Pais, um péssimo exemplo | Relvado

Pais, um péssimo exemplo

 

O jogo que se vê no vídeo tem uma moldura humana impressionante e faz inveja à assistência de muitos jogos profissionais e os espectadores não ficam atrás... É alhos e bugalhos para aqui, é filhos de meretrizes para ali, é faltas de educação gritantes! Não sei se estavam desatentos a ver o vídeo, mas o jogo é dos juvenis, ou seja, de miúdos com 14 e 15 anos. Como é que se compreende que os pais insultem assim as crianças?! Que exemplo é este que os mais velhos dão? E reparem que muitos já têm cabelos brancos... Será que o futebol tem mesmo que ser assim, de baixo nível?Aqui, no relvado, isso também é recorrente. Há determinados indivíduos, e não são poucos, que ao lerem uma opinião adversa saltam logo para o insulto baixo. Mas há necessidade disso? O que é que o homem leva para casa?! Um saco de batatas podres?! Não seria bem mais interessante uma troca de ideais que acabasse numa conversa filosófica? Sim, porque na minha opinião essa é a única forma de realização humana. Por algum motivo é que o grau mais alto de escolaridade obtida por mérito próprio no estudo passa exactamente por um PhD, Doctor of Philosophy.Mas para não fugir muito ao tema, retorno à minha preocupação, já que infelizmente os adeptos vitorianos não são a excepção à regra. Eles são iguais a quaisquer outros adeptos portugueses e apenas tiveram o azar de ter um video elucidativo da realidade portuguesa. É igual no Seixal, em Alcochete e em Gaia. É igual na Madeira, no Algarve e nos Açores. É igual aqui e ali. É igual em todo o lado. É igual em todos nós para grande pena minha...CaMuFLadO

diversos:

Comentários [42]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

não há maneira de dar a volta a isso

não há maneira de não veres um miudo mandar o papel do gelado pro chao de mandar o homem não mandar biatas pro chao de mandar o jogador de futebol não cuspir para o relvado de mandar o pescador não poluir minimamente o mar, não há maneira a não ser que fossemos todos robotizados.

até digo mais

eu aqui no relvado se um utilizador me irritar a certo ponto sou capaz de lhe chamar nomes e no dia a seguir se ele disser algo com que eu concorde eu admito-o e mando-lhe cumprimentos se for preciso e nem me lembro já do que lhe chamei no dia anterior (até porque não decóro nicks dos outros com quem falo)... faz parte, momentos de raiva, momentos de concordancia são MOMENTOS apenas isso.

infelizmente...

hj em dia ser futobolista é (se vingar) sinónimo de uma profissão bem paga (se receber). muitos pais vêm nos filhos o que poderiam ou gostariam de ter sido, se gostarem de futebol gostariam de ver os seus filhos futobolistas... Qd era jovem joguei basket no Fluvial, clube amadorissiomo e centenário do Porto, quando jogavamos contra o FCp vi atitudes totalmente irracionais de pais dos atletas do fcp. vi inclusive o seccionista um dia dar uma chapada no filho com a capa onde se fazia e anotava as estatisticdcas, vi pais a exercerem uma pressão nos filhos para serem melhores, que para mim é totalmente despropositada... talvez a sua costela azul e branca na altura os cegasse. Mas há (maus) exemplos destas pressões no tenis, futebol, natação com atletas de topo. Enfim, há maus exeplos disto em tudo e em qualquer sociedade. Infelizmente estas pressões terão em 90% dos casos um efeito reverso. há que slientar a quantidade de gente que viu este jogo, impressiona. Infelizmente , quem insulta e vê estes jogos são adeptos... não pais apenas, esttão ali como adeptos neste caso do Vitória e do Benfica, e não olham a idades cores e sexo... apenas olham para a cor das camisolas... é pena, mas é assim!

Igual em Inglaterra.

A Football Association em Inglaterra tem uma campanha chamada "Respect" que visa precisamente este problema dos adeptos grunhos irem para o estadio/campo de futebol libertar frustracoes que nada tem que ver com futebol. Site da FA - RESPECT O numero de praticantes que abandona a modalidade enquanto estao nos escaloes junior e infantil e apontado como uma das consequencias mais nefastas da falta de desportivismo dos adeptos. da que pensar.

Re: Pais, um péssimo exemplo

Isto não é chocante são mentalidades mesquinhas, nojentas desta gente. Com todo o respeito mas pessoas destas são atrasadas mentais. Juvenis "chora chora" no comments!

Re: Pais, um péssimo exemplo

Vou postar novamente, porque recordava-me do jogo e não das incidencias. Eu estive lá, como muitos Vitorianos, e não vou agora comentar a linguagem utilizada, porque todos nós a utilizamos, no mundo do futebol. Mas o que aconteceu, foi que o "PUTO" guarda-redes do slb, fartou-se de fazer anti-jogo e tinha sofrido uma falta "daquelas que não se passa mesmo nada, e fez figura de parvo, perdendo imenso tempo da reposição de bola, fazendo inclusivé gestos para a plateia. Claro ouviu daquilo que o pai lhe costuma chamar.

Dentro para fora.

Muito, mas mesmo muito infeliz a tua intervenção. É pena não teres pegado num qualquer outro jogo das camadas jovens para mostrar que quando quem está lá dentro se preocupa unicamente em jogar futebol, quem está de fora preocupa-se unicamente a apoiar. Já lhe perdi a conta ao número de jogos que vi de camadas jovens em que PUTOS de 12, 13 ou 14 anos são os primeiros a fazer gestos (armados em Costinha e coisas do género) para a bancada e a mandar bocas. Depois admiram-se que quem assiste aos jogos reaja dessa forma. Na maior parte das vezes, as situações v~em de dentro do relvado para as bancadas. Se calhar devias ter-te preocupado em saber se durante o decorrer do jogo aconteceu alguma coisa que pudesse ter levado a esta reacção dos adeptos (e quando digo pudesse ter levado não digo que sirva de justificação). Pergunto eu, o sr Nuno Gomes (só para citar um da tua equipa) também não tem atitudes bem piores em campo???? Em directo para milhões de espectadores??? Não é ele pai de filhos também??? E quem diz esse diz outro qualquer!!! Se calhar, o gajo do Benfica que aos 15 minutos arrumou com o Jussane de campo com uma entrada assassina, deve ter sido o primeiro a atirar-se para a piscina para perder tempo no fim do jogo. Não tira qualquer um do sério??? Num jogo de miúdos??? Telhados de vidro???

Agora

já não me surpreende, mas quando fui morar para Odivelas há 3 anos até ficava parvo! Isto porque a minha varanda fica mesmo em frente ao sintético(do Odivelas, claro...) onde jogam os miúdos de todos os escalões e em dias de jogos, ou seja ao fds, é ouvir os paizinhos da canalha a insultar o árbitro aos altos berros! Até essa altura nunca tinha visto jogos dos putos, mas fiquei um bocado para o chocado! Mas é essa a educação que os paizinhos querem para os miúdos? Isso e incentivarem os putos(mesmo os mais pequenos) a fazer fitas e afins...

Re: Agora

É mesmo a falsidade,a corrupção(tambem extra-futebol) a devassidão e a sensação de superioridade e devassidão de algumas pessoas bem e outras,que se julgam maiores que a vida,pelo que tanta afronta a Deus não pode terminar bem...Quanto ás palavras consideradas impróprias pelos "novos-portugueses" aceito e compreendo,pelo que também não as uso frequentemente,mas sei que são muito mais antigas,do tempo dos nossos antepassdos,como Vasco da Gama,que eram visionários,não corruptos incopetentes,talvez queira dizer que o país nessa altura tinha gente de valor a comandar os seus destinos e os portugueses eram mais simples mais frontais,mais honestos,em suma...Mais pessoas!

Os meus sinceros parabéns.

Este tópico vem realçar o porquê de muita gente não ir aos estádios! Eu por exº, seria incapaz de levar os meus filhos a um estádio ver uma partida de futebol a não ser que seja um jogo a "feijões" ou um amigável mesmo muito amigável qualquer, e mesmo assim não sei.... As pessoas recorrem a palavrões por tudo e por nada, é assustador! Não sou nenhum "santo" mas o uso de palavrões é coisa que os meus filhos nunca ouvem dentro de casa nem sequer pronunciam tais palavras. Não os quero colocar numa redoma de vidro, mas querendo eu dar-lhes a melhor educação possível, tento evitar lugares susceptíveis a tais manifestações de mal falar Português. Cada um diz o que quer mas não significa que seja correcto, se à algumas décadas atrás os palavrões em público ou à frente das mulheres era evitado, hoje em dia perdeu-se todo o pudor.... Será que melhoramos com tamanha liberdade verbal? Neste aspecto, não.

Re: Os meus sinceros parabéns.

É mesmo a falsidade,a corrupção(tambem extra-futebol) a devassidão e a sensação de superioridade e devassidão de algumas pessoas bem e outras,que se julgam maiores que a vida,pelo que tanta afronta a Deus não pode terminar bem...Quanto ás palavras consideradas impróprias pelos "novos-portugueses" aceito e compreendo,pelo que também não as uso frequentemente,mas sei que são muito mais antigas,do tempo dos nossos antepassdos,como Vasco da Gama,que eram visionários,não corruptos incopetentes,talvez queira dizer que o país nessa altura tinha gente de valor a comandar os seus destinos e os portugueses eram mais simples mais frontais,mais honestos,em suma...Mais pessoas!

A cultura da individualidade!

Infelizmente, apesar do fenómeno das comunicações, há um aumento assustador da cultura da individualidade, a cultura do "eu". O respeito mútuo é cada vez mais ignorado e mencionamos a tal "liberdade de expressão" como desculpa para dizer as mais completas barbaridades pela boca fora. Não apoio a hipocrisia, mas não posso pactuar com a malcriadez de uma larga maioria das pessoas que para justificar sei-lá o quê usam palavrões atrás de palavrões. Não posso de modo algum concordar que numa simples frase sejam colocados mais palavrões do que propriamente o conteúdo em si. Mesmo quando estou zangado não recorro a essa linguagem, mas, tal como disse, não sou santo e não cresci em nenhuma redoma de vidro nem quero que os meus filhos o sejam, acredito que temos que saber resistir a alguns instintos primários pois é isso que nos separa e dos comuns animais. Corrupção e manobras de bastidores no futebol, que eu saiba, é algo que se fala à muitos anos, aliás, desde que tenho memória que se fala nisso, portanto, não é nada de novo. Infelizmente, como latinos que somos, gostamos mais de atribuir a terceiros as culpas do que admitir, que afinal, os outros foram melhores e que nós cometemos erros. Em relação ao que se passava à 40 ou 50 anos atrás, pelo que os mais velhos me contam, existia um maior respeito pelo próximo, um maior respeito pelos pais, um maior respeito pelos mais velhos. Actualmente vemos putos que não respeitam nada nem ninguém e se ainda fossem casos esporádicos..., o problema é que não é ! O futebol é um género de espelho da sociedade.

É ai que eu quero chegar,apesar de hoje

em dia existir a tal etiqueta e status social,etc,etc... decadas atrás as pessoas eram mais simples e menos complexas,no entano respeitavam-e muito mais,respeitavam os seus lugares como indíviduos e individuais,e os jovens sabiam o que era uma figura da auturidade,e existia mais respeito no geral para com as normas de Deus até,mesmo existindo algum uso de linguagem mais simples,menos própria em alguns casos...No entanto o que diz é verdade,nos moldes da sociadede de hoje,nada como algum decoro e respeito se exigia,mas é como se sabe,a sociedade está a descarrilar e é o que se vê...E acaba por ser uma bola de neve...