Comissão Disciplinar de novo sem quórum | Relvado

Comissão Disciplinar de novo sem quórum

 

Na base das demissões de Pedro Mourão e de Frederico Cebola estão as afirmações públicas de Valentim Loureiro que, no âmbito do processo de inquérito aberto pela CD ao "Apito Dourado", lamentou que no dia seguinte a esta acção «vinha escarrapachado nos jornais e tratando-se de um magistrado é lamentável que o segredo de Justiça não seja respeitado por quem exerce essas funções», considerou o presidente ainda em funções da Liga. Estas declarações não caíram bem no seio da CD, o que levou às demissões de Cebola e de Mourão. «Tais afirmações podem configurar matéria de natureza disciplinar», afiança ainda Mourão citado pelo O Jogo, salientando que vai também fazer uma participação do Major ao Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol.Susana Valente

Primeira Página:

Comentários [9]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

E de novo

Mais um balázio na credibilidade (pouca) do futebol português. Aguardamos pelos próximos episódios. Cumps.

A Liga a caminho do bloqueio?

Não possso concordar, de modo algum, com estas RENÚNCIAS (não foram demissões). Parece-me que seria muito mais digno e correcto se a renúncia referisse "que será efectivida dentro de"... 8 dias?... tudo seria melhor do que este "JÁ", que pode bloquear o funcionamento da Liga e, portanto, dos campeonatos. Mas quando é que é decidida a providência interposta pelo alegre Alves? A barafunda disciplinar pode vir a criar problemas sérios e de difícil solução regulamentar -vamos a ver. Entretanto, a ver vamos se Adriano Afonso se resolve a escolher, como "provisórios", os vogais eleitos nas últimas eleições -se é que eles têm coragem de "pegar na batata...a escaldar"!

O Major já não mandava na Liga

caso alguém não impugnasse as eleições... Mais a mais, provavelmente este polémico inquérito também não teria surgido.

Como se diz na minha terra...

...serviu-lhes a carapuça. O que o major disse é verdade pois o processo de inquérito «vinha escarrapachado nos jornais» logo no dia seguinte, «e tratando-se de um magistrado é lamentável que o segredo de Justiça não seja respeitado por quem exerce essas funções». Este senhores demitiram-se, mas faltou-lhes dizer uma coisa: "não fomos nós que violamos o segredo de justiça, e como não admitimos a suspeição demitimo-nos". Provavelmente não o fizeram porque não é verdade, e lá teriam de ser desmentidos. Assim meteram o "rabinho entre as pernas" e demitiram-se, feridos no orgulho por serem apanhados em flagrante no crime de profanação do segredo de justiça. Mas no estado que as coisas estão a própria justiça já parece um segredo: quase ninguém sabe que existe. Para quando a sentença no "apito dourado"?

Adriano Afonso

tão diligente a rejeitar as suas demissões e a nomear outro conselheiro, para tramar o Gil, certamente vai fazer agora o mesmo. OU NÃO?

Impressionante

mas ninguem despede este Major da treta?

Re: Impressionante

e os conselheiros, não são também da treta? souberam aceitar a readmissão para tramar o Gil, e agora que está feita a encomenda, vão embora

Re: Re: Impressionante

Isto está cada vez melhor.

major ou general

Não há dúvidas: - o negociante das batatas tudo faz para abafar o escândalo do apito dourado. Pudera! Ainda não sabe como vai actuar o novo procurador geral da república. É que se não for domesticável ainda vamos ver o campeão da lotaria em maus lençóis.