Jorge Costa anuncia retirada do futebol | Relvado

Jorge Costa anuncia retirada do futebol

 

No adeus do "Bicho" aos relvados contam-se no seu currículo 306 jogos na Primeira Liga portuguesa, 8 títulos de campeão nacional, 5 Taças de Portugal e 8 Supertaças, uma Liga dos Campeões Europeus, uma Taça UEFA, uma Taça Intercontinental e ainda o título mundial de sub-20 conquistado com a Selecção em 1991.Susana Valente

FC Porto:

Comentários [10]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

até..

daqui a bocado, tira o curso de treinadores e anda treinar o porto, precisamos da tua raça do teu amor á camisola.. ETERNO BICO E CAPITÃO!!!

CAPITÂO

MErece um El doRado....

Obrigado Capitão

És uma referência para mim. Um ídolo.

Ñ existem definições....

para caracterizar quiçá o + mediatico senhor, atleta e responsavel da braçadeira de CAPITÃO do clube q tantas alegrias me deu juntamente com ele. Q as camadas jovens de qualquer clube vejam o Jorge e a sua carreira como exemplo! Obrigado Jorge, mas mesmo assim sei q ñ andarás muito afastado de terrenos q tanto conheces. Assim é o carisma no Dragão!

Obrigado Jorge Costa

Um dos grandes impulsionadores da mística do FCP no balneário, e um grande capitão em campo! Obreiro indispensável destes anos de ouro vividos pelo FCP. O meu muito obrigado por tudo!

Jorge Costa, o Capitão.

Para se chegar a ter o CARISMA deste jogador, é preciso ser GRANDE jogador, grande LÍDER, ter um AMOR à causa muito forte, ser um PATRÃO para a equipa e ter uma ENTREGA total. Para além disto é preciso ser-se um VENCEDOR-nato, para se chegar ao nível deste grande CAPITÃO portista. Não é para todos, só mesmo para alguns, poucos, no futebol mundial. Obrigado Jorge Costa, obrigado Capitão.

O nome na minha camisola

-nt-

OBRIGADO Bicho!!

Continuarás a ser um símbolo do FCP, e foste um digno capitão e líder dentro do campo! Houve tempos em q o clube não te mereceu mas ainda assim acredito que estarás de volta ao NOSSO FCP dentro de muito em breve...até já!! Ao (re)ver ontem as imagens da tua carreira de dragão ao peito, percebi q dificilmente voltaremos a ter alguém em campo q sente o clube como nós q estamos nas bancadas a apoiar faça chuva faça sol... Obrigado pelo teu PORTISMO!!

Marcou uma época

Apesar de eu ser Sportinguista, Jorge Costa foi um jogador que sempre admirei, não pelas suas qualidades técnicas ou futebolísticas, mas pela total entrega, disponibilidade e raça sempre evidenciada em campo (por vezes com alguns excessos é certo) em prol do su clube do coração. Foi um dos últimos jogadores com "amor à camisola", uma espécie em vias de extinção. Ficou marcado negativamente com o episódio da braçadeira atirada para o relvado no tempo de Octávio Machado mas depois, Mourinho soube recuperá-lo e foi uma peça fundamental nas conquistas europeias do FCP de Mourinho. Penso que fez mal em não acabar a carreira no FCP e preferir jogar num clube mais modesto (St.Liège), como foi também o caso de Sá Pinto, um jogador com características e feitio idêntico, neste caso ao serviço do Sporting C.Portugal.

O adeus do 'Bicho'

Segundo o site sportugal podem ler mais coisas em relação a este artigo mas fiz um copy paste do artigo e assim podem ver aqui :) "Não esperava evoluir tanto com Mourinho" Jorge Costa anunciou, oficialmente, na noite desta quinta-feira o seu adeus aos relvados como jogador de futebol, em entrevista à RTPN, conduzida pelo ex-internacional português Paulo Sousa. Um adeus depois de ter vencido tudo o que havia para ganhar, a nível de clubes. Penafiel, Marítimo, Charlton e Standard Liège foram os únicos emblemas que Jorge Costa representou numa carreira marcada, indelevelmente, pela dedicação à causa azul e branca. O antigo capitão do FC Porto reconheceu que teve “muitos momentos-chave” na sua carreira, sendo que os que mais o marcaram foi “o convite para ingressar no FC Porto depois de ter sido observado por parte de Costa Soares”. Outro dos momentos que Jorge Costa recorda com mais carinho foi a “passagem das camadas jovens para os seniores”. “Sinto-me realizado”, confessou. Ainda assim, o grande destaque do central, durante a entrevista, foi José Mourinho. “Não esperava aprender e evoluir tanto, aos 30 anos, com um treinador como o fiz com Mourinho. Fiz coisas com ele que nunca tinha feito na minha vida. No treino e no tratamento humano. Mourinho considerava-me um líder natural do FC Porto”, revelou. ”Ele fazia-nos coisas… o Mourinho em termos de treino a preparar um jogo, nenhum jogador ficava endividado. Com três, quatro semanas de antecedência dizia-me que eu ia estar castigado em determinado jogo e que eu, nesse fim-de-semana, devia pegar na família e gozar as folgas. Quando um indivíduo diz isto temos que morrer em campo por esse indivíduo. E ele fazia isso com todos”, sublinhou. A sapiência táctica do actual técnico do Chelsea também é elogiada pelo ex-futebolista: “Os princípios mantinham-se em Alvalade, no Dragão, na Luz, em Manchester, em todo o lado, nada mudava. Há que dar algum relevo a isso, mais a mais quando nenhuma equipa portuguesa fazia isso.” Futebol, a paixão Depois sim, Jorge Costa anunciou o que já se sabia e ainda deu a conhecer os seus projectos para o futuro, sem especificar que tipo de função tem em mente. ”Não vou continuar a jogar futebol, desejo que o meu futuro passe pelo futebol. Nesta fase quero aprender, ver jogos, falar com pessoas do futebol, porque estou convencido de que o meu futuro vai passar pelo futebol. É a minha paixão, a carreira de jogador tem um fim, mas a paixão continua. Irei voltar e abraçar um projecto e uma posição dentro do futebol que me dê satisfação, que é aquilo que gosto de fazer”, deu a conhecer. Penafiel, um ano de sofrimento Quando passou a sénior, Jorge Costa foi emprestado ao Penafiel. Uma época que serviu para o homem e para o jogador aprender em sofrimento. ”Saí de casa dos meus pais, tornei-me mais independente, mas tinha ordenados em atraso, mais dificuldades em jogar. Cresci muito e como jogador e como ser humano. Tive que aprender a poupar e a luta”, considerou. A finalizar, quando questionado por Paulo Sousa sobre os treinadores que mais o marcaram para além de Mourinho, Jorge Costa lembrou-se de um treinador comum ao seu interlocutor. ”Tive a felicidade de apanhar o Professor Carlos Queirós e o Professor Nelo Vingada. Eles foram fundamentais nos ensinamentos tácticos e na explicação das zonas do campo que um jogador deve pisar. Todos os treinadores me marcaram, nem todos pela positiva”, concluiu.