Melhor do Mundo! | Relvado

Melhor do Mundo!

 

Pela primeira vez, a FIFA vai premiar o melhor treinador do mundo. José Mourinho, campeão europeu pelo Inter de Milão, é um dos candidatos a vencer o prémio e não tem problemas em afirmar que o merece receber.

«Tenho a convicção de que mereço o prémio de melhor treinador do mundo, mas também sei que na época passada, em dois prémios para melhor treinador em Itália, venci o atribuído pela associação de jogadores, com 88 por cento dos votos, e no outro atribuído pela associação de treinadores não fui eleito. Agora a escolha é feita pelos seleccionadores nacionais e poderei ter alguns votos», disse, em declarações à TVI.

Juntamente com José Mourinho, que venceu a Liga dos Campeões, o campeonato italiano e a taça de Itália na última época, lutam pelo prémio Carlo Ancelotti, campeão pelo Chelsea, Vicente Del Bosque, campeão do mundo pela Espanha, Alex Ferguson, treinador do Manchester United, Guardiola, campeão pelo Barcelona, Joachim Low, seleccionador da Alemanha, Oscar Tabarez, seleccionador do Uruguai, Van Gaal, campeão pelo Bayern Munique, Van Marwijk, seleccionador da Holanda, e Arsène Wenger, treinador do Arsenal. O vencedor será revelado a 6 de Janeiro.

Esquecendo o facto de José Mourinho ser português, e analisando apenas as suas capacidades como treinador, quem acham os caros relvas que deve ganhar este prémio? Será realmente o actual técnico do Real Madrid o mais merecedor do título de Melhor Treinador do Mundo?

Internacional:

Comentários [2]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

«Aleluia, passados 3 dias, lá deram pelo "bugzito" é Site para

o Maradex, bai lá bai, que isto é mau demais...???!!!

O user Conquistadores tem um artigo "Melhor do Mundo!" e quando aberto o artigo aparece como sendo do usuário LeiriaBest e aparece "O melhor do mundo é..." , e dado que já lá prantei não tarda uma dezena de comentários, e o artigo aparece como tendo zero comentários, volto a "prantar" o das pérolas tipo eco...???!!!

Continuamos agora no Périplo Leonino - SAGA LAGARTA vai para a terceira época…???!!!
Coisa pouca, para quem andará no LIMBO de dezoito anos sem vencer… Ainda anda o S.C.P. na meninice da TRAVESSIA do DESERTO!!!
Vamos lá a mais do mesmo… Vigarices falcatruas e quejandos neste País do faz-de-conta, em que valia tudo, para atingir os fins…???!!! Uma VERGONHA, o Filme poderia denominar-se «O ASSALTO dos BIMBOS ao PODER…???!!!»

Agosto de 1983 – Depois de muita guerra, luta de comunicados, recursos e quejandos, finalmente, a disputa da final da Taça de Portugal. Nas Antas. Mas por vezes o destino gosta de ser cruel. E, graças a um tiro fulminante do “snipper” Carlos Manuel, o Benfica bateu o Clube Bimbo, José Maria Pedroto descartou mais uma das suas providenciais formas de dourar a pílula do insucesso: «O Clube dos ÍNDIOS/LAMPIÕES utilizou o seu poderio para não jogar na data marcada, em que reconhecia estar em muito má forma.»
Fernando Martins, presidente do Benfica, vestindo a pele de «bom samaritano»: «Fui eu que decidi que viéssemos às Antas. A polémica acerca da Final da Taça de Portugal ter de ser aqui nas Antas, não vem alterar, de forma alguma, a política de amizade ente o Benfica e o Porto.» (Tem de sair uma GRIZADA seguida de TRETALOLADA de uma tirada destas, vinda de um Presidente Índio/Lampião!!!)
P.s. – Tão amigos que eles eram…

Para a Época de 1983/84 ingressou no S.l.b. um ex-decorador, de 24 anos, que era semiprofissional na Suécia. Dava pelo nome de Manniche e como seria óbvio considerava-se antivedeta: «A minha primeira qualidade? Sou mais alto do que a maioria. É mesmo a minha única qualidade, não encontro outra…»

Setembro de 1983 – O Brasileiro Otto Glória, que nos levara ao 3º lugar no Mundial de Inglaterra e a fazer uma excelente Classificação para o Campeonato da Europa, tirando a “cabazada” na U.R.S.S. é despedido do cargo de seleccionador Nacional. Considerou que o nível dos futebolistas até melhorara, mas o dos Dirigentes NÃO. Antes pelo contrário.
E é substituído por uma comissão técnica de 4 técnicos??? Sendo Fernando Cabrita o que dará a cara por ser o mais velho!!! Tomadas as rédeas da Selecção Nacional e em Alvalade jogando contra a Finlândia, goleada para a Selecção das «Quinas» por (5-0). O jogo serviu de estreia pela Selecção “A”, para Paulo Futre que aos 17 anos entrou no decorrer da partida para o lugar de Jaime Pacheco. Fernando Cabrita, o responsável pelo chamamento do Montijense diria: «O Paulo Futre é um garoto que nasceu para o Futebol. Portanto, não foi por qualquer demagogia, mas sim por mérito próprio, que ele se estreou. Aliás, penso que, se não se deslumbrar, virá a ser um grande craque do nosso futebol.»

Outubro de 1983 – Já vamos na Jornada 6 do Campeonato Nacional e só agora esta Época merece algum destaque. Os desfechos da jornada baralharam a cabeça da tabela classificativa, que sofreu mas poucas alterações.
O Benfica vence o Porto por (1-0) e foi o quanto bastou para lhe arrebatar o poleiro. Apreciação de José Maria Pedroto: «O árbitro Alder Dante realizou trabalho impecável, mas os juízes de linha prejudicaram a minha equipa, em especial no julgamento dos foras de jogo, que só existiram no seu discernimento. Enfim, o costume…»
Na jornada seguinte foi o Sporting do Treinador Josef Venglos, jogar às Antas e perdeu por (1-0), golo de Fernando Gomes. O Checoslovaco lamentou-se: «No único erro que cometemos, sofremos o golo… é o que dá «ir jogar para o zero a zero!!!»

Mais um jogo de qualificação para o Campeonato da Europa, a Selecção Portuguesa foi a Wroclaw vencer a Polónia por 1 a 0. Com um golo de ouro de Carlos Manuel. Começava-se a ACREDITAR na Selecção das «QUINAS»!!! O “EUROPEU/84”, começava a congregar todos os Portugueses e estava tão perto…

Novembro de 1983 – Fernando Gomes recebeu, em Paris, a «Bota de Ouro» para o melhor goleador Europeu época de 1982/83, repetindo, assim, as proezas de Eusébio e Yazalde. Era o fastígio para o Avançado Portista, que para a cerimónia pomposa do Lido de Paris, levou a namorada de então, filha de José Maria Pedroto.

Portugal, recebe a U.R.S.S., no Estádio da Luz e ao vencer por (1-0), cometeu uma proeza inédita: «A qualificação para a fase final do Campeonato da Europa de 1984 a disputar na França.»
Só que a conquista deste desiderato (Europeu França/84), se logrou num pontapé da marca de «penalty» de Rui Jordão, logrou-se, também, no erro de óptica do árbitro Francês George Konrath, que julgou que a carga/falta sobre Fernando Chalana se fizera dentro da área. E não foi… O Técnico Soviético, Lobanovski, lacónico nas declarações, limitou-se a dizer: «O resultado… poderia ter sido diferente. Sobre o lance do penalty nem uma palavra. Por uma questão de… fair-play.»

Janeiro de 1984 – Joaquim Agostinho, qual filho pródigo, resolveu acabar a sua carreira no Sporting clube de Portugal, confessando: «sou atleta do S.C.P. e nada mais, ajudo na formação da equipa, sobretudo face aos meus conhecimentos no Estrangeiro, mas não me peçam mais responsabilidades que não seja a de cumprir com os meus deveres de Ciclista. O Sporting deverá utilizar dois ciclistas Estrangeiros na Volta à França e, em Portugal, só deveremos correr o Campeonato Nacional e a Volta a Portugal.»

Em jogo da Taça de Portugal, o Sporting Clube de Portugal desforrou-se do Benfica, vencendo por 2 a 1, num espectáculo memorável como há muito não se via em encontros entre ambos. Os do Clube dos Índios/Lampiões abriram o activo por Carlos Manuel logo aos 8 minutos, Rui Jordão empataria já na segunda metade e Manuel Fernandes daria a machadada final a um quarto de hora do fim da partida.

Fevereiro de 1984 – Na Taça dos Clubes Campeões Europeus de Corta-Mato, disputada nas Açoteias, o Sporting clube de Portugal registou a sua sexta vitória. Carlos Lopes, no seu trejeito gaiato: «Tivesse eu já nas pernas a força que sinto na “caixa”. Queria apertar e as pernas não obedeciam…»
Nos Campeonatos Nacionais de Corta-Mato disputados em Viseu, local de berço do Campeão Carlos Lopes, mais do mesmo o «Profeta» pregou em casa e venceu com enorme facilidade!!!

Março de 1984 – Nos quartos de final da Taça das Taças, primeira-mão o F.C. Porto, ganhou ao Shakhtior (URSS) por 3 a 2, depois de ter estado a perder por por duas bolas…
Para a Taça dos Campeões Europeus, baqueou o Benfica em Liverpool por (1-0).
Na segunda-mão, sortes diferentes para os representantes “Lusos”. O Clube dos ÍNDIOS/LAMPIÕES ficou pelo caminho, no Estádio da Luz, em noite de vergonha, os «encarnados» viram-se vergados ao peso de uma derrota por 4 a 1, frente a um imparável Liverpool, que deliciou os espectadores com uma exibição de gala.
O Clube BIMBO, viajou até à União Soviética e empatou (1-1) com o Shakhtior, passando à eliminatória seguinte graças ao tento apontado por Walsh!!!

Abril/Maio de 1984 - No jogo da primeira-mão das meias-finais da Taça das Taças, o F.C.Porto recebeu nas Antas, o Aberdeen (Escócia) e venceu à tangente por 1 a 0, com um tento de Fernando Gomes.
Em Janeiro, o Treinador José Maria Pedroto foi internado num hospital de Londres, debatendo-se, com a doença que o minava. E havia na campanha Europeia do Clube dos BIMBOS o bálsamo para as dores e a agrura de não poder estar lá!!!
O passaporte para a final foi visado na Escócia na segunda-mão em Aberdden, com um golo de vermelhinho que foi “oiro sobre azul”. O treinador António Morais emocionado, aventou: «O mérito de tudo isto deve-se a Pedroto, pois tive com ele demoradas conversas, em que definimos toda a estratégia a adoptar. Aliás, Pedroto esteve tentado a vir a Aberdeen, mas à última hora receou uma recaída. Mas já tem bilhete comprado para a Suiça!
Voltou a não poder estar. Mas, em Basileia, José Maria Pedroto (o que alguns tratavam por “MAROTO” ou o “ZÉ do BONÉ” ou um dos incendiários do Futebol Índigena), esteve, mais que nunca, em ESPÍRITO. Antes de se atirarem à liça, os jogadores do Clube dos BIMBOS prometeram lutar até à última gota de energia pelo SONHO, para que, segundo Sousa, autor do golo Portista, «Entregando-lhe a Taça, talvez o Mister Pedroto pudesse ter mais algum tempo de vida». Os seus desejos acabaram traídos pelo golpe rude de um árbitro da R.D.A. chamado Adolf Prokop.
Júbilo no golo de Sousa. Reposto estava o empate. Mas, por crueldade do destino o génio de Boniek, infelicidade do guardião Zé Beto e vista grossa do árbitro alemão, a Juventus treinada por Trapattoni ganhou a Taça das Taças.
António Morais o treinador Portista foi o porta-voz do desencanto após terem sido batidos por Juventus 2 vs Porto 1: «Antes do jogo tinha dito aos meus jogadores que a equipa que cometesse menos erros e fosse mais bafejada pela SORTE seria a equipa vencedora (Nem o La Palisse, se lembraria de tal…) Para além disto temos razões de queixa da arbitragem, que perdoou 2 penalties aos Italianos, um por empurrão claro a Vermelhinho ; o segundo uma mão do jogador Juventino Schirea que toda a gente viu…???!!!»

Chegou John Toshack para treinar o Sporting Clube de Portugal. «Venho falar com o Presidente do Sporting, ver as condições de VIDA e de trabalho e só depois me irei decidir…»

Voltando ao Nacional da I Divisão da Época de 1983/84, que só teve um estremecimento para o Benfica do treinador Eriksson, quando os ÍNDIOS/LAMPIÕES, foram ao Estádio das Antas perder por 3 a 1, ficando assim com um escasso ponto de vantagem sobre o Clube BIMBO!!!
Entretanto, os do Clube Índio/Lampião acertaram o passo e nem sequer uma derrota humilhante em Guimarães por (4-1), lhes estugou o passo. Dramático poderia ter sido o desaire no Estádio da Luz, ante o Sporting Clube de Portugal, na penúltima jornada, mas o F.C.Porto perdeu no Bessa…???!!!
Desceu o pano sobre o Nacional da I Divisão. O Benfica foi vencer a Portimão por 2 a 0 e houve festa vermelha no Algarve. O Benfica revalidava o título de Campeão o treinador Eriksson era aclamado de Herói. Revalidou contrato, mas pouco tempo depois… passou-se de armas e bagagens para o Roma, revelando que não traíra o Clube dos ÍNDIOS/LAMPIÕES, antes pelo contrário, que o Presidente Fernando Martins esteve sempre a par das negociações. E até lhe deu um conselho: «Há ainda muitos treinadores, de grande categoria, que o Benfica poderá contratar e, entre esses, eu gostaria de incluir o Toni e como não poderia perder esta oportunidade fantástica de ir trabalhar para um GRANDE Clube do Futebol ITALIANO…» O Presidente Fernando Martins não aceitou o conselho, optou pelo Croata Tomislav Ivic, que CHEGOU, VIU e PARTIU. «Precipitei-me, arrependi-me, pode ser que volte um dia…» Para compensar o desenlace no S.l.b., optaram por Pal Csernai, técnico da Filosofia de Chicote na Mão…???!!!

Junho/Julho de 1984 – João Rocha foi reeleito Presidente do S.C.P., esmagando, literalmente, Marcelino de Brito. Ainda na euforia da vitória, confirmaria que contratara o Portista Jaime Pacheco, a troco de 30.000 contos, por dois anos de contrato.
Voltou João Rocha a pescar nas Antas, contratando António Sousa. «Que rescindira contrato com o F.c.p., alegando falta de pagamentos.»

Agosto de 1984 - Pinto da Costa preparava a revanche. Em silêncio dorido. De facto, guardado estava o melhor bocado. Futre o menino-prodígio, assinou pelo Clube BIMBO. Segundo o pai, «mandaram-no tratar da vida e foi o que ele fez; foi tratar da vida para o Porto». Como o Sporting não lhe devia qualquer valor, Paulo Futre invocou, para a rescisão do contrato, «falta de condições psicológicas.»

Este ano de 1984 foi de GLÓRIA para Carlos Lopes e Selecção Nacional no «Euro-84» (Poder-se-á ler mais aprofundadamente no Capítulo seguinte a SAGA dos PATRÍCIOS) e de Profundo PESAR/TRISTEZA pela morte de Joaquim Agostinho!!!

E a 12 de Agosto de 1984 nos Jogos Olímpicos de Los Angeles. O dia mais longo da sua vida. Na emoção da vitória. Carlos Lopes ao 38º quilómetro da Maratona, decidiu-se. Estugou o passo e arrancou, decidido para a meta, 200 metros de avanço, a entrada em passada firme, sorriso no rosto na pista mágica. Os holofotes do Mundo. O sorriso, os braços erguidos aos céus. O campeão feito herói de si mesmo. Eram 3.10 horas da madrugada em Lisboa…
Como um cubo de gelo, tentou afastar euforias: «Se foi dura a Maratona? Não, foram os 42 quilómetros do costume… Era assim Carlos Lopes, um homem do povo, nasceu numa casa pequenina, em Vildemoinhos, à beirinha de Viseu, após o exame da quarta classe e sendo ele o irmão mais velho de sete, foi trabalhar para ajudar no sustento da casa!!!»
Fiquemos por aqui, porque tristezas não pagam dívidas e Carlos Lopes que comeu o pão que o Diabo amassou… Chegou a CAMPEÃO OLÍMPICO da MARATONA!!!

MIL NOVECENTOS E OITENTA E QUATRO. O último ano na vida de Joaquim Agostinho. Pleno de felicidade, a correr com a «sua» equipa do Sporting Clube de Portugal. Findava o mês de Abril, vai começar Maio. Os «LEÕES» estavam na volta ao Algarve, Agostinho de Amarelo vestido como não podia deixar de ser… Ligo o rádio, ouço a notícia: Joaquim Agostinho deu uma queda, o seu estado é grave e foi evacuado para Lisboa. Na sua casa perto de Torres Vedras o filho de Agostinho vai dizer à mãe que o pai caíra… Desabafo de Ana Maria esposa de Agostinho: «”O raio do homem está sempre a cair…”»
“Era um simples cavador que namorava a filha do feitor. Às escondidas, é claro. Que um dia, como tantos outros, teve de ir combater para Moçambique e por onde admitiu ficar, como capataz, numa fábrica. Mas as saudades da sua lourinha trouxeram-no a Portugal Continental. Um dia pediu uma bicicleta emprestada a um patrício de Casalinhos de Alfaiata de seu nome João Roque (outro senhor do ciclismo Português). Montou, pedalou… e o Roque ficou de boca aberta, admitindo logo que «temos homem!».
Levou-o, a treinar-se, ao Sporting. Tudo espantado… Era potencialmente o novo ás do pedal das gentes Leoninas!!!”
Foi herói na Volta à França na Volta a Portugal e em todas as provas desde que metessem selins e bicicletas e por isso na Quarteira numa volta ao Algarve, a tragédia dois cães atravessaram-se ao caminho abalroando Agostinho .Épico, levantou-se e amparado cortou a meta. Pela última vez. Pediu que o levassem à pensão para descansar. Duas horas depois, dores horríveis, foi então levado para o Hospital de Faro. E o tempo a correr. Dramaticamente para Lisboa o enviariam de ambulância! Dez dias depois, o coração cedeu. Ficou um país em lágrimas. Órfão do seu HERÓI do PEDAL… “Tino” morreu num País de faz de conta, e actualmente continua a sê-lo, Joaquim Agostinho foi operado 10 horas depois da queda, fez a viagem de Faro para Lisboa de ambulância. Como se em 1984 o tempo ainda fosse o da mala-posta, como se não existissem aviões, avionetas ou helicópteros, País Terceiro-Mundista de gentalha que se servia… e não servia, como não continua a servir o POVO que os elege!!!

Bibliografia, Jornais à época!!!

De Jadscl
.
.

Muito bom, obrigado por estes

Muito bom, obrigado por estes pedaços de história ;)