Faz hoje 15 anos da chegada de Madjer ao Porto | Relvado

Faz hoje 15 anos da chegada de Madjer ao Porto

 

Dia 8 de Setembro, faz hoje 15 anos que este fabuloso - e irreverente jogador - chegou ao Porto. Veio da 2ª divisão francesa e ajudou a escrever algumas das mais emblemáticas páginas deste clube. O golo em Viena, o chapéu de Tóquio... Brilhante mesmo!

O jornal i traz uma (mais uma) incrível entrevista com ele, a ler e reler. Foi um dos estrangeiros mais importantes do FCP, acima de Cubillas e Jardel. Que memórias guardam dele?

 

 

FC Porto:

Comentários [15]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Um jogador de outra galáxia!

Realmente o autor do artigo fez mal as contas! São 25 e não 15 anos mas isso pouco importa!

Lembro-me bem, priivilégios da idade, do primeiro jogo feito por Madjer no FC Porto! Foi em Belém, contra o Belenenses, e o argelino deixou toda a gente deslumbrada com a sua capacidade técnica! Era um tempo em que os jogos não eram transmitidos em directo e este realizou-se, como era hábito, num domingo à tarde! Mesmo sem transmissão, à noite, no Domingo Desportivo, no fim do resumo do jogo, a RTP mostrou uma entrevista ao Madjer onde ele, em francês,  agradecia ter sido muito bem tratado pelo departamento médico e dizia que ainda estava longe do melhor! Toda a gente, imprensa incluída, tinha entretanto ficado rendida à sua tremenda capacidade técnica!

 

Importa recordar que o Rabah Madjer tinha-se notabilizado no Mundial de 82, em Espanha, quando liderou a sua selecção da Argélia a um surpreendente triunfo sobre a todo poderosa Alemanha. Depois, como tantos outros jogadores do seu país, emigrou para França, para o Racing de Paris. As coisas correram mal, Madjer nunca se adaptou e o Racing caiu para a 2ª Divisão. Foi lá que o Porto o foi contratar e o argelino era então suplente daquela formação francesa!

 

Mal chegou ao Porto, sob o comando desse enorme expert do futebol português chamado Artur Jorge, com quem teve sempre uma relação difícil, mas que o soube aproveitar ao máximo,  Rabah Madjer desatou a jogar futebol de sonho  que culminou naquela célebre final de Viena! Tantas vezes ao longo da minha vida recordo aquele jogo em que, sentado atrás da baliza que o Bayern defendia na segunda metade, vi Madjer receber o passe de Juary, de costas para a baliza e com  o Pfluggler por trás pronto a cair-lhe em cima, e como ele, fez o golo com o calcanhar que significava virar o jogo mas também uma machadada inacreditável no orgulho dos germânicos que jamais tinham imaginado algo assim! E como, depois de ter estado fora a receber assistência, passados apenas dois minutos, entrou em campo e recebeu um passe longo do Celso. Correu pela ponta esquerda, sentou o lateral direito, o Winkelloffer, e cruzou por cima do alcance do Jean-Marie Pfaff, o belga que defendia as redes do Bayern, Quando fez o cruzamento já eu e os que estavam comigo tínhamos percebido que o Juary, que vinha solto em grande corrida, ia fazer o golo! Por isso, quando finalmente ele tocou a bola para a baliza já estávamos aos saltos a gritar golo! E a emoção é tanta que ainda hoje, passados  23 anos, as lágrimas teimosas aparecem nos meus olhos tal como nesse dia 27 de Maio de 1987 no Prater!

 

Há só um outro momento com o Madjer que queria aqui recordar: foi o dia em que ele subiu ao relvado das Antas, sem sequer se equipar, para se despedir dos sócios do Porto! Ia para o Valência, onde lhe efereciam muito mais dinheiro e só queria despedir-se. Quando apareceu no tunel, vestido à "civil" o estádio quase vinha abaixo com as bancadas cobertas de lenços brancos e toda a gente a gritar Mad-jer, Mad-jer!  O argelino não esperava a reacção, não aguentou a emoção, as lágrimas cobriram-lhe a face e creio que naquele instante ficou selado o regresso do magrebino aos dragões que aconteceria passado não muito tempo!

um jogador absolutamente genial o Madjer

Contribuiu para umas das mais brilhantes páginas da história do fc porto e do futebol europeu.

 

A sua magia não limitou à taça dos campeões europeus pois tb nas provas internas foi absolutamente fantástico.

 

Mesmo a nível de selecção argelina o seu prestígio era enorme, sendo eleito um dos 10 melhores jogadores africanos de sempre.

 

Já agora diga-se que é o único jogador do qual tenho um autografo, neste caso uma fotografia autografada oferecida pelo próprio há mais de 20 anos atrás!

Ai Relvado relvado...

O kiko fez mal as contas e vocês não foram capazes de o corrigir... isto vai mal... faz-me lembrar algo a que ouvi falar nos últimos dias...

ENORME MADJER

Ainda me lembro da minha tia escrever a canela, na aletria, "BIBÓ MADJER", brincadeira que começou no Natal de '87 e que ainda durou uns bons anitos até cair no esquecimento. Curiosamente, foi ela também que me ofereceu de prenda de anos, uma folha de papel que ainda hoje tenho emoldurada, os votos de parabéns escritos e assinados pela mão do homem do calcanhar de Viena. Mais tarde um pouco, tive oportunidade de o conhecer e de lhe dar um cumprimento de mão firme enquanto lhe elogiava o par de momentos que ficarão eternamente guardados nas nossas memórias. Sensivelmente na mesma altura, a imagem do seu mais importante golo assumiu menor importância que a minha fronha na mítica capa nº100 da Dragões! eheheheheh ;)

 

Portanto, muitas recordações tenho eu do camisola 8. Foi um grande talento que passou pelas Antas, com a sorte de cravar o seu nome a ouro numa das mais belas páginas da história do clube. Incrível a forma como, após 2 minutos a receber assistência pelo "camião" que o atropelou nos festejos do 1º golo, pede para entrar em campo, levanta o braço a pedir a bola que de pronto lhe chega aos pés, deixa o lateral para trás com um drible estonteante e cruza certinho para Juary voar para o golo da vitória. Arrepiante! De deixar qualquer portista de lágrima no olho...

 

MADJER, um dos raros nomes que são sinónimos de FC PORTO e se confundem com o próprio clube.

 

Abraço,

JC

A tua última consideração...

...encerra muito mais do que um mero elogio.

Enquanto benfiquista, não podia concordar mais com o que disseste (e aproveito aqui para também congratular todo e qualquer adepto portista por ter tido um jogador destes a envergar de forma solene aquela camisola)...mas olha que pode ter várias leituras.

 

Abraço.

Obrigado

A leitura que pretendo do que escrevi é que poucos foram os nomes que contribuiram de forma absolutamente decisiva para o historial do clube. Todos os jogadores daquela equipa foram fundamentais na conquista de '87, mas sem Madjer talvez tivessemos perdido essa final. Como não teríamos ganho tudo o que ganhámos em 2003 e 2004 sem Mourinho, ou nestes últimos 30 anos sem Pinto da Costa. São nomes que, sem eles, muito dificilmente teríamos o sucesso que tivémos. Madjer é um desses casos...

 

Forte abraço e obrigado pelas palavras ao Porto ;)

Grande Madjer

Um fantástico jogador,que o FC Porto conseguiu encontrar na 2ª divisão francesa.Muitos falam do golo de calcanhar,mas a jogada do segundo golo(depois de ter estado a ser assistido) é qualquer coisa de maravilhoso.

 

Um jogador ambidestro,que encantou nos relvados portugueses.Um dos grandes jogadores que passou pelo FC Porto.Vi muitos treinos do menino :).

Curva...

Campeão, o Jorge Maia anda a ler umas coisas tuas... lol

Diz ele, na crónica de hoje d'O Jogo: "como alguém já disse, Deus perdoa, Falcão não."

 

eheheheh ;)

«...como dizia alguém,..»

Obrigado pelo apontamento,ainda não tinha lido :).

 

eheheheh

 

Puto,o teu comentário sobre Madjer arrepia.......

Abraço.

Grato, até a escrever me arrepiou...

...mas no dia que me der na gana para descrever em palavras o período Mourinho, prepara os lenços de papel.. ;)

 

Grande abraço

Não duvido,ainda por cima tão

Não duvido,ainda por cima tão presente na memória.Quem sabe se no sábado começamos a ter um cheirinho desse tempo,uma equipa arrogante e sufocante.

 

Cumps

(será que o J.Maia anda por ai,lol)

Quem sabe

Se tiver, ele amanhã dá-nos o toque na crónica d'O Jogo... ;)

15 anos?!

Estás errado!

 

Madjer chegou ao FC Porto na época 1985/86, logo são 25 anos.

 

Infelizmente não guardo muitas memórias deste jogador, sendo aquele golo na final da Chapions uma excepção.

Grande jogador!

mas foi só há 15 anos?! mas a final taça dos c europeus não foi em 87? (deve ser é 25 anos)

sim, 25... sorry

.