Emprestados vão poder jogar contra clubes de origem | Relvado

Emprestados vão poder jogar contra clubes de origem

 

Nesta Assembleia Geral estão ainda em discussão o eventual fim do
sorteio dos árbitros e o preço dos bilhetes para a próxima época.

Já definida, na dita Assembleia, ficou a proibição de qualquer tipo de
publicidade ou de mensagem, escrita ou tatuada no corpo, ficando definido que
nos equipamentos dos atletas só podem figurar as mensagens oficiais e a
marca(s) patrocinadora(s) do clube.
A Liga decidiu também que os contratos desportivos dos jogadores terão que ser
assinados pelos próprios futebolistas e não pelos seus representantes, como se
verificava nalguns casos até ao momento.

Primeira Página:

Comentários [12]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Estou a ver

que vão exisir muitas lesões nos treinos este ano ... e logo na véspera de um jogo de uma equipe "amiga" ... lol lol lol

Re:Estou a ver. Caro slick.

O problema é que a partir de agora quando um jogador tiver o azar de se lesionar nas vésperas de defrontar o clube a que pertence, ninguem vai acreditar que a lesão é verdadeira.

Um abraço

é um começo

esta norma que vem tentar combater um hábito que instalou no nosso futebol de que eu discordo e que até teve como dos primeiros protagonistas na sua utilização o Porto.

Re:é um começo. Caro vputin.

Tenho a impressão que esta lei não vai durar muito tempo, pois apenas vai levantar mais suspeitas...tenho a impressão que vou ver os jornalistas gastarem muita tinta com este assunto...

Um abraço

Caro vputin

De certo que te recordas porque começou o FC Porto a actuar dessa forma.

Foram lançadas algumas suspeições acerca dos jogadores emprestados, recordando-me por exemplo da situação de Jorge Costa.

Esta situação, quanto a mim, vai levantar mais questões de suspeição, o que neste momento seria de evitar.

Há quanto a mim, questões muito mais importantes a serem debatidas.

Quando há situações de fundo a alterar na organização do futebol, esta e a da proibição de "publicidade nas camisolas interiores, tatuagens e afins", são detalhes, que se não fossem tratados, quase ninguém reparava.

Sendo o FC Porto, um dos clubes que mais jogadores tem emprestados, num exercício fácil de realizar, lá teremos um regresso aos tempos antigos, se é que me percebes.

Numa altura em que já não se ouve muito falar em árbitros comprados, etc e tal, era só disto que o futebol português precisava, quanto a mim.

Lei inútil

Esta nova lei que foi aprovada nunca irá ter nenhuma aplicação prática, uma vez que, na minha opinião, os jogadores emprestados continuarão a não defrontar as suas equipas.

Esta lei só teria aplicabilidade de os jogadores emprestados estivessem sempre obrigados a jogar, independentemente de todos os outros factores (lesões, opção técnica, etc).

Este tipo de negócio entre os clubes não poderá estar, a partir de agora, contratualizado mas irá existir sempre um acordo de cavalheiros para a não utilização dos jogadores nestas situações, sob pena de nunca mais receberem jogadores por empréstimo.

Esta é a minha opinião mas o futuro mostrará o que de facto irá acontecer.

Cumprimentos,
SinCity

Re:Lei inútil

Não sei...não estou por exemplo a ver um clube que tenha três ou quatro jogadores do Porto emprestados a dizer que esses jogadores não jogam por lesão quando tiverem que defrontar o Porto...daria muito nas vistas...e durante a semana seguinte ao jogo não se ia falar de outra coisa.

Um abraço

Re:Lei inútil

Quatro emprestados... 2 lesionam-se (choque entre os dois no treino) e 2 ficam no banco (opção do técnico).

Obviamente que em situações "extremas" como essa, dá muito nas vistas. Mas os clubes ao emprestar, se não quiserem que os seus jogadores os defrontem, emprestam menos jogadores a cada equipa de modo a que seja menos "estranho" os emprestados não aparecerem.

Finalmente . . .

Os jogadores emprestados vão poder defrontar o seu clube de origem, era inconcebivel um profissional estar a ter que ficar de fora da sua equipa apenas porque o seu clube não permitia.
Será uma boa forma até de os jogadores mostrarem serviço.
Cumps

E se....

É muito bonito falar na verdade desportiva. Mas e se por acaso no ultimo jogo do campeonato um jogador emprestado pelo FCP lhe marcasse um golo que lhe roubava o campeonato ? Acham que algum portista o queria ver mais alguma no plantel do FCP ?
Eu não, com toda a certeza.

Esperemos então

Que quando houver algum azar (do género "defesa emprestado marca golo na própria baliza em jogo contra a equipa que o havia emprestado") não se lembrem de vir acusar o jogador de beneficiar outro o patrão...

De qualquer forma se os clubes quiserem continuam a fazer isto. Não metem a clausula no contrato e fazem acordo de boca (e o jogador fica muito cansado no dia anterior ao jogo). Se o clube ao qual o jogador é emprestado não cumprir, da próxima não há emprestimos.

Até que enfim...

Parece que finalmente vai acabar a falta de verdade desportiva a que os grandes condicionam os pequenos, e que todos os orgãos que gerem o futebol são cumplices.

Agora poderemos ver duas equipas jogarem de igual para igual (mais ou menos), sem que os acordos de secretaria (alguns)tenham influência!!!

A não ser que fique tudo em aguas de bacalhau...