Quando é melhor ser alarve do que intelectual… | Relvado

Quando é melhor ser alarve do que intelectual…

Tenho visto que há um povo sedento de mostrar ao planeta que tem valor, que não é preguiçoso e que n
 
Portugal-Bósnia (15/11/11): 41 - Festa lusa no fim do jogo
Lusa

Nos últimos dias, descobri que sou da pior escumalha existente à face da terra. Porquê? Gosto de futebol. Dizem os intelectuais que se trata de um desporto que entroniza a estupidez e não é mais do que uma ferramenta política para desviar as atenções do que realmente importa.

Descobri que o futebol não é notícia, mas são-no todas as outras modalidades. Durante meses, ouvi dizer que os telejornais só falavam da crise e quando começaram a falar menos da crise ouvi dizer que vergonhosamente tinham deixado de falar da crise para dar destaque a essa mediocridade que é o futebol. Gostaram de recordar a palavra crise?

Foi muito bom ter descoberto tudo isto. Mas deixem-me que vos conte o que tenho visto. Vi que existe um amor tremendo a este Portugal. Existe a admiração pela arte que é o futebol por parte de todos os que sempre vibraram com este espetáculo à qual se junta a paixão pelo país. Milhares dos que hoje e nos dias dos outros jogos da seleção vão gritar, festejar, chorar (de alegria espero eu) ou entoar o Hino Nacional de mão ao peito e a plenos pulmões pouco querem saber do futebol, mas não podem deixar de puxar pelo verde da esperança, pelo vermelho do sangue dos que lutaram pela nação e pela esfera armilar também cravada na bandeira que nos lembra que temos o estatuto de pioneiros e destemidos.

Tenho visto que há um povo sedento de mostrar ao planeta que tem valor, que não é preguiçoso e que não é inferior a qualquer outra nação. E por que não começar por mostrá-lo aos alemães? Vejo que aqueles 23, que para muitos não passam de cabeças ocas com contas bancárias chorudas, são os homens em que um povo que tem 10 milhões de representantes neste pedaço de terra à beira mar plantado e muitos mais espalhados pelo globo confia para poder ter uma alegria.

Este é o mesmo povo que vibrou com as corridas de Carlos Lopes, Fernanda Ribeiro, Rosa Mota, Rui Silva, com os combates do Nuno Delgado, com a pedalada do Sérgio Paulinho ou com os saltos do Nelson Évora (modalidades, pois é, e desculpem-me todos os outros medalhados olímpicos não mencionados). Muitas vezes, não é preciso gostar dos desportos que os nossos atletas praticam para dar um apoio verdadeiro. Em troca, gostamos que a bandeira de Portugal seja erguida para todo o mundo pelos melhores motivos.

Perdoem-me os intelectuais, mas queria também lembrar que muitos destes alarves apreciadores do futebol também sentiram orgulho no reconhecimento do fado, esse estilo musical tão seleto, como Património Imaterial da Humanidade. Todos queremos o nome de Portugal elevado ao máximo. Todos precisamos de alegrias. Nem todos gostamos de futebol, mas todos sentimos o peso das palavras do nosso Hino ou do significado da nossa bandeira. Sé é preciso o futebol para despertar em nós o mais profundo sentimento pela nação, então deixem-nos desfrutar deste desporto seja por uma ou três semanas. Depois, tudo regressa à normalidade, mas poderei dizer com orgulho que durante esse período fugi à monotonia ou pasmaceira da intelectualidade que é a merda da crise.

Força seleção! Força meu país! Força Portugal!

Seleção:

Comentários [3]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Ser patriota caro srº dragon

Não é a seleção , e não se preocupara com a crise .
Ser patriota é precisamente o contrario , depois sim poderá vir o futebol , para abalara sua pasmaceira , terá de lutar por contestar quem nos governa ser lutador e solidário não ir para as esplanadas esperar pela seleção , mas sim por todos os que se juntam para lutar por portugal na hora de votar ser lidér e promover a união de todos para que se não vote , quem usa o futebol para se elevar e ter orgulho do seu pais estando ele na pura miséria , não pode esperar que seja a europa a pagar o que o srº defende fado futebol e diversão,, estou sedento de justiça , estou farto de ser roubado , tenho sede da igualdade,, agora de futebol estou é cançado

...

obrigado...excelente perspectiva...a que se deveria ter e manter na abordagem ao futebol e ao desporto...penso que esta carta sim, teria bem mais sentido ler á selecção, ainda para mais com todo o ambiente que se gerou á volta, de mesquinhez e ingratidão...excelente artigo em todas as perspectivas...

Do melhor que já li por aqui.

Do melhor que já li por aqui. Não constasse no artigo uma determinada palavra, e teria lugar na secção de opinião de qualquer diário nacional.

Parabéns pela criação, e continue a escrever desta forma.