«Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Quique Flores | Relvado

«Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Quique Flores

 


«Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Quique Flores
Apesar de ser da opinião de que a equipa do Benfica está muito próxima daquilo que delineou no início da época, Quique Flores considera que ainda está longe do pretendido, sendo por isso necessário ir «corrigindo movimentos». Na véspera do jogo com o Galatasaray, para a segunda jornada da fase de grupos da Taça UEFA, o técnico espanhol não atribui favoritismos, uma vez que, de acordo com o próprio, ambas as equipas têm «potencial muito similar». Da convocatória, destaque para o regresso de Di María.



Não obstante o facto de o Benfica estar a passar uma boa fase, alcançando resultados favoráveis, Quique Flores não esconde a ambição de ver a equipa chegar mais longe. No entanto, o técnico espanhol considera que ainda há um longo caminho a percorrer. «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», afirmou o treinador esta quarta-feira, em conferência de imprensa de antevisão da recepção ao Galatasaray para a segunda jornada da Taça UEFA.


Para o jogo desta quinta-feira, Quique Flores recusa falar em favoritismos, «pois o Galatasaray e o Benfica são equipas com passado na Champions, logo terão potencial muito similar». Para o técnico, o importante é o clube da Luz se apresentar «com boa atitude» para poder fazer «uma boa exibição, afim de os adeptos ficarem felizes».

Referindo que a formação turca «joga bom futebol do meio-campo para a frente», Quique Flores pretende que o Benfica assuma a iniciativa do jogo, garantindo que irá apresentar uma equipa em função daquilo que se pretende».

Da convocatória para esta quinta-feira, destaque para o regresso do argentino Di María que não participou no último jogo do Benfica devido a problemas físicos. Relativamente aos convocados de Guimarães, Quique Flores deixa de fora Fellipe Bastos, que foi chamado para jogar na Liga Intercalar, com o Torrense, no Seixal.



Confira os 19 convocados do Benfica:

+ Guarda-redes: Moreira e Quim
+ Defesas: Luisão, Maxi Pereira, Jorge Ribeiro, Sidnei e Miguel Vítor
+ Médios: Reyes, Katsouranis, Aimar, Ruben Amorim, Urreta, Binya, Di María, Carlos Martins e Yebda
+ Avançados: Cardozo, Nuno Gomes e Suazo





Fotos: Lusa


Benfica:

Comentários [21]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Finalmente Quique acertou no onze!

Os jogos com o Leixões, Penafiel, Hertha de Berlim e agora Naval não foram apenas jogos maus, isolados... Tiveram sim muitos aspectos comuns e que se repetiam no Benfica. Mas havia a segunda parte com o Sporting, jogo com o Nápoles em casa e agora este jogo em Guimarães! O QUE FEZ A DIFERENÇA ? 1. ENTRADA DE PABLO AIMAR A VERDADEIRO 10 E NÃO AVANÇADO EXPLICAÇÃO: A jogar na frente, mas solto e a vir buscar jogo atrás, ao lado direito, à esquerda, onde ele bem entender e assim sendo possibilita também que tanto Rubem Amorim como Reyes também possam variar a sua colocação vindo de vez em quando também para o meio. Assim, Aimar está bem posicionado e não lá na frente fixo como aconteceu nos primeiros jogos quer fez pelo Benfica.) 2. SAÍDA DE CARLOS MARTINS DO CENTRO DO MEIO CAMPO E APOSTA NA DUPLA YEBDA-KATSOURANIS EXPLICAÇÃO: Nos jogos com o Leixões, Penafiel, Hertha de Berlim e agora Naval faltava de poder para guardar a bola, escondê-la, abrandar o jogo quando é necessário, fazer a boa circular com mais de 4 ou 5 passes seguidos, o tal "toma lá, dá cá" de preferência no meio campo do adversário, longe da nossa área. O que sucedia? O Benfica não mastiga (no beom sentido) nem um bocadinho o jogo (aquilo continuava a parecer mais uma auto-estrada, via rápida!), baixava a linha defensiva e jogava com os dois pontas de lanças lá bem longe, só de binóculos os centrais os conseguiriam ver. Ora, para os pontas de lança terem jogo, o meio campo tem que ir levando o jogo, ataque organizado e criativo. Jogar com o Carlos Martins no meio campo era mau, porque: 1 - Yebda tem que jogar a 6, não pode participar nas acções ofensivas onde ele também tem boa leitura de jogo e até passa melhor que Martins, desgasta-se mais em acções defensivas (tem que fazer mais faltas, correr mais sem se notar ofensivamente - porque Martins é uma nulidade a defender!!! 2 - Martins erra muitos passes, tem muitas perdas de boa inconsequentes, quer jogar tudo de primeira, muito rápido, mas é precipitado, às vezes parece que se está a jogar matraquilhos quando ele deveria era tentar passes mais cirurgicos, mas não tem características para isso. Para mim se jogar Katsouranis a 6, Yebda joga a 8; se jogar Yebda a 6, por mim tem que jogar o Rubem Amorim a 8! 3. CARLOS MARTINS TEM QUE JOGAR NA ALA DIREITA (TITULAR OU SUPLENTE) EXPLICAÇÃO: Carlos Martins não pode jogar no miolo, pois perde muitas vezes a bola, muitos passes errados, muitos gritos, muita raiva, mas pouca precisão, criatividade, passes cirúrgicos. No entanto, ele até tem boa capacidade de explosão (atenção não confundir com capacidade de transporte de bola) e bom centro e remate. Acho que a jogar deveria ser sempre na ala direita, a titular ou então no banco (entrou muito bem em Guimarães, por exemplo). Foi nessa posição que fez apenas a melhor época até agora da sua carreira, quando jogava no Sporting comandado por José Peseiro. Por outro lado, Carlos Martins até me parece um jogador eternamente revoltado consigo próprio, ralha muito com os colegas e muitas vezes quando ele é que tem a culpa (lembro-me de um lance no jogo com a Naval em que mandou vir com Reyes ou Jorge Ribeiro quando ele é que inventou), e depois claro parece-me que os colegas de equipa não confiam nele, há passes mais arriscados ou quando está um pouquinho marcado que já não lhe metem a bola (vejo por outro lado que a Yebda, Katsouranis e mesmo Amorim mesmo que estejam um bocadinho marcados os colegas confiam em passar-lhes a bola). Ah e Martins a defender é uma miséria e nem me parece que se esforce! Eu quero o melhor Carlos Martins (o tal da ala direita do Sporting de José Peseiro) e não o pior Carlos Martins (o que refilava mais do que criava no centro do meio campo de Paulo Bento, até que este, compreensivelmente diga-se, desistiu dele…). Cabe a Quique Flores, relativamente a Carlos Martins, fazer melhor que Paulo Bento…

tem cuidado quiquas

Nao te cagues muito ,nem te levantes muito porque a queda pode ser grande,tas num bom momento mas nao facas mais do que es,es um treinador igual a muitos que andam no futebol,tens altos e baixos,reconheco que o benfica esta num momento bom ,e é nestes momentos que um treinador tem de passar sem ser percebido ,de modo a evitar euforias nos adeptos e consequentemente nos jogadores ,agora vou ser bombardeado na minha caixa de correio eheheheheheheh,saudacoes anti-.......

Como diria o agora Presidente dos EUA...

"Yes, We Can" :D Força Benfica!

Benfica

Estou confiante numa vitória, a equipa está motivada, é melhor que os turcos logo tem tudo para obter um bom resultado.

quique e um bom professor

gosto muito da maneira como o quique interpreta o futebol e as mentalidades. ja com trapatoni seguia com muita atencao tudo o que ele falava e aprendia-se sempre qualquer coisa. mentalmente, quique esta bastante evoluido

Oportuno

Nada melhor do que um banho de humildade e de alguma contenção para evitar a euforia de alguns. Mas a pouco e pouco vejo mudanças, vejo uma feliz conexão entre jogadores e adeptos, vejo união no balneário: Reyes: ... foi um gesto que me alegrou bastante, os meus colegas dizerem que iam correr por 11, fui para a bancada ver o final do jogo, e é verdade que tenho de agradecer aos meus companheiros todo o esforço que fizeram, não por mim mas pelo Benfica e pelos adeptos que acompanharam a equipa. O topo da inteligência é alcançar a humildade e ela é a base do sucesso! Quique está introduzir uma vertente que nunca existiu no futebol português.

Comentário: Oportuno

Moderado com Bem Escrito. Com os meus cumprimentos, JPS

Re: Oportuno

Oportunissímo!!!

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Desde Eriksson, que não via no Benfica um treinador com tanto potencial... (Exceptuando os poucos meses de Mourinho...)

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Bem se estas assim tão histerico,nem quero pensar quando ele ganhar alguma coisa.

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Lembro-me quando o grande Coças era o novo Mourinho. Ou seria o Fernandéz? Já nem sei.

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Koeman? ou o Fernando santos?? ou o JESUALDO?

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Onde está o histerismo do meu comentário???????

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Bem,estas a falar de um gajo que tem 4 meses de benfica.Desde o tempo do Erickson?!

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Não, repara curva. Ele fez um elogio ao treinador do Benfica. Não foi histerismo. Eu sei: Um elogio a alguma coisa do Benfica sem ser histérico!? Eu às vezes também me confundo. Mas foi só um elogio.

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Sim eu sei,mas convém não exagerar.O Penafiel que o diga :).

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Faz lá uma retroespectiva aos treinadores do Benfica desde Eriksson... Ivic Toni Artur Jorge Autuori Manuel José Souness Heijkens MOURINHO, (já referenciado por mim) Trapatonni. (Melhor que Quique, mas já muito maduro, eu estou a falar de potencial) Camacho Koeman Fernando Santos Não custa muito admitir que tirando Mourinho, Quique tem muito mais potencial que qualquer um destes...

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Camacho para ti era um Deus.Eu não me esqueço dos muitos comentários teus ,em relação ao Camacho.

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Eu sou o tipo de gajo que defende sempre quem está no clube. Camacho na primeira passagem pelo clube fez um grande serviço. Mudou mentalidades e deu boas perspectivas. Na segunda vez, já teve pior desempenho. No entanto digo dele o mesmo que digo de Trappatoni, pelos anos da coisa não tem tanto potencial como Quique. Desde Eriksson, foi dos melhores em conjunto com Trapattoni. Mourinho teve muito pouco tempo.

Re: «Ainda não estamos perto do que quero para o Benfica», diz Q

Trapatonni teve grande potencial no início da carreira, mas como tudo na vida, foi sendo ultrapassado. Mas compensa isso com uma sábia experiência.

Quique

Espero ver um benfica a conseguir fazer uma pressão alta com boa circulação de bola, penso que será isso que o mister pretende tambem já que o processo defensivo já está bastante bastante melhor.