Já não há amor à camisola? | Relvado

Já não há amor à camisola?

 

canossa considera ainda que quanto mais cedo todos nós nos apercebermos disso, mais cedo os Maniches, os JMPintos, os Fernado Mendes, os Futres e Jaime Pachecos deste mundo passarão completamente despercebidos...."

diversos:

Comentários [16]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

isso n existe!

Amor á camisola ja n existe...pelo menos no futebol profissional. Salvo raras excepcões (candido costa/paulinho)ele n existe. O verdadeiro amor à camisola só existe nos distritais e no hokei em patins! N acreditam!? Entao vão ver algum jogo dos distritais ou algum jogo de hoquei em patins, e depois digam-me alguma coisa!!

Esqueceram-se de alguém muito importante!

Ultimamente não tenho feito comentários no Relvado.com porque os artigos cada vez são mais repetidos e sem qualidade. Isto não é devido aos editores ou aos relvinhas, mas a situação actual do futebol:
1º não há futebol jogado. Aquele futebol de que todos gostamos
2º 90% das notícias implementadas pela imprensa são falsas... Algumas delas chegam a ser ridículas.

Depois de ler este artigo e os seus comentários, penso que todos se esqueceram de alguém com o verdadeiro amor à camisola:
Aquele defesa direito do FCP, que esteve há algum tempo no Real Madrid... Veio para o Porto, foi criticado por tudo e por tudos (por mim inclusivé), teve "rivais" à altura na mesma posição e conseguiu sempre passar por cima de tudo...
Pode ser um jogador sem técnica, mas é dos jogadores que tem amor à camisola. É um dos jogadores que eu referi que talvez deveria ter ido ao Mundial, porque o seu empenho num jogo é inesgotável, e acaba por ser um jogador muito útil!

Actualmente estão todos a dizer que o FCP contratou 2 excelentes laterais e que o Paulo Ferreira vai tirar o lugar ao Secretário nas "calmas", mas eu duvido. Penso que ainda vai dar mais alguns anitos no futebol português.

#Relvado na PTnet

Mantorras

O Mantorras é que foi sincero e até quando foi apresentado no Benfica ,disse que era sportinguista e não o ia esconder !

Re:Mantorras

Nisso é que ele é mesmo igual ao Eusébio, agora no resto...

Saudações Leoninas,

Ainda existe amoa á camisola...

Depende é da camisola, se fôr uma Giorgio Armani, uma Dolce&Gabanna, uma Prada... ainda existe amor! cuidado mas tém de ser verdadeira contrafacção não!

Re:Ainda existe amoa á camisola...

Concordo plenamente consigo.

Fez uma leitura dos factos com piada, mas se calhar na realidade essas camisolas são as únicas pelos quais os jogadores tem verdadeiro amor.
Um abraço

Re:Ainda existe amoa á camisola...

ainda tem duvidas...
Abraço

linguagem ultrapassada

No futebol como noutras actividades, é frequente a linguagem não acompanhar a evolução dos factos. É assim que na era do futebol-negócio se continua a falar de amor à camisola, realidade doutros tempos.
Já imaginaram um gestor recem contratado pela Sonae dizer que era belmirista desde pequenino?
O que um profissional deve dizer, e cumprir, é que vai ser um bom profissional. O resto é show off para enganar ingénuos

Neste assunto...

... estou com o nosso amigo Morphy:
Qualquer profissional tem o direito de mudar de empresa. Mas como qualquer profissional que se preze, tem que dar o máximo enquanto estão ao serviço dessa empresa (neste caso: clube). Tudo o que for menos que isso é ser um reles mercenário...

Saudações

Fernando Santos dixit

"No dia em que um homem se torna um profissional de futebol deixa de ser adepto ou de ter simpatia por um clube"
(ou coisa parecida...)

Não vejo o que tem de especial que um profissional procure as melhores condições possiveis. Se é assim em todo o lado, havia de ser diferente no futebol profissional, em que a carreira é muito mais curta ?

O verdadeiro amor á camisola acabou quando começou o profissionalismo.

O amor á camisola por conveniência acabou quando entrou em vigor a "lei Bosman".

Só que os jogadores ainda não mudaram de K7 e dizem as baboseiras do costume em cada nova apresentação...

Claro que há excepções como Rui Barros no FCP ou Iordanov no SCP, mas são isso mesmo: excepções.

Temos que

ver as situações ...

por exemplo ao Maniche o JVPinto nem levo a mal, foram postos de lado pelo seu clube (já não é o caso do Cascas ...)

o que eu acho estupido é um jogador não poder assumir que é doutro clube... ou fazer aquelas belas declarações .. quando o que eles gostam é do guito ..

se o Simão assumisse publicamente que era do Sporting eu ainda lhe dava mais valor por jogar daquela maneira no Benfica ... demonstra profissionalismo exemplar.

PS: podia acrescentar a lista de jogadores com amor à camisola o Rui Costa ...

ainda ha!

ainda existe amor a camisola,e o meu clube o fc porto esta bem servido,jorge costa,victor baia,paulinho santos,secretario,etc...

quando se fala no jankauskas e no que ele disse,nao considero que ele tenha errado,pois ele disse que o slb era uma religiao...mas só para os socios

prova de amor a camisola,existe o jardel,quando estava no fcp e marcava um golo beijava o emblema do clube na camisola,isso é que era amor...

Amor à camisola

Jankauskas , Simão e Jardel , cada 1 é exemplo do amor à camisola ...
Jankauskas :"O SLB é uma religião"
Simão: "Em Portugal só jogo no Sporting"

Uma coisa são as trocas de clubes feitas em Itália , são trocas transparentes e os jogadores não fazem falsas declarações de amor . Em Portugal declaram amor eterno a um certo clube mas depois quando mudam para outro grande vêm com a desculpa que são profissionais e que nunca prestaram tais declarações ! O Figo fez o mesmo . Na mesma semana em que aparece na capa da Marca a dizer que o Barcelona era o clube do seu coração , assina pelo Real Madrid. Os adeptos catalães ficaram indignados e sentiram-se traídos com razão !

amor à camisola

em parte é verdade que já não existe amor à camisola por parte da grande maioria dos jogadores.
Já não existem muitos jogadores como André, João Pinto ( o do Porto), ou como Toni e Humberto Coelho.
Felizmente ainda temos o Jorge Costa, o Paulinho, o Baía, que carregam consigo o amor à camisola azul e branca e consequentemente asseguram a passagem da "mistica do dragão" aos mais novos.
Se estiverem atentos já se vêm resultados disso, reparem no Cândido e no Ricardo Costa.

Re:amor à camisola

O Cândido foi formado no Benfica , deve ser tão portista quanto o Maniche !

Candido e RCosta são diferentes!

Tás enganado e isso posso garantir-te: o Candido é de S. Joao daa Madeira e enqto puto ia às Antas de bandeira e cachecol, juntamente com o pai, pagava incllusivamente as quotas enqto jogava no slb....compará-lo com o maniche incomoda-me

Qto ao Ricardo Costa, aí sim eu tenho dúvidas. Acho q a forma como ele joga é 1 questão de personalidade e n sinal de ser portista, pq ele foi formado no Bessa....

cumps
canossa