Brasil, um país diferente | Relvado

Brasil, um país diferente

 

É claro que não é exemplo único no mundo. A Argentina, para citar outro caso, apresentará valores parecidos - como no site não estavam ou estavam muito incompletos os dados não os ponho no artigo. Mas o Brasil parece mesmo ser o verdadeiro berço do futebol mundial e é rara a equipa europeia que não dispõe de pelo menos um jogador brasileiro a actuar nas suas fileiras. A que acham que se deve este fenómeno? Condições genéticas? Climatéricas? Popularidade do desporto?Enfim, gostaria de conhecer a opinião dos Relvas sobre o assunto.JPS
SameDifference

diversos:

Comentários [24]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

E quase tantos argentinos o que é incrível!

O Porto tem os tais 33% de portugueses e valor muito semelhante terá de argentinos (7 plantel!) o que não deixa de ser um valor muito significativo. Aliás eu hoje em dia já tenho uma afeição pela própria selecção das pampas, tal a afinidade que esse paíss tem com o meu clube. Já agora o Porto ainda tem: 3 internacionais do Uruguai 2 internacionais da Colômbia. Para além de 4 brasileiros. Ou seja, temos 16 jogadores sul-americanos!

O meu Benfica não anda muito longe

Temos 4 argentinos, 7 brasileiros, 2 uruguaios, 1 paraguaio. 14 sul-americanos. No onze titular, 9 sul-americanos.

As explicações são várias!

Para além das avançadas pelo relva tmdc2009 que são interessantes mas, em minha opinião, não esgotam o assunto, há outras que importa considerar! Por um lado, no Brasil, as crianças vivem e pensam futebol desde a mais tenra idade e jogam nas ruas e nas praias um jogo simples de praticar que os atrai e que lhes oferece um sem número de ídolos a quem imitar! E, com efeitos genéticos ou apenas ambientais (não sei) a verdade é que o Brasil produz um número quase infinito de bons jogadores de onde saiem muitos excelentes! Em consequência da qualidade dos seus jogadores o Brasil ganhou grande fama como produtor de futebolistas (numa escala mais reduzida fruto de diferentes tamanhos o mesmo se aplica à Argentina) e não há equipa a sério por esse mundo fora que não tenha o seu jogador brasileiro! Mas a questão prende-se também com a capacidade económica dos diferentes países! É que os exemplos apontados no artigo são todos de países do primiro mundo, da União Europeia, desenvolvidos e com um poder económico muito superior ao Brasil. Logo, será mais fácil esses países atrairem jogadores brasileiros de bom nível que o Brasil conseguir atrair jogadores desses ou mesmo doutros países!

Ao fim de 19 anos o CLUBE BIMBO... Capítulo XIV!

E finalmente chegamos a 1978 fim da SAGA BIMBA – PÉRIPLO do Deserto BIMBO. E ao fim de tão prolongado jejum de 19 anos o F.C.Porto voltou a vencer. Já incomodava tanta «malapata… parecia mais o suplício de Sísifo». 1978 – E temos o «jogo do ano» em Janeiro??? Vai o Clube BIMBO jogar ao Estádio da Luz campo do Clube Índio/Lampião. Na véspera da partida, José Maria Pedroto saiu-se com frase que haveria de ficar na história do futebol Português: «Temos de lutar contra os ROUBOS de IGREJA no Estádio da Luz.» Quanto ao futebol jogado dentro das quatro linhas ficaria, contudo, muito aquém das expectativa, a começar pelo resultado que ficou sem golos… No término Toni, «capitão» do Benfica, disparou: «Lamento que o F.c.p., com o plantel que tem, necessite de estratagemas de bastidores para discutir o título… Até sonhei, esta noite, que o Clube dos BIMBOS ia ser Campeão com os benefícios da arbitragem. O cavalo-de-batalha (não confundir com o Cavalo da Batalha “Vila” que não é mais que a estátua equestre de D. Nuno Álvares Pereira) do sr. Pedroto passou a ser os árbitros.» O árbitro foi Alder Dante e dele disse Pedroto o “Maroto”: «Impecável.» P.s. – Palavras para quê era um artista Português… Fevereiro de 1978 – Óscar o tal, que fora libertado das garras da PIDE após a Revolução de 25 de Abril de 1974 e jogava no Estoril Praia, estava com um pé no… Sporting. «Sportinguista desde pequenino» (mais tarde a frase passou a fazer parte do anedotário futebolístico de todos os clubes, quando um jogador se transferia… dizia que era do tal desde menino???). João Rocha ao saber que o tal Óscar que até tinha passado por campos de concentração, nunca trocaria o S.C.P. por outro Clube e mandou-o esperar. Esperou até Américo de Sá e Pinto da Costa o terem procurado e mandado… assinar. «Sou Sportinguista dizia o pobre Óscar, mas também sou profissional, logo…» No Estoril pagam-me 25 contos mês o F.c.p. ofereceu-me 92 e mais cinco contos para « subsídio de residência». P.S. - E era um homem triste e amargurado com a vida, não acreditava nos homens, depois de ter sido DELATADO pelo melhor amigo que o tinha entregue a agentes da PIDE por dizer que pertencia ao PAIGC, mas olho para o negócio… TINHA!!! Valentim Loureiro, que era apontado como futuro presidente do Boavista, sofreu, no Porto, um enfarte do miocárdio. E, apesar de estar a recuperar bem, no leito do Hospital de Santo António, no ar pairava a hipótese de não se ver consumada a chegada a presidente do Boavista e as gentes do Bessa, depositavam muitas esperanças em que tal acontecesse… (O futuro trouxe o bom o mau e ainda não acabou a novela…) P.s. – Por aqui se vê erva ruim… não desaparece ao primeiro uso de pesticidas sulfatados!!! Março de 1978 – Em jogo nas Antas, para a Taça das Taças, estava o F.C.Porto, em derrapagem devido ao «pressing» do Anderlecht, mas suspiraram de alívio as gentes BIMBAS quando o árbitro decidiu interromper o jogo, após o intervalo, devido ao estado do terreno…???!!! No desafio de repetição o Porto venceria com um golo de Gomes e Pedroto ainda se queixou do árbitro: «Tão espalhafatoso, só poderia ser para dar nas vistas que nos roubou um “penalty” do tamanho da Torre dos Clérigos.» Já o jogador Rodolfo queixava-se da areia «que fora colocada, pela tarde por causa da chuva – quando tentava arrancar, enterrava os tornozelos e ficávamos presos». Pelo terceiro ano consecutivo, o Sporting Clube de Portugal eliminava o Clube dos Índios/Lampiões da Taça de Portugal (3-1) em Alvalade. O Porto venceu por (3-0) o Gil Vicente; o Varzim bateu o Riopele, em casa deste por (2-1); e o Sp. Braga, em Faro, ganhou por (3-1). O Norte conseguia assim um lugar na final. Pelo menos… Abril de 1978 – Com estrelinha sim, mas também com estofo (de campeão obviamente), veio o F.C.Porto do treinador Pedroto vencer a Alvalade por 3 a 2. Com o marcador a duas bolas o guarda-redes Sportinguista Botelho, permitiu que uma bola chutada do meio da rua por duda, entrasse na sua baliza. Um… «FRANGO», para felicidade de Pedroto. E o Sporting que já estava em contacto com Milovad Pavic, apressou-se a fechar o contrato com este treinador, que servira o Benfica em 1974. Em Belém houve mosquitos por cordas, após um empate com o Estoril (0-0), um grupo de inconformados Belenenses agrediu o treinador do Clube, António Medeiros. A direcção dos de Belém indignada com o procedimento daqueles consócios, considerou-se demissionária. E Medeiros declarou: «Se não demovermos a direcção, no jogo com o Feirense terão de jogar os “JUMENTOS” que arranjaram esta situação.» Maio de 1978 – À 25ª jornada, mais um arranque do Clube dos BIMBOS, que foram vencer no Estádio do Bessa, o Boavista, já com Jimmy Hagan como treinador (os treinadores eram sempre os mesmos saltavam de clube para clube como quem mude de roupa interior), por 2 a 0, enquanto o Benfica empatava na Luz (0-0) com o Sp. Braga e o Sporting foi vencer ao Restelo por (1-0). Salto importante dos Portistas quando o Campeonato Nacional entrava na recta final. As equipas iniciaram o «sprint» para o título, no «Nacional de Futebol». Os do F.c.p. estavam na frente e assim continuaram pois venceram nas Antas o Sp.Espinho por (4-0). No Bonfim jogava o Benfica. As arbitragens nessa época estavam na ordem do dia e «em anos vindouros seria sempre tema recorrente», acusava-se as equipas de arbitragem de favorecer à descarada a equipa do treinador Pedroto e mais discussão causaria a expulsão de Bento a 8 minutos do final, por ter empurrado, ou socado ou fosse lá o que fosse, um adversário. Toni ironizou: «O fiscal de linha merece uma faixa de Campeão.» A três jornadas do final do Campeonato. Nas Antas, em jornada exaltada e prenhe de emoções, o «jogo do título» gerou um empate, sem brilho e um desafio sem classe. Primeiro marcou o Benfica, por Simões???, auto-golo do defesa Portista logo aos 3 minutos de jogo. E o Clube BIMBO já em desespero, só conseguiu empatar, por Ademir a 8 minutos do fim. Toni atirou: « Foi a Providência que salvou Pedroto.» Pedroto comentou: «Uma vitória do Benfica seria o crime do século.» Mortimore respondeu: «O Porto? Não joga nada.» E Romão Martins denunciou: «Se o árbitro (Manuel Vicente) não é compadre de Pedroto, como tal se tratam. E um é da Régua, o outro de Lamego. O livre de que resultou o golo de ademir, não existiu.» Junho de 1978 – Na penúltima jornada do «Nacional», foi o F.C.Porto empatar ao Académico de Coimbra (0-0). Em Coimbra, horizonte negro. Sob o signo do… académico de Coimbra. No futebol, mística perdida, ordenados em atraso e golos em falta. Nas restantes modalidades até… fome se falava que passavam os atletas. Domingos Grilo, dirigente do Académico de Coimbra, a propósito dos problemas e das fragilidades que não eram só no futebol, denunciou: «Estamos a lutar com tremendas dificuldades. Não sei onde o académico vai parar…» O Clube dos Índios/Lampiões venceu o Feirense por 2 a 0, as faixas de Campeão se já encomendadas pelos BIMBOS, tiveram de esperar até à última jornada. A 12 de Junho de 1978, hora de felicidade na «Invicta» com a conquista, pelo F.C.Porto, do título de Campeão Nacional da época de 1977/78. Os Nortenhos, nos derradeiros 90 minutos de um Campeonato competitivo e conflituoso, bateram um Sp. de Braga por 4 a 0, golos de Oliveira, Octávio e Gomes (2). José Maria Pedroto andou em ombros (qual Matador após enorme faena/façanha de 19 anos no limbo), na festa do orgulho Portista redescoberto. Como não podia deixar de ser tinha de lançar a sua atoarda: «Passámos de Pombinhos Provincianos a Falcões Moralizados.» Dixit “O Zé do Boné o Maroto/Pedroto”!!! Final da Taça de Portugal, no Jamor, entre o Sporting Clube de Portugal e o Porto, foi feita de cenas eventualmente chocantes no relvado e nas bancadas. O emapte a uma bola resistiu ao prolongamento e a decisão ficou adiada por oito dias (Finalíssima). Gomes adiantou o Clube BIMBO no marcador, mas Meneses empatou de grande penalidade (legítima), muito protestada pelos BIMBOS, os ânimos azedaram e os resto do jogo foram agressões, expulsões, picardias, acusações, um rosário de tristezas e mútuas acusações. Na Finalíssima, o troféu caiu nas «GARRAS VERDES (2-1)». Desta vez não houve batalha no campo nem brigas nas bancada. Os golos foram marcados por Vítor Gomes e Manuel Fernandes para o S.C.P., pelos BIMBOS marcou Seninho. Este prestes a encetar nova vida, no Cosmos, pôs o dedo na ferida: «O árbitro entregou a Taça ao Sporting.». O árbitro desta finalíssima foi um tal de Mário Luís de Santarém, partiu nessa noite para a China, integrando a comitiva do Sporting. Como prémio, bradavam os do Clube dos BIMBOS!!! Bibliografia, Jornais há época!!! Jadscl

jogam descalços na rua desde pequenos

todos dias,e o futebol é o desporto rei

A cultura de rua no Brasil,FUTEBOL...

Há uma inclinação no Brasil de fazer com que as agruras de uma certeza passem inevitavelmente pelo princípio do prazer.Na visão do exterior, este comportamento é associado a um entusiasmo quase infantil. Ri-se, muitas vezes, da próprio infortúnio. O Ronaldinho,no campo, costuma sorrir após perder um lance de golo.São as razões histórico-culturais deste "desinteresse pelo riso", tão banal no Brasil... A cultura de rua no Brasil é fundamentada no futebol como brinquedo, que se joga independente de qualquer resultado. Toda criança brasileira joga na rua, em praias, campos, a procura do divertimento, ao invés de procurar o golo. Existe uma cultura extensiva desse tipo de prática lúdica... De facto, é um carácter de riso ambivalente, que não se sabe bem como explicar – como alguém pode rir da desgraça? Mas acho que o futebol brasileiro só chegou a ser o que é porque limitou a idéia do resultado a qualquer preço, da fatalidade no jogo para obter um certo número, que, mesmo mínimo, se considere um triunfo. Saudações

O mistério é fácil

No Brasil ama-se jogar futebol e dai o resto é natural

Off: Fantasy Football

Tens um treinador dentro de ti? Sentes chutos-e-pontapés na tua barriga de cerveja? Gostas de tacticas e de polémicas? Tens um faro especial para snifar crakes? Então vem, junta-te ao Fantasy Premier League junta a tua força a nossa (juntos seremos invenciveis)!!!! Junta-te à liga "Relvado 2009" (código: 482648-109383)

Re: Off: Fantasy Football

Boa Tarde! Tenho uma grande admiração pela forma como escreves. Eu e uns amigos temos um projecto em mente. Gostava de falar contigo. Se estiveres interessado, envia mail: apedro333@gmail.com cumps

a título de curiosidade

em relação a jogadores estrangeiros nos planteis dos grandes de Portugal, o Sporting vai sempre metendo jogadores portugueses na equipa principal, como o guarda redes Patrício, Abel, Caneira, Moutinho, Veloso, etc.. O Porto no último jogo que fez jogou com Beto, Bruno Alves, Rolando (Nuno Coelho também entrou depois), Raúl Meireles e Varela. O Benfica no último jogo que fez, jogou com uma equipa titular com 11 estrangeiros.

Re: a título de curiosidade

De referir também que o mesmo benfica acabou com 4 jogadores portugueses em campo. É o sinal dos tempos e sinal também do pouco aproveitamento que se faz dos poucos jogadores portuguses de qualidade para jogar num dos 3 grandes. Cumprimentos

Re: a título de curiosidade

e sinal que o benfica não é nem nunca foi formador de jogadores e que prefere gastar rios de dinheiro a contratar atletas estrangeiros de qualidade duvidosa , a apostar mais nos poucos portugueses com qualidade que ainda podia aproveitar das suas camadas jovens .

Re: a título de curiosidade

formam tantos craques que ate foram roubar o eusebio a africa

Re: Brasil, um país diferente

Não acho que os jogadores brasileiros possuam mais predisposição genetica para a pratica futebolistica. Para mim existem dois factores relevantes: A popularidade do futebol, praticado tanto nas praias como na rua. E este segundo, como referiu uma vez um professor meu na faculdade, é o maior facto para o desenvolvimento tecnico dos futebolistas brasileiros, e passo a explicar. Diga-se a titulo de exemplo, o futebol praticado na alemanha, em que os miudos passam por um processo evolutivo, exclusivamente centrado nos clubes, ou seja, a partir dos seus 6/7 anos dão entrada num clube, estes na grande maioria das vezes apresentam excelentes condições, tem processos de treino mecanizados, etc. Por mais absurda que possa parecer a proxima afirmação, estes miudos alemães, usam equipamentos iguais nos jogos, ou coletes da mesma cor nos treinos, e ai esta um ponto chave. No processo evolutivo de um jogador brasileiro, este passa quase que necessariamente pelo futebol de rua. Futebol no qual este tem que levantar a cabeça, esperar, e identificar o colega que é da sua equipa. No futebol de rua, tem uma liberdade e um espaço reduzido para aprimorar as suas qualidades técnicas. Existe ainda o facto de estes jogadores numa boa parte das vezes transitaram primeiramente para o Futsal onde exploram ainda a sua componente tecnica e de toque rapido ao maximo, depois sim transitam para um futebol ja com menos liberdades, onde lhes domarão as habilidades.

Valores Económicos...

Um professor de Antropologia de faculdade apresentou-me a teoria dele para tal fenómeno que passo a explicar (do que ainda me lembro): Em países subdesenvolvidos, onde a pobreza é elevada, crianças nascidas nesses meios têm muito poucas possibilidades de sair deles. A percentagem de casos de pessoas que conseguiram subir na vida e mudar de classe à custa da educação é baixíssima, por diversos motivos: pouco incentivo à escolaridade, trabalho infantil, delinquência, etc. Existem no entanto certas actividades que quando bem executadas poderão ser lucrativas o suficiente para poder dar o tal salto de classe, como por exemplo determinados desportos, musica, representação, até a carreira de modelo poderá ser incluída aqui. Porquê determinados desportos? bem porque têm de ser desportos que não apresentem um elevado investimento inicial. É raro ouvir-se falar dum campeão de golf, tennis ou equitação que tenha vindo das barracas, pelo simples facto de serem desportos de elevado investimento financeiro assim como de suporte até darem lucro. Certos desportos, como futebol, atletismo não requerem grandes investimentos. campos é o que não falta, uma bola qualquer e um par de tenis. Pode um olheiro qualquer dar pelo talento dum miudo e orientar-lhe a carreira a partir daí. Aliás basta ver o percurso do Cristiano Ronaldo para perceber que foi precisamente isso que aconteceu. Logo, o futebol como as outras áreas indicadas (Sara Tavares no exemplo da musica, a par da Tina Turner) são vistos como forma de fuga "fácil" do gueto. Nas sociedades "desenvolvidas" em que a percentagem de população pobre é inferior, existe uma maior percentagem de população a ser incentivada a "subir na vida" à conta do trabalho e da educação. Uma prova disto são as constantes histórias de "coragem e persistência" dos grandes jogadores de futebol que vieram do gueto (Ronaldo, o gordo; CR, Eusébio, etc) e ser tão raro a história do menino que já era rico e se tornou estrela (lembro-me agora do caso do Dani, do David Luiz e do Kaka). Se esta teoria ajudar a explicar a atracção dos jovens pobres pelo futebol, também ajuda a explicar porque os países com essas populações baseiam mais o seu campeonato em jogadores nacionais (muita mão de obra) e muito mais exportações., uma vez que nos países "ricos" não haverá tanta gente "desesperada" por singrar no futebol, preferindo os estudos (até por incentivo familiar)

Re: Valores Económicos...

Pois.

Re: Valores Económicos...

Concordo em absoluto com o que escreveste mas tambem falta acrescentar alguns pontos. Por exemplo, só o Brasil tem 180 milhoes de habitantes, a grande maioria jovens. Outra coisa a ter em conta é que no Brasil, assim como em Portugal, o futebol é o desporto numero 1 o numero 2 e o numero 3, depois é que vem os outros.

Re: Valores Económicos...

Curtis, nesse ponto tens obviamente razão! eles são muitos e pr'além de serem muitos têm no futebol uma procura muito grande. mas esta teoria ajuda a explicar porque os melhores corredores do mundo de longo curso são africanos. Ao contrário do "curto curso" (100m e 200m) que são na sua maioria americanos(pois exige um estilo de treino e de físico mais exigente economicamente) o longo curso exige mais pulmão e nesse campo o treino não é muito custoso(financeiramente). Lembram-se de vencedores que corriam descalços? eheh, nem sequer são necessários tenis para correr ;-)

Re: Valores Económicos...

Tens razão e apresentaste bons argumentos, gostei, mas além disso tens que ver o poder económico de cada país, e sabes que de certeza não há nenhum clube no Brasil que possa pagar 90 milhões por um jogador, além de que o mercado europeu fica muito longe, no Brasil jogaram gajos como o Tevez e o Macherano, por exemplo, que são dali de perto, além de que eles têm balúrdios de jogadores, como se sabe, e não precisam muito de importar. Acho que nós temos muita estrangeirada porque os brasileiros entravam aqui facilmente e porque para nós um argentino fica barato. Os ingleses não exportam muito porque têm um estilo muito próprio de jogar, apesar de haver gajos como o Lampard, que jogaria bem em qualquer clube, mas como eles são muito nacionalistas e recebem muito bem, tendem a ficar pela ilha.

Re: Valores Económicos...

Sim, concordo contigo, aliás nenhuma teoria deixará de ser simplista demais para explicar fenómenos... todo o jogador brasileiro que se preze, assim como argentino, paraguaio, colombiano, etc quer dar o salto prá Europa, pois aqui é que se faz dinheiro... depois podem acabar a carreira onde quiserem, mas a Europa é destino preferido e obrigatório para os considerados jogadores de Elite. A Teoria que apresentei relaciona mais os custos associados à pratica do futebol com a capacidade financeira dos povos em questão, o que sugere que no brasil não sejam mais dotados geneticamente, simplesmente procurem mais utilizar essas capacidades. Países como o Luxemburgo e Suiça, considerados dos países mais ricos do mundo, não têm cultura praticamente nenhuma desportiva. No entanto a Suiça já teve 1 ou 2 belíssimos jogadores... quem diz que não há lá mais? mas eles preferem seguir outros rumos... O mesmo com a musica, cinema, etc...

Re: Valores Económicos...

Teoria interessante e por concordar em grande parte com ela dou um bem escrito. Entendo que devemos saudar os comentários de boa qualidade e o seu é um deles. Cumprimentos

Re: Valores Económicos...

confesso que a teoria original, tal como escrevi no meu cometário não é minha... mas tentei adapta-la à situação em questão. Mais do que questionar quais os clubes que têm mais estrangeiros ou não, sempre procurei questionar\comparar quais os campeonatos que têm mais tendência para importar e exportar... por exemplo os espanhóis nunca foram muito de exportar jogadores... não se vê assim tantos espanhóis a jogar em diferentes campeonatos... tal como não se vê italianos a sair em barda de itália E nos anos 80 só o Paul Ince era o Inglês fora da premier league, pois jogava e Itália. Ora porque é que estes países exportam tão pouco e depois até importam ns quantos? Vê-se tanto o campeonato inglês, como o espanhol a ser valorizado grandemente pelas estrelas estrangeiras que lá joga. A linha de raciocino poderá ser a mesma: não forma jogadores em quantidade, uma vez que o desporto em si não é tão valorizado nas classes baixas, por não existirem em tão grande quantidade. Por outro lado é procurar na F1, Rallies, Hipismo, atletas que tenham tido uma vida difícil. São desportos que pelo investimento inicial e de manutenção exigem já se ter uma capacidade financeira considerável até se começar a ter lucro. Quase todos os actores de gabarito americanos, nas suas biografias, começaram em zonas pobres, mudaram-se à procura dum sonho, para LA e trabalharam a servir às mesas ou dormiram onde calhou. porquê? Porque para ser actor não precisavam de curso especifico nem sequer dum investimento muito grande. mas precisariam, caso estivessem longe de casa de forma de se sustentar. ora como também não sabem fazer muito mais, servir ás mesas é fácil e paga o suficiente para aguentar enquanto se espera aquela oportunidade.

moderado com interessante

Re: moderado com interessante

Muito Obrigado!