Camuflar o clube do coração... | Relvado

Camuflar o clube do coração...

 

Para Costinha e Rui Águas não foi necessário, o rendimento em campo e os golos que eles marcaram foram suficientes.PS: Antes ocultar a sua verdadeira cor clubística do que cair no ridículo de dizer, com um sorriso amarelo, que se é do clube desde pequenino!almeida.s

diversos:

Comentários [71]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Benfiquistas

Quaresma, Moutinho, Miguel Veloso e Ricardo. Todos nasceram Benfiquistas, que dão tudo por clubes que não o deles. Aliás um futebolista profissional deixa de ter clube do coração. (Salvo raras excepções). (Fui colega de escola de um deles)

O QUARESMA BENFIQUISTA AHAHAHAH

«FILHOS DA PUTA SLB, FILHOS DA PUTA SLB, FILHOS DA PUTA SLB!» Não foi o que ele gritou?

Re: O QUARESMA BENFIQUISTA AHAHAHAH

Também o Nuno Gomes gritou algo do genero ao Pintinho

Re: Re: O QUARESMA BENFIQUISTA AHAHAHAH

petit e simao tambem nao esquecas

Lol, vê lá se o plantel do Sporting não é todo...

...amelanciado. Moutinho Benfiquista,há gente com um dom especial para fazer rir,sem dúvida.

Re: Lol, vê lá se o plantel do Sporting não é todo

Sabes quem é o pai do Moutinho?????

Re: Lol, vê lá se o plantel do Sporting não é todo...

Mas ele foi de facto benfiquista. Pode é já ter passado essa fase, tal como o Nuno Gomes o parece ter feito.

Re: Benfiquistas

Colega de carteira com o Ricardinho que lindo...........

Re: Re: Benfiquistas

Do Ricardo... Exactamente

http://pt.wikipedia.org/wiki/Nuno_Gomes

Nascido Nuno Miguel Soares Pereira Ribeiro, mudou o seu último nome em homenagem ao seu ídolo de infância Fernando Gomes.

Um desses exemplos é o Marco Ferreira...

Quando se transferiu do Vit. Setúbal para o FC Porto, ele próprio disse que era um sonho jogar no clube da cidade invicta. Quando mais tarde veio a confirmar-se no Benfica já disse que o clube do seu coração é o Benfica. Isto é uma autêntica contradição, quer dizer que quando se transferir por exemplo para o Penafiel, vai dizer que sempre quis estar nesse grande clube. Talvez por ele ser tão incoerista que não sai da "cepa torta" no benfica... lol cumps

Re: Um desses exemplos é o Marco Ferreira...

A estes, (+ - 99%) aplicam-se algumas expressões poulares: Vira Casas; Troca Tintas; Cata ventos; etc, etc.

Off...A importância da bola na sociedade

Estudo realizado à lupa da imaginação Este estudo tem por principio a análise do tamanho da bola na idiossincrasia das sociedades americana e portuguesa. A importância sócio-cultural da redondinha na estratificação do pensamento destes dois colossos mundiais nunca foi, até hoje, devidamente estudado, e os poucos estudos efectuados nesta grande-area (lembro-me de algumas pesquisas do Dr. Pumpkin, do Dr. Balls e mesmo do eminente cientista grego Dr. Pappabolas) foram fechados em gavetas bolorentas, em gabinetes trancados a sete chaves, e como será de esperar, mais cedo ou mais tarde darão origem a mais uma centena de episódios da famosa série Ex-Files: Ficheiros secretos. Pois para mim chega: se querem esconder que nós, lusitanos de pelos no buço e nas ventas, somos de uma casta superior, não contem comigo. Vou meter a boca no trombone. Vou inchar as bochechas nos lábios do trompete. Vou sanfonar e abanar com tudo. Vou fincar os dentes na gaita-de-beiços. Não, não me interpretem mal, eu não sou o homem dos sete-instrumentos… sou apenas aquele que vai contar TODA A VERDADE!!! O.k. vamos lá… Por acaso vossas excelências sabem qual é o desporto rei nos EUA? Sabem, não sabem? Sim, isso mesmo, aquela coisa a que eles chamam basebol, e que se joga com uma bolinha minúscula e com um bastão de rufia. Agora comparem isso com o nosso futebol com bola de gente grande e imaginem o complexo que eles, americanos de muitos dollars, devem sentir em relação a nós, portugueses de tomates no lugar. Que humilhação, que desgraça…que ultraje!!! Pois bem, chegados a este ponto convém, agora e aqui, relembrar um pouco da história do Basebol. No princípio era a bola. Pequena e enfezada, esquiva e esguia, era uma bola difícil. A ideia, claro, era pontapeá-la como nós fazemos por cá. E bem que tentaram os “gringos”, língua presa entre dentes e olhos colados nas formas pouco avantajadas da redondinha. Mas o resultado foi catastrófico: em 95% dos casos, se a matemática não me falha, o objecto atingido não era a bola mas sim a canela dos jogadores adjacentes. Pernas partidas, dedos pisados, fracturas e entorses, tudo acontecia, e a cabra da bola quietinha, nem um centímetro se deslocava. A raiva crescia a olhos vistos nos olhos espantados dos americanos. E se melhor a sentiam mais depressa a demonstraram. Armados de paus vingaram-se da coitada da bola, que, sem culpa no cartório, se viu enxovalhada, vituperada e, ainda por cima, agredida. Isto continuou por quase uma década. Dia após dia os hospitais americanos eram inundados por jogadores de bola feridos no seu orgulho. Mês após mês. Ano após ano…tudo era sangue, suor e lágrimas. Até que, EUREKA, alguém farto de levar pontapés desde a tíbia ao fémur resolve por a cabeça a funcionar e disse: Amigos, a partir de hoje acabaram-se os pontapés. Nós nunca fomos muito bons da cintura para baixo, como descobriram há muitos anos as nossas «wifes», por isso mostremos que com um pau na mão somos tão viris como qualquer latino ou Valentino. Toca tudo a andar à paulada à bola. Foi assim, caríssimos amigos, de paulada em paulada e de humilhação em humilhação (que pena eu tenho das «wifes» dos cowboys) que nasceu a tradição e a grandeza do Basebol. Que efeitos teve nos americanos esta notória falta de jeitinho para a coisa? Que consequências psico-motoras lhes podemos detectar? Que atrofias e anomalias? Ok…Vou meter a bolinha vermelha no canto do texto pois está parte pode ser dolorosa e ferir susceptibilidades. 1º - Todos nós sabemos da pouca propensão americana para saber de geografia. A explicação é clara e inequívoca: Ao verem um Globo Terrestre, que tem mais coisa menos coisa, o tamanho de uma bola de futebol, ficam de olhos trocados e confusos. A habituação à pequenez da bola de Basebol encurtou-lhes as vistas, coitados. 2º - Porque razão são os americanos conhecidos pelos “Uncle Sam”? Vejam bem amigos, e não se deixem embustar. A palavra a que devemos dar crédito é ao Uncle e não ao Sam. E porquê? perguntam vós todos em coro. Já repararam que aquilo por lá é só tios. Tios, tias e afins… E a razão é muito simples: como a virilidade lhes fugiu para o bastão a paternalidade é quase um acaso por aquelas bandas. Os pais estão em extinção e proliferam os “uncles”. 3º- Coca-Cola, diz-vos alguma coisa? Ok, estou a ver que está tudo a pensar na estória do Pai-Natal mas esqueçam. Isso são estórias mal contadas. A Coca-Cola inicialmente não era mais que um hipnótico concebido para dar a sensação ao povo que cada partida de Basebol era, nada mais, do que uma partida de futebol. Ele era só Maradonas, Péles e Eusébios…entre trips e alucinações. 4º Fica para quando eu tiver paciência 5º Já tenho o Bush à perna, por isso bye,bye… 6º Socorro…já vou a caminho de Abu Ghraib. Socorro …eu não sou terrorista!!! End…

Re: Off...A importância da bola na sociedade

Mas será que alguem leu este testamento, eu nao, ó amigo escreve um bocadinho menos que pode ser que alguem consiga ler os teus comentários

Pudera...

Com aquilo que o Nuno Gomes ganha (financeiramente) no Benfica já lá vão 8 anos... Também eu levava o clube no "coração"!! cumps

Re: Pudera...

O clube no coração, um grande casarão, um carrão, um mulherão e mais uma teca de coisas que um simples funcionário público, por exemplo, leva uma vida a construir (se conseguir).

Re: Re: Pudera...

Imagina um funcionário que não é funcionário público...

Pá mas tu ainda acreditas no Pai Natal?

Os jogadores da chicha tem lá clube do coração! Os gajos tem é contas no Bes, no Bcp e investimentos em resorts no Allgarve. E louras parideiras sempre prontas para o coito e para a procriação. Saudações leoninas

Re: Pá mas tu ainda acreditas no Pai Natal?

eu dei o interresante (curiosamente ainda não apareceu mas senão aparecer saberão que o dei) devido a um comentario sem tretas pelo meio em que em poucas linhas tá tudo dito para bom entendedor meia palavra basta

Realmente

"E louras parideiras sempre prontas para o coito e para a procriação" Isto é interessantíssimo e nada extrapolado. É mente de homem.

Re: Realmente

Ó Astoria não fiques tão...indignada! Para isso, já temos o Soares Franco!

Não é indignada, acredita

é mais desiludida...mas hélas. Ng anda aqui pra me agradar.

Re: Re: Pá mas tu ainda acreditas no Pai Natal?

Thanks.

Devo informar

que o despropositado foi meu, pela frase igual relativamente às loiras. Além de haver morenas e ruivas, ainda acredito que há quem case por amor. Cumps.

Re: Devo informar

Ahahahahah...amor por jogadores de futebol? Amor tem a minha mulher por mim e paciência pelas horas que eu passo aqui no Relvado quando deveria estar a cumprir maritalmente o que o senhôr padre aqui da freguesia me pediu...mas já agora, obrigado pelo despropositado. Eu serei sempre o primeiro a moderá-la positivamente aqui neste espaço democrático. saudações leoninas

Obviamente

que quando os comentários o justificarem, serei a primeira também a moderá-lo positivamente, como já fiz antes. Neste caso, mantenho o digo.

Não rapaz... percebeste mal...

O que a Astoria quis dizer com casar por amor era: Casou com ele por amor ao dinheiro, porque interesse nele não tem nenhum...

Re: Re: Devo informar

Acredito que haja umas que escapem. Embora a grande maioria seja mesmo pelo dinheiro do gajo lol.

Re: Re: Re: Devo informar

Só se for a do Rui Costa...pelo que já ouvi, aquilo parece casamento à cigano...desde a adolescência...e talvez como prova de que não há interesse extra-conjugal no casamento do homem, eu comprovei que as contas que o Rui Costa tinha no banco onde eu trabalhei, eram apenas singulares, ser referência a segundo titular...ops, que já violei o sigilo bancário do homem!!! Saudações leoninas amigo Tello

Re: Pá mas tu ainda acreditas no Pai Natal?

Ponham um interessante neste comentário que foi curto e grosso mas disse tudo!