Recurso do Calciopoli reduz penas aos clubes condenados | Relvado

Recurso do Calciopoli reduz penas aos clubes condenados

 


Recurso do Calciopoli reduz penas aos clubes condenados
Os recursos apresentados por AC Milan, Juventus, Fiorentina e Lázio no âmbito do chamado "Calciopoli" deu frutos aos quatro clubes condenados no escândalo de corrupção que afecta o futebol italiano. A Corte Federal de Apelo mantém apenas a Juventus na Série B, mas reduz-lhe a penalização de 30 para 17 pontos negativos, e anula a despromoção ao segundo escalão de Fiorentina e Lázio. O AC Milan por seu lado começará a próxima época com uma penalização de oito pontos em vez dos 15 inicialmente definidos e poderá disputar a terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões.

Moggi e Giraudo mantêm suspensão inicial

A Juventus continua a ser o clube mais penalizado, permancendo condenado à Série B, mas agora com 17 pontos de penalização e não com 30, o que lhe permitirá tentar o regresso ao escalão principal já na próxima época. Fiorentina e Lázio acabam por ser os mais beneficiadas segurando-se na Série A, com a equipa viola a começar a época com 19 pontos negativos e a formação romana com 11 pontos de penalização. Os milaneses por seu lado começarão o campeonato com menos oito pontos e poderão disputar as competições europeias, provas de que foram afastados na condenação em primeira Instância.
A Corte de Apelo da Justiça desportiva italiana reduz também as penas para os árbitros e dirigentes implicados no processo, sendo as excepções Luciano Moggi e Antonio Giraudo, ex-dirigentes da Juventus, e Innocenzo Mazzini, o ex-vice-presidente da Federação Italiana, para quem se confirmam as suspensões iniciais de cinco anos para cada um. O ex-presidente da Federação Italiana, Franco Carraro, é o dirigente que mais pode sorrir depois da sentença de recurso, tendo sido libertado de qualquer suspensão (tinha sido condenado em quatro anos e meio de afastamento do futebol) e sendo sancionado apenas ao pagamento de uma multa de 80 mil euros. O vice-presidente do AC Milan, Adriano Galliani, vê a pena de suspensão reduzida para apenas um ano e nove meses, enquanto o patrão da Fiorentina, Diego Della Valle, cumprirá 3 anos e 9 meses de suspensão em vez dos 4 anos inicialmente previstos. O seu irmão e braço direito no clube viola, Andrea, cumprirá 3 anos em vez dos 3 anos e meio impostos em primeira Instância. Por fim o presidente da Lázio, Claudio Lotito, cumpre dois anos e meio de suspensão em vez dos três anos e meio aplicados inicialmente.

Internacional:

Comentários [7]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Ainda falam

Da justiça de cá...em Itália parece que é mais ou menos o mesmo...

Calciopoli

Ainda que se possa dizer que a montanha pariu um rato, digam-me o que aconteceria se cá em Portugal descessem o Porto para a Liga de Honra, e pusessem o Sporting e o Benfica fora das competições europeias e a começar a próxima época com 10 pontos negativos!!! Acho que iniciaria uma autêntica guerra civil!!!

Tanta merda...

... e a montanha acabou por parir um rato! Com jeitinho, se houvesse mais uma qualquer hipotese de interpôr recurso, ainda acabavam todos os clubes e dirigentes ilibados. Afinal Itália não é assim tão diferente de Portugal!

Lol

Ora bem, eu vivo em Roma, em Itália e posso dizer-vos que isto aqui está a ser visto como uma autêntica palhaçada. Se a sentença inicial já era MUITO leve, após o recurso chega-se à conclusão que a montanha pariu não um rato mas sim um sapinho, muito pequenino. É simplesmente lindo ouvir toda a gente a dizer coisas como "olhem para o caso de Itália" e "grande justiça italiana!" e sobretudo ouvir isto e conseguir manter-se em pé após o ataque de riso. Quando eu falei a alguns amigos italianos que este caso estava a ser visto em Portugal como um grande exemplo de justiça e que as pessoas estavam extremamente bem impressionadas com a justiça italiana, levei com olhares incrédulos e risos descomunais. É realmente muito fácil falar à distância e por isso não me surpreendem por aí além as reacções em Portugal, mas deixem-me desenganar-vos claramente. Estas sentenças, então após o recurso nem se fala, são ridiculamente leves e relembro, pela n-ésima vez, o caso do Genoa, que por causa de UM JOGO desceu da Série A à Série C2. Este precedente, que deriva claramente do facto de o Genoa não ter meios para contratar um bom batalhão de advogados e de ter uma massa adepta reduzida, significa que qualquer um destes quatro clubes teria NO MÍNIMO de descer à Série D (que nem existe :)). A única coisa assinalável neste processo foi a celeridade com que decorreu (quem dera ao "caso Mateus"), mas mesmo essa nem é um bom sinal, porque deriva da actuação de um artista que chegou lá e quis mostrar serviço e mostrar às pessoas que se pode cortar caminho e resolver tudo num abrir e fechar de olhos e sem grande critério. É como a nossa Ministra da Educação que quer mudar tudo de uma vez... O que acontece, feitas as contas, é que não é fácil tocar em clubes como o AC Milan, a Juventus, a Fiorentina e a Lazio, porque são muito grandes. Cá como aí (ou lá como cá, como preferirem). Ah, e obviamente que mesmo a Fiorentina, a Lazio e os respectivos dirigentes continuam a clamar 100% de inocência e acham portanto as penas demasiado pesadas e vão continuar a recorrer, até não restar nada... P.S.: Tenho muita pena do Palermo, que, uma vez que ao Milan foi restituído o direito de ir à Champions - na pré-eliminatória -, já não vai participar nela. E tenho pena do coitadinho que, sem saber muito bem porquê, vai apanhar com o Milan na pré-eliminatória. Justo, de facto... Ainda pensei que como era o Palermo a estar envolvido houvesse uma resposta por parte da Máfia Siciliana, mas prontamente me disseram que o Berlusconi é mais mafioso que qualquer Siciliano :P

Re: Lol

Caro relva, Como vês, consegues comentar sem necessitares de partir para o insulto puro. De tudo aquilo que escreveste, reti o seguinte: A única coisa assinalável neste processo foi a celeridade com que decorreu (quem dera ao "caso Mateus"), mas mesmo essa nem é um bom sinal, porque deriva da actuação de um artista que chegou lá e quis mostrar serviço e mostrar às pessoas que se pode cortar caminho e resolver tudo num abrir e fechar de olhos e sem grande critério. É como a nossa Ministra da Educação que quer mudar tudo de uma vez... Pergunto eu, inocentemente, mais uma vez: será que no caso do Apito Dourado, não existiu um artista que quis mostrar serviço, mais ainda quando as questínculas pessoais com o Major Valentim Loureiro foram mais que muitas, devido ao facto do Major não querer retirar uma queixa crime apresentada a um amigo do tal artista. Poderia também invocar que não deverias comentar este caso usando como exemplo o que disseste relativamente ao Ferencvaros: ...NÃO LHE DIZ QUALQUER RESPEITO (como é o caso do GRANDIOSO Ferencvaros da Hungria)... pese o facto de viveres em Itália, acho que pela mesma bitola não deverias comentar casos que envolvem clubes italianos. Devias apenas comentar os casos do teu SLB, não deverias falar, por exemplo, na Académica, já agora ao afirmares que és um ex-aluno de Coimbra, poderei apelidar essa parte do teu curriculum vitae como um tique de superioridade? p.s. - naranaranara fanta, diverte-se com os amigos.

Venham

os que se armaram em arautos da moralidade, "em Portugal isto nunca aconteceria" e bla bla bla, e agora o único que pagou o pato foi a Juve... cumps, canossa

Re: Venham

Deixa lá... cá em portugal quem pagava era a justiça, os juízes, os apanha-bolas... Alguma vez um clube "grande" desceria de divisão dessa forma cá em Portugal???? Ganhem juízo!!!!