dos relvados) e colocar o foco no jogo (pelo jogo), com recurso aquilo que Mourinho achou ser o melhor para a sua equipa.

E aqui tudo falhou, a partir do chamado ‘pecado original’ de Mourinho e do Real.

O Barcelona joga futebol através de uma ideia muito simples, a ideia mais genuína do futebol: ter a bola, tê-la, tê-la, tê-la, e colocá-la na baliza do adversário. Simples, não é?

Parece, mas são rotinas de muitos anos de trabalho intenso.

Para uma equipa que privilegia a posse de bola, o que fazer? Responder no sentido de roubar a posse de bola ou consentir essa posse de bola, recuando as linhas para tentar reduzir os espaços de penetração?

Mourinho há muito que entende que a melhor maneira de contrariar o Barcelona é consentir-lhe a posse de bola. Ganhou a Taça do Rei dessa maneira (com cerca de 30% de posse de bola), mas não ganhou mais nada, o que significa que provavelmente essa não é a melhor estratégia. E, nesse caso, pergunta-se: o Real Madrid tem jogadores suficientes, de qualidade, capazes de trocar a bola sem a perder, nos momentos de pressão realizados pelo adversário? Lass, Xabi Alonso e Ozil são capazes de fazer aquilo que Busquets, Xavi e Iniesta, com a ajuda de Fabregas, são capazes de operar no meio-campo, em cuja zona quase tudo se ganha ou quase tudo se perde no futebol?

Mourinho sabe que os movimentos de Messi pelos corredores centrais, mesmo em zonas de grande ‘densidade populacional’, são normalmente vitais. Para contrariar esses movimentos, Mourinho fez recuar Lass e Xabi e quase encostá-los aos centrais, pedindo a Ozil que fizesse o papel de Khedira, mas sem perder a noção da sua importância no espaço ofensivo. Nem Ozil tem pulmão para isso, nem Messi se deixou perturbar com os bloqueios posicionais feitos por Lass e Xabi Alonso.

Sempre que Mourinho tenta fechar a 'fortaleza' para proteger o seu naco de queijo da invasão daqueles ‘ratinhos do Barcelona’, gera-se a sensação de que os ratinhos aumentam o apetite para devorar o naco de queijo.

Acontece que, também em contraste, Guardiola ‘assume’ o ‘reinado de Messi’ no Barcelona. A equipa é importante, mas Messi não perde valor porque a equipa é importante. A fusão é magistral. No caso do Real, Mourinho roubou a ‘centralidade do jogo’ a Cristiano Ronaldo. Tirou-lhe protagonismo. Prendeu-o tempo de mais a uma posição lateral e Cristiano ‘saiu’ do jogo. Cristiano Ronaldo tem de sentir que lhe é conferido o papel de ‘dono do jogo’ e não foi isso que aconteceu no sábado, razão pela qual Messi brilhou e Ronaldo não.

Guardiola é o treinador certo para o Barcelona e provavelmente para mais nenhum clube do Mundo.

O desgaste de Mourinho, primeiro para se impor à ‘maquina destruidora’ (internamente) do Real, e depois para vencer o seu próprio ‘complexo B’, pode levá-lo a uma situação de exaustão. Isso não lhe retira mérito, mas coloca-o no patamar dos ‘treinadores terrenos’. Uns são melhores do que outros, mas são todos feitos de carne e osso, com inquietações, boas e más decisões. Não basta ‘ser o Mourinho’ para Fábio Coentrão resultar como... lateral direito. E cairia o Carmo e a Trindade se fosse outro treinador a patrocinar uma 'invenção' daquelas...

(Rui Santos escreve de acordo com a grafia do português pré-acordo ortográfico)

Rui Santos no Relvado 1 (fundo verde)
Taxonomia: 
Rui Santos

É o que eu digo e volto a

É o que eu digo e volto a dizer JOGAR COM GRANDES JOGADORES É FACIL !!!

A lenda de Barcelona

Raramente concordo com Rui Santos, mas desta vez subscrevo palavra por palavra. A diferença entre Real Madrid-Barceloa, Mourinho-Guardiola e Ronaldo-Messi está na filosofia do que é o futebol. O Barça é claramente uma equipa que resulta de anos de trabalho, muito antes de Messi, Xavi ou Inieste chegarem ao clube. Aliás, a escolha dos treinadores tem que ver com a filosofia do clube e esta não varia consoante a dança de cadeiras dos técnicos. Não é por Guardiola vencer que o torna melhor que Mourinho. O português provou o que tinha a provar em diferentes campeonatos enquanto Guardiola é, como disse, o treinador certo para o Barcelona e para mais nenhum outro. Não nos equivoquemos. Guardiola consegue fazer o que mais ninguém faz no Barcelona (nem quando Rikaard foi campeão europeu conseguiu esta hegemonia), mas fora dele tenho muitas dúvidas que fizesse algo sequer parecido. E é pela mesma razão que Cruyyf saiu sem nunca treinar outra equipa que não o Barcelona. Também Messi, formado e embebido nesta cultura do clube, foi elevado ao olimpo por Guardiola depois de "despachar" jogadores desalinhados do "sistema" catalão como Deco, Ronaldinho e Etoo. Com Guardiola, Messi ganhou novas funções em campo, potenciou as suas grandes qualidades e o Barcelona transformou-se numa equipa imortal. Messi é diferente de Ronaldo, mas é o "dono" e "senhor" deste Barcelona sem que deixe de ser a equipa, no seu conjunto, a grande força-matriz. Messi é exponenciado pela equipa, mas acrescenta-lhe uma qualidade tal que a torna numa das melhores da história do futebol. Na selecção Argentina Messi é o mesmo jogador, mas sem brilho que a força colectiva lhe confere na catalunha. E é por isso que Messi diz que não joga noutra equipa não no Barcelona. Tal como Guardiola. E como Cruyyf. E à conta dessa opção, as suas lendas perdurarão no tempo...

...

pois..já fui sinceramente pro barça, nos tempos em que lutava como o porto contra tudo e contra todos...desde aquela semi final com o chelsea do ovrebo que entrei em estado de choque e comecei a ver o barça com outros olhos e o que me fazem ver é que é uma equipa com um bom modelo mas que não deixa de gastar os muitos milhões que gasta o madrid o que é um bocado absurdo porque supostamente seria só cantera, mas alves, abidal, keita, villa, sanchez, mesmo o busquets que so foi para o barça com 18 anos, custam e custaram muitos milhões como o fabregas e quando se vão ver os numeros dos ultimos 5 anos gastou tanto como o madrid mesmo com ronaldo e kaka pelo meio o que é no minimo estranho...mas basta recordar etoo e ibrahimovic, e todo o historial de enterro de grandes avançados no barcelona para carregarem com o messi...para mim ter o platini e o blatter no permanente elogio e mesmo a afirmar preferências e necessidade de protecção era como ter aqui o presidente de federação portuguesa ou o da liga a ter uma preferencia por um clube, um modelo e um jogador de forma descarada e assumida aceita-se? eu acho que anda tudo um bocado vesgo, com o barça sinceramente...fui ao mónaco ver o jogo com o meu porto e mais uma vez o que vi foi que há regras diferentes para eles e para nós...o que para eles não é sequer falta para os outros é amarelo...o que eles podem fazer em campo e como actuam com o árbitro é deplorável, os berros que o mascherano, o alves,busquets dão inacreditável as boladas que o messi chutou contra nós e o iniesta...realmente vende-se o que se quer...a mim convenceu-me mais o barça de ronaldinho do que este que mastiga, mastiga, mastiga e poucas vezes é vertical...neste jogo os primeiros vinte minutos nem acertavam os passes...o madrid rematou mais 5 vezes teve 16 remates contra 11 do barça, cruzamentos para a área o madrid fez 14 o barça 7....remates enquadrados com a baliza o madrid teve 7 o barça 4...assim fala de que sr. rui santos? houve eficácia e um aponta de sorte do barça neste jogo...no ultimo segundo estava o madrid mais uma vez quase a marcar golo...e refiro-ma a factos...o barça com a cultura de posse teve 55% por cento, o madrid com futebol vertical teve 45%...foi um jogo equilibrado que se o ronaldo não falhasse as oportunidade que teve do 2-0 e do 2-2 estava ai agora a partir do mesmo jogo e por o mourinho como o rei do cosmos...que tambem não é...só é o melhor treinador do mundo que está no clube mais rico do mundo e de maior dimensão mas que não tem a melhor politica desportiva e tem um rival que se acolcho-ou muito bem...ou esquecem-se do g14 e do g-16 onde o madrid liderava a revolta contra a uefa e a fifa? e o barcelona a encher os quadors destas instituições de ex-dirigentes...vão ver o organigrama da uefa e vejam quantos ex presidentes do barça e assessores são responsáveis na uefa e fifa....a mim não me mandam areia para os olhos

Ao colo

Não há dúvida de que o Barcelona é uma excelente equipa, tem muita posse de bola, mas que foi levada ao colo na época passada, lá isso foi, sem dúvida, não houve jogo com o Real Madrid que não fosse polémico ou que não tenha acabado o jogo co 11 contra 10, isto não é uma opinião é um facto.
Por outro lado no jogo entre o Arsenal e o Barcelona para a liga dos campeões o Arsenal ganhou em casa 2-1, em Barcelona quando o jogo estava empatado 1-1, eis se não quando é expulso Robin van Persie, é só o goleador do Arsenal, e porquê? só Deus e o árbitro saberão, ele levou um 2º amarelo porque não ouviu o apito do arbitro e chutou à balisa, sempre em movimento, viu-se perfeitamente que ele não ouviu o apito, até porque é extraordinariamente difícil ouvir de longe o que quer que seja com quase 100 mil a fazer barulho, este foi o motivo para que Van Persie fosse expulso e deste modo o Barcelona já podia jogar como gosta quando não dá conta do recado, joga sempre com mais um. O Barcelona é bom, mas é vencível, parece que não terminou esta fase da liga dos campeões com o mesmo número de pontos que o Real Madrid, o que significa que não ganhou todos os jogos. É um facto.

Mourinho e 'Complexo B'

José Mourinho 'es especial'. Tem uma carreira a comprová-lo. No entanto, existem outros treinadores 'que se diferencian de lo común', ou seja são igualmente especiais. Por exemplo, o Guardiola. Mais especial do que todos e tudo é a equipa do Barcelona. Um futebol extraordinário.
A verdade é que o nosso Mourinho sofre efectivamente do ´Complexo B' porque não consegue vencer o Barcelona. Factos são factos!

O equivoco de MOURINHO

Foi um jogo de equivocos, Di MAria muito preso no auxilio ao lateral direito que era coentrão, Sérgio Ramos muito lento, Marcelo inconsequente e a mostar que a nivel tático é muito fraco e acima de tudo um meio campo demasiado macio.

Para ganhar este Barça não se pode ter equivocos, logo coentrão que até fez um jogo razoável (tem culpa nalguns lances de perigo) para quem é um lateral esquerdo adaptado e voltam a adapta-lo a direita?? isto é burrice do mourinho, com Coentrão no lugar do Marcelo e o Diarra na posição de lateral direito (que é uma posição que está habituado a fazer) dava equilibrio a defesa jogando no meio campo depois com Ozil e Xabi Alonso e Di Maria a surgir de tras para a frente sobre a meia direita (trocando com Ronaldo de tempos em tempos) Ronaldo jogando como Avançado interior esquerdo Higuain como Ponta de Lança e Benzema nas costas de Higuain para dar força ao meio campo e um homem extra na altura de atacar, o Káká é uma nulidade porque ele é de origem um segundo avançado mas no futebol espanhol os jogadores com as caracteristicas técnica e táticas dele adaptam-se muito melhor a avançados laterais, porque ele é eximio no jogo a 1 toque mas tem pouco capacidade fisica e já não tem tanta velocidade como tinha no Milan logo precisa de espaço para esplanar a sua qualidade, coisa que contra um meio campo como do Barça que pressiona em cima não é compativel, logo eu não o teria utilizado, fazia entrar sim o Khedira no inicio da segunda parte para o lugar do Di Maria ou do Benzema para dar força ao meio campo o ozil avançava para 10 o Ronaldo passava a jogar solto entre o trinco e os centrais do Barça e na frente passava a ter um Higuain e um Di Maria ou Benzema que continuaria dar a profundidade necessária à equipa mas de certa forma resguardando aqueles que iriam se desgastando mais a medida que o jogo corresse.

O Problema deste Real, ficou patente contra o Barça, faltalhe um "bicho" no meio campo, daqueles que jogam feio e que são carrancudos, faltalhes um HIERRO, porque os que lá tão são muito macios, e neste momento não vejo muitos jogadores que encaixem nesta "personagem" talvez o JAvi Garcia (mas tem pouca capacidade de passe) ou mesmo o Lampard (já está nos 30) de resto acho que o Real tem equipa para ganhar tudo, menos ao BArça, porque para se ganhar ao Barça tem que se jogar à antiga, com trincos muito vincados os defesas laterais têm de defender mais do que atacar e os números 10 têm de ser mais imaginativos, ou seja, qualquer tática "moderna" contra o Barça é igual a 0, o unico jogo que mourinho ganhou ao Barça foi a jogar ao velho estilo do Catenaccio, marcar um e ficar a espera do erro, e ai foi ampliando a sua vitória...
O Barça não é nenhum papão, mas porque insiste o Mourinho em fazer do Barça a melhor equipa do mundo, porque é isso que ele faz, quem é que se atreve a prender um Cristiano Ronaldo a uma ala e esperar que este renda.
O Barça tem uma grande equipa e todos os jogadores tem a escola do Tiki Taka, certo, mas será que não se conseguiria anular esta equipa sabendo mexer nas peças certas como de Xadrez se tratasse, eu acho que sim, porque Xavi cria a jogada Iniesta desenvolve e Messi concretiza (isto é relativo mas o principio é taxativo), logo a melhor maneira é quebrar logo na altura da criação, ou seja, reduzir o espaço a Xavi, porque o Messi decide mas quem é o motor é o Xavi, obrigar o Xavi a destruir ao inves de construir é obriga-lo a fazer algo que não lhe é natural e isso é fundamental porque obriga o jogador a ter de pensar de outra forma e com isso quebra-se o impeto, e o barça perde a ligação Xavi Iniesta no meio campo, obrigando a equipa a recuar e o Barça recuado é possivel de ser parado, mas dando a posse de bola e deixando-os recuados a trocar a bola é como se deixassem ser hipnotizados, ou seja, a bola tem de ser atacada de forma lucida e coeerente, não é deixar o barça fazer meeinho e os do real vão à vez tentar tirar a bola como se estivessem a rabia, contra o BArça é importante pressionar não quem tem a bola mas sim quem sabe tê-la no pé, neste caso há que saber pressionar o Xavi o Iniesta e o Messi, este jogadores pressionados e sem bola perdem capacidade de decidir, saiem do seu habitat são então confrontados com a realidade que é terem que jogar feio e directo para chegarem a baliza, e isso facilita a vida ao adversarios

Concordo com tudo, embora não

Concordo com tudo, embora não me atreva a atribuir a tal análise muito mais do que o seu valor teórico, pois já se sabe que "falar é mais fácil do que realmente fazer". É claro que, a resultar, seria uma fórmula muito trabalhosa, dizer o mesmo, basicamente, e por palavras muito mais simples, teria de se ser perfeito, um jogo perfeito, uma equipa perfeita, uma mentalidade perfeita, e como nem o Barça é perfeito, pois nada o é, então admito que a dita palavra seja um pouco "exagerada", mas não muito! Teria realmente de ser um jogo no limiar da perfeição, o capaz de derrubar um Barça no seu pleno (sim, porque duvido que com as suas "segundas linhas", mesmo sendo estas a geração tiki taka do futuro, jogasse da mesma forma, ou representasse ameaça de igual nível).
Quanto ao bicho, bicho era-o o Xabi Alonso no Liv e ainda nos primeiros tempos de Real, quando diziam os espanhóis que ele tinha de "esquecer" ou desabituar-se d/a brutalidade inglesa e habituar-se ao jogo espanhol. Ele fê-lo, e agora, no more "bicho".
E por fim, uma pergunta: futebol directo = feio? Meu amigo isso são opiniões, mas não vou começar aqui com o debate "Futebol Inglês vs Futebol Latino - Qual é o melhor, ou o "verdadeiro" futebol? Pessoalmente, eu sou adepto do futebol directo e alegro-me em ver equipas como o Tottenham a jogarem ainda á estilo "old fashioned". Gosto de ver um bom duelo á "Busby Babes". O impeto do futebol directo é mais forte, menos arte, mas mais bater de coração, impróprios para cardiacos os seus famosos "30 minutos iniciais". Agora feio? Hmmm

Identidades...

Claro que é extremamente complicado ganhar a este Barcelona... a cultura está lá, bem entranhada no sistema do Barcelona... desde os jogadores (há 10, 15 anos a treinar isto), até ao treinador que jogou com isto e aprendeu a treinar com isto... e "isto" é o tiki taka... O Barcelona tem uma identidade... aceita-a, assume-a e limita-se a ser fiel a si mesmo... joga assim e ponto... não se preocupa com os outros... troca de bola, troca de bola, troca de bola, ver baliza e tentar marcar... sempre e muito. A defender: quero a bola, logo tenho que pressionar e correr... Descansar!?!? Descanso com bola...
O RM não tem isso... aliás, contra o Barcelona, neste momento, ninguém tem, parece-me... as equipas preocupam-se mais em anular o Barça do que em jogar... veja-se o MU na final da CL... Obviamente, não percebo tanto de futebol como Mourinho mas, ainda assim, acho que o melhor mesmo é manter-se fiel ao "seu" sistema e jogar como tem jogado... lutar mais que o Barça, correr mais que Barça, correr melhor que o Barça e acreditar que pode ganhar... só assim se consegue...
E, claro, a sorte também é precisa mas não é só isso que ganha jogos...

SL

Continuando

o comentário anterior: Quando há dias li no jornal o que se passou no jogo Barça-Bate Barisov (não vi o jogo)
e vi que o Barça venceu por 4-0 com uma equipa que nada tem que ver, nem pouco mais ou menos com a que
apresentou em Madrid, pergunto: Então aquela miudagem não é também treinada pelo Guardiola??? Julgo
que não vale a pena tanto azedume...Cumprimentos.

Em minha

opinião que valerá como qualquer outra e nada mais que isso. A questão dos castigos, lesões ou quaisquer
outros problemas, são comuns a todas as equipas e em todas as latitudes.Ouvi há muitos anos a alguém que
muito sabia de futebol que muito mais importante do que quem joga (jogadores,embora eu admita excepções)
é a forma como se joga (equipas) logo,e até as duas vitórias com Mourinho ao leme podem justificar o "dito"..
Quanto ao Real Madrid duas questões se põem: PRIMEIRA-como afirmei quando Mourinho foi para o Real, se
não conseguir pôr aquelas "estrelas" a trabalhar como se de uma equipa pequena se tratasse (conseguido
no Inter), dificilmente ganharia algo de especial. SEGUNDA-dada a habitual forma de se trabalhar em Madrid,
contratar jogadores a torto e a direito e das mais variadas latitudes, aparentemente contrária à fidelização a um
conceito de jogo do tipo Barça, dificilmente Mourinho também conquistará algo de forma estável. Claro que é
sempre possível conquistar uma ou outra competição, pois melhor seria que tal não sucedesse com tantos
milhões gastos. Quanto ao Guardiola ter que treinar outras equipas ou o Messi jogar noutras equipas para
terem de provar o seu valor, é conversa sem pés nem cabeça, em minha modesta opinião......................................
Cumprimentos e saudações desportivas e benfiquistas.

Sorte = quantidade de factores que não controlamos

No caso do Mourinho, e mais especificamente no caso deste jogo, o factor não controlável (sorte) foram lesões/castigos que assolaram a equipa de Madrid.

E sejamos sinceros, para se chegar ao ponto de usar o Coentrão a lateral-direito é porque se está mesmo sem outra opção. Ele que é a 4ª opção para o lugar depois de Sérgio Ramos, Aberloa e Altintop.

Outro factor não controlável é o 11 inicial do adversário, que desta vez contou com um titular (Piqué) que não foi castigado por mera interpretação (incorrecta?) das leis de jogo da liga espanhola (criadas após os jogadores de Mourinho forçarem o 5ºamarelo).

Isso não é má sorte?

ps: Abstenho-me de comentar sobre jogos anteriores por falta de dados.

Mourinho tem 3 grandes complicações

Quando joga contra este Barcelona:
1º Apanha neste momento aquela que é talvez a melhor equipa de sempre a jogar futebol de todos os tempos .
2º O Barcelona pode estar até com baixa moral e a jogar (menos) bem , mas contra o Real a equipa da Capital encontra forças galvanizando-se e exponienciando os seus valores individuais...veja-se Messi que faz sempre grandes jogatanas contra este R.Madrid...por exemplo pela Argentina as vezes parece mais um...quando nestes jogos parece mais 4 ou 5.
3º Aquela estrelinha , aquele little flick como os ingleses diziam, nunca aparece...bem pelo contrário.

Mesmo assim ja ousou roubar 2 titulos ao Super-Barça nestes ultimos 2 anos, coisa que poucos se podem orgulhar.

O que falta ?
Aqui discordo do cronista...não vai ser criando um jogo igual ao do Barça, uma especie de cópia com que o R.Madrid vai conseguir ultrapassar o Barça.
Vai ter de criar a sua propria identidade , a sua propria marca , a marca R.Madrid , para isso.
Como ? Nao sei..cabe ao Mestre Mourinho investigar mais profundamente...para ja relativamente aos outros adversarios tem chegado e bastado.

Asneiras

Embora sendo "melhor" Mourinho não está ,aliás como qualquer outro, isento de cometer erros.
Neste jogo cometeu um óbvio . Colocar Coentrão a lateral direito não só enfraqueceu esse lado como perdeu a mais-valia que este representa na esquerda. Tendo Lassana Diarra desempenhado bem a função e havendo opções para o centro do terreno foi ,perdoem-me os incondicionais, uma asneira

Saudações SA

Mourinho sabe bem que é quase (im)possível vencer este Barcelona

E a historia de confrontos com o Barcelona é-lhe claramente desfavorável.
Mourinho já conseguiu ganhar ao Barcelona quando estava Inter em que foi bafejado pela sorte no jogo de Milão (jogo arbitrado por um arbitro português) em que venceu por 3-1e em que arbitragem foi muito contestada pelo Barcelona. No segundo jogo em Barcelona teve a sorte porque o arbitro anulou um golo limpo ao Barcelona ficando ainda assim o resultado em 1-0 para o Barça. Lembro-me perfeitamente de todos criticarem o Inter por por o autocarro em frente da baliza mas se calhar é a única maneira que Mourinho acha que consegue vencer o Barcelona aproveitando depois um erro deles para contra-atacar. Lembro-me perfeitamente dos comentadores dizerem que era um crime Ettou jogar como quase um defesa esquerdo e que Mourinho tinha sido o unico treinador que conseguiu por Ettou a defender e que Ettou já tinha defendido mais um ano com Mourinho que em toda a vida dele. Quando estava no Inter Mourinho disse ainda que era impossível derrotar este Barcelona porque os jogadores do campeonato italiano não tinham a intensidade de jogo que existe no futebol inglês. No único jogo que Mourinho ganhou ao Barcelona pelo Real Madrid fez um golo em contra-ataque e no prolongamento do jogo quando ganhou a taça do rei. Mourinho sabe também que em Madrid não pode admitir que é inferior ao Barcelona por muito que isso lhe custe e aos adeptos. Que me lembre só vi dois jogos em que o Barcelona teve em risco de perder contra uma equipa do nível deles e esses jogos foram contra o Chelsea de Guus Hiddink em que o treinador pôs o Bosingwa a marcar o Messi o jogo todo e que se deu bem com isso acabando por conseguir empatar em Camp Nou 0-0 e empatou em casa 1-1 com o golo do Barcelona a ser obtido nos descontos. Neste ultimo jogo o Barcelona foi claramente beneficiado com uns 4 penaltis que ficaram por marcar.

man o jogo de Milão foi limpo

man o jogo de Milão foi limpo de arbitragem ao contrário do de camp nou, ou achas normal o Motta levar vermelho da forma que levou?? com o Inter, Chelsea e Porto ele ganhou ao barça... o barça contra Inter, Real, Arsenal, Chelsea etc..... achas normal uma equipa ser levada ao colo como eles foram?? já para não falar que no jogo da 1a mão ao Inter anularam um golo válido, teria sido 4-1 não 3..... e não foram 4 penaltis contra o Chelsea foram 6... mas 4 já devia chegar para ganhar....

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.