Kayla pensou no suicídio, pensa no UFC; pelo meio é bicampeã olímpica | Relvado

Kayla pensou no suicídio, pensa no UFC; pelo meio é bicampeã olímpica

Mais uma medalha de ouro para a judoca Kayla Harrisonn, que foi campeã no Rio de Janeiro.
 
Kayla Harrison (judo)
FRANCK FIFE/AFP/GettyImages

Kayla Harrison volta a ser protagonista de um artigo no nosso portal. Depois do contexto que apresentámos em 2012, quatro anos volvidos, mais uma medalha de ouro.

Nesta quinta-feira, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, a judoca norte-americana foi campeã da categoria -78kg. Derrotou na final Audrey Tcheumeo, por ippon.

Em 2012 Kayla tinha ficado na história ao entregar aos Estados Unidos da América a sua primeira medalha de ouro em toda a história do judo olímpico.

Antes, anos antes, a atleta que agora tem 26 anos foi vítima de abusos sexuais. O seu treinador Daniel Doyle, amigo da mãe de Kayla, viria a aproveitar-se da boa relação com a família para abusar da adolescente. Superou essa fase, superou os problemas psicológicos, os pensamentos de suicídio e agora é bicampeã olímpica.

Próximo passo? Provavelmente mudar-se para o mundo das artes marciais mistas e fazer companhia no UFC à "estrela" Ronda Rousey, que também foi judoca e foi colega de treino de Kayla Harrison.

"Pode ser uma carreira muito lucrativa para mim", admitiu recentemente a campeã olímpica.

Modalidades:

Comentários