Só os vencedores ficam para a história? | Relvado

Só os vencedores ficam para a história?

 

Paulo Verde diz: "uma das frases feitas do futebol é o que fica para a história é o resultado! Corresponderá isto mesmo à verdade? Não existirão equipas que, apesar de não terem ganho as competições em que entraram, não tenham ficado para a história tanto ou mais que os vencedores? Exºs: Hungria em 1954; Brasil em 1982; Camarões em 1990; Turquia em 2002. Vamos todos puxar pela memória e tirar lá do fundo recordações de outros casos similares?"

diversos:

Comentários [24]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

A final de Basileia, em que Platini...

até disse, que seria mais justo se dividissem a Taça.

Re:A final de Basileia, em que Platini...

mas olha que ele se calhar queria dizer que a Juve devia dividir a Taça com o árbitro... ele que foi "peça" importante para alcançarem essa vitória.

5 de Julho de 1982

estádio de Sarriá, Barcelona, Espanha

recordo como se fosse ontem: o estádio, ululante, sambava, frémito de mil cores, sons e cheiros...
era puto: nos meus 16 anos, acreditava no futebol-arte: a poesia no relvado, a arte na inspiração de Sócrates e Eder e Zico...
de repente, a torrente italiana: Rossi não morrera...
nesse dia, aprendi que a injustiça é parte integrante da Vida; mas, igualmente, aprendi que Sócrates, Eder e Zico são imortais...

(carlos silva cravo, leão eterno)

Alguem se lembra...

de um campeonato espanhol perdido pelo Deportivo da Corunha no último minuto de jogo em que o Djukic falhou um penalty que daria o título aos azuis e brancos?!

Re:Alguem se lembra...

Lembro-me perfeitamente... :o)

Vi esse jogo na TVE (se não me engano)!

Foi um total desespero para os adeptos galegos... e para toda a equipa, claro! :(

Saudações leoninas

Re:Alguem se lembra...

foi no dia dos 3-6 de Alvalade...

14 de Maio de 94...

Camarões ???! Turquia ??!!

Wha ha ha ha ha ha ha !!!! Que exagero ! Boa, muito boa esta ! Hehehe... Hungria-54, Holanda 74/78, Brasil-82 e Dinamarca-86 são em Mundiais o reconhecidamente aceitável e mundialmente "consagrado". O resto é invenção. Camarões e Turquia chegaram onde podiam, foram além do esperado e menos pelo futebol que praticaram, mais pelas circunstâncias que lhes ajudaram.

Re:Camarões ???! Turquia ??!!

Estás a dizer então que a selecção dos Camarões de 1990 não jogava bom futebol? Hás-de me dizer o que é bom futebol então, que eu devo andar ao engano...

Re:Camarões ???! Turquia ??!!

Para ser a campeã daquele Mundial??!! Então enxergas mal mesmo ... Camarões até merecia ter eliminado aquele bando "quadrado" e burocrático da Inglaterra, mas "futebol" para ser o campeão constitui um exagero que chega às raias do ridículo, por isso não resisti ao comentário. Aliás, a selecção de Camarões foi eliminada pelos ingleses exactamente pela extrema ingenuidade demonstrada, algo incompatível com um seleccionado do primeiro nível.

Aqui vão algumas!!!

- Derrota do Brasil de 82 contra a Itália por 3-2.
- Reviravolta do Manchester na final da Champions contra o Bayern, num jogo dominado pelos alemães.
- Derrota do Fcp na final de Basileia frente à Juventus, num jogo dominado por nós e com erros de arbitragem à mistura.
- Euro 84, Portugal-França, a França até foi superior mas aquela reviravolta não lembrava a ninguém...
- Euro 2000, Holanda-Itália, jogo de grande sorte para os italianos, bolas ao poste, penaltys falhados, Toldo a defender tudo e Itália na final.
- Mais recentemente, o que me tem metido mais aflição é o regresso do "catenacio", com equipas como o Inter, Juventus e Milan a deixarem pelo caminho equipas que tentam jogar um futebol de ataque, como o Valência, Ajax e Barcelona.Foram sem dúvida os quartos de final mais injustos da história da Champions.

O Sporting de Jozic

Podia dar imensos exemplos: a História do Futebol Mundial está cheia deles!

Mas permitam-me que lembre aquilo que mais me toca e que melhor recordo... e não, não é por "cegueira ou clubite aguda", mas apenas porque é aquilo que melhor conheço: o "Sporting de Jozic" tinha um futebol bonito, linear, aguerrido, "certinho"... mas não ganhou nada! Faltou-lhe ser mais pragmático, faltou-se conseguir vencer as "forças ocultas" (lol), faltou-lhe que houvesse mais isenção e acerto por parte de quem dirige os jogos!

Terá faltado ao Sporting de Jozic um pouco de sorte, um pouco mais de protecção dos próprios dirigentes leoninos...

Tenho a certeza que foi a equipa que mais encantou os sócios e adeptos leoninos, nos últimos anos... antes do "Sporting de Inácio" e do "Sporting de Boloni"!

E até digo mais: tenho a sensação que Jozic seria um técnico muito bem aceite por todos os sportinguistas, neste momento! Seria um dos treinadores capazes de recuperar um pouco a "mística" da equipa... e de conseguir agora o que faltou àquela equipa de 98/99: ganhar o campeonato!

Saudações leoninas

Re:O Sporting de Jozic

Prefiro o Sporting do Robson/Queirós, com Balakov, Figo, Cherbakov (ano do acidente), Valckx...e se não me engano o Paulo Sousa também lá estava nessa época!

Re:O Sporting de Jozic

Concordo com o comentário!

Faltou também um finalizador de qualidade à equipa.

Deixo aqui os jogadores que tinhamos no plantel para essa posição:
  -Acosta (n estava em forma acabado de chegar da Argentina)
- Iordanov (lesionado)
- Leandro e Edmilson (um pouco irregulares)
- Krpan e Ramirez (qualidade algo dúvidosa).

ps: O centro do meio campo com o Duscher e o Delfim era brutal!

Re:O Sporting de Jozic

Esqueceste-te do Simão... que marcou 10 golos... :o)

Já agora, eis a lista dos principais marcadores:

  • Iordanov - 13 golos
  • Edmilson - 10 golos
  • Simão - 10 golos

    O Krpan e o Acosta apenas marcaram 3 golos, cada um! O ano seguinte é que foi o grande ano do Acosta!
    Leandro abandonou o SCP em Dezembro/Janeiro, quando reabriu o "mercado de transferências".
     
    Quanto ao meio campo, com Duscher, Vidigal e Delfim... que saudades! :o)

    Saudações leoninas
  • O Sport Lisboa e Benfica...

    por exemplo, tem uma mão cheia de finais da Taça da Liga dos Campeões (graças ao Salazar) e só conseguiu vencer duas...

    Abraço a todos

    A Laranja Mecânica

    A Holanda de Johann Cruiff foi, de longe, a equipa mais "injustiçada" pelo jugo dos resultados. Não tive a oportunidade de os ver jogar ao vivo, mas aprendi a venerar o seu estilo de jogo inebriante, assente no dream-team que era o Ajax de Amesterdão...

    Re:A Laranja Mecânica

    Estou de acordo com a tua análise. Os jogos que tive oportunidade de assistir foram aqueles que a Eurosport retransmitiu antes do Mundial. Era uma equipa que quebrou barreiras e era o simbolo da contestação dos valores de então...

    Mas o Ajax de Cruyff em que se baseava a selecção conseguiu ainda assim 3 titulos seguidos de campeão europeu.

    Re:A Laranja Mecânica

    Tens razão, esqueci-me de mencionar esse facto, podendo ter induzido em erro quem pensasse que os lanceiros tinham tido um rendimento similar à sua selecção.
          Obrigado.
          Um abraço.

    A selecção de todos nós...

    Além dos resultados de um determinado jogo, convém não esquecer também algumas séries de resultados, ou falta deles, como por exemplo, a nossa selecção que do período "pós-Saltillo" ao Euro 98, ao nível de resultados globais só obteve, as tão proclamadas na época de, "vitórias morais".

    Cumprimentos

    Só os vencedores ficam para a história?

    A frase vem de Júlio César: «Ai dos vencidos!». E no futebol, o segundo é apenas o primeiro dos últimos. Concordo com o Paulo Verde. E apetece-me dar exemplos com factos próximos da minha cor predilecta. Jogo de uma final da taça dos campeões europeus - Manchester / Benfica -, não pondo em causa a vitória, mas colocando a sorte (que também faz parte do jogo)na decisão do resultado; mas há outras finais da mesma prova, ao longo de anos em que houve vitórias de moeda ao ar... do Milão, em Londres, que aquele venceu graças a uma cacetada ao Eusébio e ao Coluna que não puderam ser substituídos. E aquela final marcada para o estádio em Roma, com o Inter de Milão e o Benfica, que foi transferida para Milão e em que a lesão do guarda-redes Costa Pereira, logo no início, pôs o Benfica a jogar com dez jogadores e levou o Germanbo para a baliza e só conseguiram a vitória por 1-0. E não falo das derrotas por penalties, até em 2ª série. Já agora aquele pormenor que nos toca a todos: Portugal, no Campeonato do Mundo em 1966 (creio), por ser vencedor da série, deveria jogar no estádio onde estava instalado. A Inglaterra, segunda classificada, é que teria de se sujeitar à deslocação; todos sabemos que, à última hora, os Portugueses foram obrigados a vir jogar depois de uma viagem para Londres, à pressa e estafante, de combóio.

    Só os vencedores ficam para a história?

    A frase vem de Júlio César: «Ai dos vencidos!». E no futebol, o segundo é apenas o primeiro dos últimos. Concordo com o Paulo Verde. E apetece-me dar exemplos com factos próximos da minha cor predilecta. Jogo de uma final da taça dos campeões europeus - Manchester / Benfica -, não pondo em causa a vitória, mas colocando a sorte (que também faz parte do jogo) na decisão do resultado; mas há outras finais da mesma prova, ao longo de anos, em que houve vitórias de moeda ao ar... Do Milão, em Londres, que aquele venceu graças às cacetadas ao Eusébio e ao Coluna que não puderam ser substituídos. E aquela final marcada para o estádio em Roma, com o Inter de Milão e o Benfica, que foi transferida para Milão e em que a lesão do guarda-redes Costa Pereira, logo no início, pôs o Benfica a jogar com dez jogadores e levou o Germanbo para a baliza; e só conseguiram a vitória por 1-0. E não falo das derrotas por penalties, até em 2ª série. Já agora aquele pormenor que nos toca a todos: Portugal, no Campeonato do Mundo em 1966 (creio), por ser vencedor da série, deveria jogar no estádio da cidade (não me recordo se Manchester ou Liverpool) onde estava instalado. A Inglaterra, segunda classificada, é que teria de se sujeitar à deslocação; todos sabemos que, à última hora, os Portugueses foram obrigados a vir jogar em Londres, depois de uma viagem à pressa e estafante, de combóio.

    Correcção..

    Não foi Julio César que pronunciou essa frase, mas sim Breno, chefe dos Gauleses que invadiram a Itália e saquearam Roma em 390 a.c..
    Quando estavam a pesar o ouro do resgate, os Romanos reclamaram que as balanças estavam viciadas e foi então que Breno levantou a espada e disse: "Ai dos vencidos!!".

    Saudações

    e nós carago

    Portugal em 66 e na meia final perdida na mão d Abel Xavier, a Rep.Checa naquele europeu q perdeu a final p´Alemanha ...

    Lembro-me

    Lembro-me agora do Atlético de Madrid, que ficou para a história por ser um grande clube espanhol e desceu de divisão.