Futebol português só perde com 'guerra' FC Porto-Benfica | Relvado
Lead: 

 

Desportivismo

Caro Rui Santos, que impacto poderá ter a excelente dem

Sub-título: 

A resposta de Rui Santos

 

Caro Manuel Albino,

O clima de grande desportivismo que marcou a final da Liga Europa entre o FC Porto e o Sp. Braga, em Dublin, pode ser considerado o modelo a seguir no futebol português.

A competição deve ser essencialmente dentro do campo: capaz, leal, agressiva (no bom sentido), envolvente.

As equipas podem jogar melhor ou pior, mas devem sempre tentar 'dar tudo', respeitando as mais elementares regras do bom-senso e do fair-play.

A indústria do futebol em Portugal tem potencialidades inexploradas.

Há um lado muito positivo nessa indústria (competências várias), mas um lado também muito negativo. E esse tem a ver, fundamentalmente, com o fraco contributo dos dirigentes desportivos. Gostam de disputar o protagonismo com jogadores e treinadores. E quase sempre não estão preparados. Não protegem a indústria. Não têm preocupações 'globais'; gerem apenas o seu quintal.

Se conseguíssemos importar parte do espírito que envolve o futebol inglês -- paixão pelo jogo, dentro e fora das quatro linhas -- seríamos um verdadeiro 'caso de estudo' do futebol mundial.

Precisaríamos de dirigentes com visão 'macro' do futebol e não com uma visão restritiva e provinciana.

É preciso procurar novos caminhos, outra forma de estar. O modelo de dirigente-eucalipto, que seca tudo à volta, está esgotado. As lideranças podem ser fortes, mas assentes na verdade. Temos um futebol em que as competências se perdem nos esquemas, nas jogadas sub-reptícias e até na falta de educação.

A final da Liga Europa pôde projectar esse espírito positivo -- em contramão com a realidade -- porque defrontaram-se dois clubes amigos presididos por dirigentes amigos. 

A amizade não tem de ser amiga da subserviência. E, no desporto, mesma que não haja amizade, deve prevalecer o respeito.

O nosso futebol não tem ganho nada -- absolutamente nada -- com o clima de crescente tensão que se instalou entre representativas 'franjas' do FC Porto e Benfica. É preciso baixar essa tensão. Urgentemente. 

Temos o 'melhor treinador do Mundo', o 'melhor jogador do Mundo' e o 'melhor empresário do Mundo', curiosamente elos de ligação de uma mesma forma de ver o futebol. Não temos nem 'o melhor dirigente do Mundo' nem 'o melhor árbitro do Mundo'. Porque será?

(Rui Santos escreve de acordo com a grafia do português pré-acordo ortográfico)

Acompanhe os artigos do Relvado no Facebook e no Twitter.

 

Rui Santos. cartão roxo
Taxonomia: 
Rui Santos

Caro Rui Santos

Não tenho pejo em atribuir culpas ao FC. Porto nalgumas quezílias do passado, mesmo sendo eu seu adepto. Foi uma opção de confronto tendo por objectivo a sua afirmação que deu bons resultados ( e títulos), mas que eu continuo a pensar que poderiam ser intentadas de outras formas. Neste caso recente a culpa maior é sem dúvida do Benfica e não vale a pena caro Rui disfarçar a coisa recorrendo a argumentos algo falaciosos a começar com a amizade entre Presidentes na final da Liga Europa quando na final da Taça de Portugal também o fair play e até o clima de festa e romaria sem incidentes prevaleceu e que me conste os Presidentes e até os adeptos não são propriamente namorados. Também não ajuda nada a sua insinuação de subserviência para além de se ter esquecido de mencionar o ponto alto da época em termos de falta de respeito (molhados e ás cegas). Penso mesmo que o início desta fase mais dura na relação FC. Porto vs Benfica teve o seu início numa personagem que lhe é particularmente cara, o Ricardo Costa. Pior que um juiz parcial, só mesmo um que seja falsamente imparcial e o Rui mais do que ninguém sabe isso. O povo (mesmo o do futebol) não é burro e quanto muito,......burro será quem assim pensa.

....

As palavras do sr. Rui Santos apesar de subtis são directas e só alguém muito ingénuo ñão entende a quem se refere.
Vamos ver uma coisa, nós podemos perspectivar o fenómeno futebolístico da forma como entendermos mas não podemos aplicar um determinado paradigma de analise quando nos convem e descartarmos quando não nos convem sob pena de primarmos ai pela Incoerência.
A verdade é que o Modelo de desenvolvimento do fenómeno futebolístico europeu assentou naquilo que o sr. Rui Santos condena: O PROVINCIANISMO o regionalismo é neste paradigma que os grandes clubes europeus se desenvolveram na representação de Regiões e cidades muitas delas ou maioria delas cidades e regiões que não são o centro dos seus países o futebol sempre foi e sempre será na sua génese desenvolvida europeia um desporto Regionalista e nunca centralista até porque esse paradgima permite as determinadas regiões cidades afirmarem-se nacional e internacionalmente e assim existir um controlo social que evite conflitos internos, etc não são aberrações de clubes Nacionais produzidos por ditaduras fechadas atrasadas da esquerda á direita ao estilo Nicolae Ceausescu,Tito ou Franco que servem de modelo de desenvolvimento para a Industria de futebol, os clubes de futebol no Mundo do futebol desenvolvido não tem de representar países,para isso existem as selecções, clubes que tentam representar o pensamento Único que tentam representar um Estado um pais não são verdadeiros clubes são parecerias Publico Privadas decandentes que pararam no tempo, Estrelas Vermelhas,Steua de Bucareste,Dínamo de Kiev,Real Madrid foram clubes que foram projectados por sistemas ditadorais clubes que apesar da sua qualidade futebolística foram clubes que foram usados e abusados pelo regime como forma de representarem Países e isso vai contra o desenvolvimento democrático de 1º mundo do futebol Moderno e do futebol Industria.
Se repararmos os Grandes clubes europeus ou 80% dos Grandes clubes europeus representam cidades e regiões que não são as capitais dos seus países,mas cidades prosperas até muito desenvolvidas industrialmente que através do futebol tentam-se projectar perante o pais e o mundo, muitas dessas cidades até nem são destinos turísticos não bonitas nem belas muitas delas apresentam até um ar cizento, mas são sem duvida o paradigma do desenvolvimento futebol a nível Macro, mas com um modelo Micro se reparáramos Grandes clubes com um modelo regionalista, bairrista ou provinciano(para algumas mentes iluminadas que me lembram os Maias):
Espanha-Barcelona(Clube regional)
Itália-Juventus(Turim);Inter e AcMilan(Milão) tudo clubes do Norte de Itália mais industrializada e desenvolvida;
Alemanha-Bayern Munique(Baviera cidade e região mais desenvolvida da Alemanha)
França- Ol.Marselha(2ª cidade de França);Ol.Lyon
Inglaterra- Liverpool(cidade do Noroeste Inglês escura cizenta industrial mas com uma mística muito especial,cidade forte culturalmente); ManUnited(a mesma coisa que disse a pouco)
O difícil é encontrar Grandes clubes europeus de capitais dos seus paises, e os que existem são clubes que representam a cidade ou região que por acaso é a capital do pais mas sem pretenções a serem a Voz Unico dos seus paises e secarem o resto como os Eucaliptos.

Ou seja, lutar contra o regionalismo no futebol é lutar contra a sua essência, tentar combater isso é combater o próprio futebol,defender o centralismo no futebol é defender uma aberração, isto para dizer o seguinte aplicando este paradigma para o plano Nacional dá para ver que o FCP aproxima-se muito mais do modelo europeu desenvolvido comum regional que o Benfica, o FCP é moderno em tudo é bem gerido em tudo tem uma massa associativa muito fiel e unida com sentido de missão enche o seu estádio não é um clube Nacional é um clube regional como qualquer clube europeu deve-o ser, o desenvolvimento do futebol portugues passa por Sp.Bragas,Guimarães, Setubais poderem-se desenvolver os clubes cidade deveriam desenvolver, os habitantes de Viseu deveriam ser do Académica de Viseu os de Setúbal do Vitoria e não do Benfica querer implantar o pensamento Único a mesma cor no pais num determinado clube eleito como o clube Nacional do Regime isso é que tem o efeito Eucalipto de secar tudo a volta isso é que tira competitividade, isso é exemplo de países fracos isolados complexados faz-me lembrar Albanias e Romenias assusta-me não gosto, no futebol portugues deve existir mais Portos, mas Bragas mais Guimarães e não Benficas como o Benfica é assente hoje em dia, enquanto o Benfica querer ser mais que um clube querer substituir-se a selecção querer dividir o pais entre Gente Boa e seria-Benfiquista Não séria de outros clubes enquanto querer basear-se por serem mais a sua Ordem deve Imperar porque são mais enquanto o Benfica disser que é Portugal dividindo o pais pois as pessoas que não são do Benfica são o quê? BieloRussos???, enquanto o Benfica controlar os Media e tentar fazer uma espécie de lavagem cerebral naas pessoas O Benfica não será um verdadeiro clube de futebol do sec.XXI da Europa desenvolvida e muito dificilmente estará no Mónaco a disputar supertaças europeias mas sim taças Eusebios enquanto o Benfica não pegar na Nave que o parou nos anos 70 muito dificilmente dará passos em frente.
Falando em melhores ou piores dirigentes eu relativo a isto so tenho uma coisa muito simples a dizer quando me aparecer um dirigente que em 30 anos vença 19 campeonatos, 2 champions,2 uefas, 2 intercontinentais,1 supertaça europeia mantendo sempre o clube dinâmico vivo e Moderno reinventando-o o sempre falamos…. Relativo a esse presidente so será elogiado em Portugal quando não estiver cá como já aconteceu com inúmeras personalidades da direita a esquerda da politica á musica, pessoas como Sá Carneiro,Álvaro Cunhal,Saramago,F.Pessoa,Aristides de Souza Mendes,Zeca Afonso pessoas Odiadas e massacradas pelos regimes amadas quando deixaram de ser uma ameaça a esse mesmo regime, os mesmos que atiram pedras a Pinto da Costa serão os mesmos que irão andar com o senhor ao colo quando este deixar de ser uma ameça, leiam os Maias lá explica o que é Nacional Saloismo..

Parabéns

Um bom texto e com uma perspectiva correcta.

Interessante e válida análise

Tocou no ponto e reforçou com argumentos.
Os meus cumprimentos.

Que palhaço

acredita mesmo naquilo que escreve? Santa paciência...

É assassino, é assassino

Mas é imprescindível na Selecção Nacional que defende com unhas e dentes. Se tivesse representado outros clubes o amigo decerto o idolatraria. Quanto à análise do Senhor Nuno Bento acho-a bastante inteligente e não é para acreditar, é para ir direitinha para a História do Futebol Português. Cumprimentos para a sua lucidez caro Nuno.

Melhor jogador e presidente...

Não sabia que o Messi é português agora...

E quanto ao melhor presidente do mundo, quando um presidente de um clube Português consegue ser o mais titulado de sempre globalmente e conseguir na era moderna do futebol, ganhar 2 champions, 2 taças uefas, 2 taças intercontinentais e uma supertaça europeia e não é considerado o melhor do mundo, só pode ser por duas razões...

Ou se é burro ou a azia é muita!

Bem escrito mas...

Temos "o dirigente com mais títulos ganhos na direcção de um clube", o que em abono da verdade, e de uma forma muito pragmática, é quase equivalente a ter "o melhor dirigente do mundo".

E eu nem sequer sou portista...

Agora é interessante observar que foi este mesmo dirigente que, no início da sua meteórica carreira, começou com um discurso de clivagem Norte Vs Sul, seguindo a cartilha motivacional de Pedroto mas potenciando-a a toda a estrutura do clube. Os resultados não foram maus de todo.

Por isso talvez seja justo observar que o futebol português perde com estas guerras, mas poder-se-ia argumentar que o clube melhor preparado para as sustentar e combater é capaz de ganhar com isso.

Pessoalmente a guerra Norte Vs Sul nunca me fez grande sentido, especialmente porque o Porto fica para sul e na mesma estrada que vai dar a Lisboa. Para mim e muitos milhares de portugueses...

O melhor dirigente do mundo..

...é Pinto da Costa, não sei qual é a dúvida.

E não percebi muito bem, qual a «forma de ver o futebol» que une Mourinho, Ronaldo e Jorge Mendes. Só se for o branco do Real..

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.