As alterações da FIFA e os golos | Relvado

As alterações da FIFA e os golos

 

O jogo até estava a ser bom, mais aberto do que a outra meia-final, mas depois do golo da França acabou o futebol.
Os gauleses limitaram-se a deixar o tempo passar, não arriscando nada e utilizando todas as manhas (depois nós é que temos truques!).Portugal não conseguiu empatar. Terá sido apenas por incapacidade própria? O Brasil com todas as estrelas também não foi capaz. Haveria alguma equipa capaz de furar, não só a qualidade, mas também a "quantidade" defensiva da França?O que pode ser feito para alterar este tipo de postura? O que pode ser feito para que os golos apareçam e não tenhamos jogos de 0-0 ou 1-0?tone

Campeonato do Mundo 2006:

Comentários [10]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Permitir que os lançamentos de linha lateral fossem executados de pontapé e não à mão. não permitir passes ao Guarda redes, mesmo que fosse de cabeça. marcar os pontapés de canto no vértice da grande áea com a linha do fundo. As faltas graves de quem defende, cometidas entre a grande área e a linha de meio campo, serem marcadas nos vértices a grande área.

Há algumas coisinhas que se podem fazer...

Tais como: 1. Terminar com as barreiras nos livres directos. 2. Suprimir a lei do fora de jogo em todas as situações de bola parada. 3. Modificar o regime de substtituições, permitindo que as mesmas se façam dinamicamente e em função das necessidades do jogo (ou seja um jogador substituído pioderia voltar a entrar) - isto obriga a que as actuais "cortesias" que envolvem as ditas substituições fossem suprimidas. 4. Modificar o efeito penalizador de certas situações disciplinares - não é correcto, no entender de alguns, que uma falta violenta tenha o mesmo cartão que, por exemplo, um corte de bola com a mão a meio campo. etc. 5. Melhorar a cronometragem do jogo e tornar transparentes os descontos de tempo por qualquer tipo de paragem - acabar com aquela coisa do "tempo do árbitro". Melhorar o trabalho dos árbitros, minorando os efeitos que uma má arbitragem induz nos resultados, seria bom, mas para isso não tenho muitas ideias...

Há que haver alterações no futebol!

Mas não as que estão a ser propostas pela FIFA. Aumentar o tamanho das balizas e diminuir a abrangência do fora-de-jogo não irá mudar praticamente nada no cenário actual do futebol mundial. Ao aumentar-se o tamanho das balizas, teoricamente dificulta o trabalho dos guarda-redes, pois o espaço a ser protegido é maior. Porém, que cria uma regra dessas, esquece-se que há que alterar todas as balizas do mundo inteiro! E que isso custa dinheiro, pois é uma alteração estrutural, portanto deve ser bancada pelas Federações ou pela própria FIFA (ou pelo menos deveria). Um outro ponto negativo nesta mudança, é que o futebol iria-se resumir a poucos lances: chutar de longe, cruzar ao primeiro poste ou ao segundo (nunca para o centro, pois é aonde o guarda-redes fica) e mais nenhum que me lembre. Embora outraos lances possam acontecer, é este o cenário ofensivo que mais irá acontecer para a maioria das equipas, caso só se altere o tamanho da baliza. Defensivamente, os jogadores irão ficar mais recuados, pois há que cobrir mais espaços para não deixar o adversário chutar, uma vez que é mais fácil fazer golo assim. Ou seja, cada vez mais os clubes irão defender com onze. Ou seja ainda, a FIFA não irá conseguir alcançar o que almeja ao promover esta alteração. Em relação à proposta da alteração sobre a lei do fora-de-jogo, passando a ser fora-de-jogo só depois da linha da grande área, a solução dos técnicos é muito simples: deixa a equipa toda na defesa, e dois avançados plantados no ataque. A equipa rouba a bola do adversário, chuta para a frente e um dos dois que marque o golo como for. Ou seja, as equipas continuarão a jogar na defesa, porém com dois avançados esperando a bola chegar a eles para eles resolverem. Não é exactamente o que eu chamo de futebol ofensivo. As mudanças que eu proponho são mais acessíveis, mais aceitáveis e mais eficazes, a meu ver: - Preparação, em nível de Federações Nacionais, de treinadores com mentalidade ofensiva, que consigam conciliar defesa e ataque como deve ser. Treinadores que peguem em equipas (pequenas, médias e grandes) e que saibam fazer a sua equipa praticar um futebol vistoso, ofensivo, sem descurar da vertente táctica. Falta muita preparação a este nível, pois há muitos treinadores que só cuidam da defesa e muitos que só pensam em ataque; - Formar jogadores mais completos, que saibam interpretar melhor tacticamente o que se requer deles, principalmente em nível ofensivo: defesas que saibam sair jogando, laterais que cruzem bem e que queimem linhas conscientemente, médios-defensivos que saibam fazer bem a transição defesa-ataque-defesa, avançados com maior poder de finalização, quer com a cabeça, quer com os pés, e que se movimentem melhor, enfim... Coisas do tipo; - Nas Ligas Nacionais, fazer alterações na forma como os pontos são atribuídos: continuaria com os 3 pontos para a vitória, 1 para o empate e 0 para a derrota. Porém, a cada partida que houvesse uma diferença de 3 golos entre o vencedor e o perdedor seria cedido mais 1 ponto ao vencedor, como prêmio pelo seu poder ofensivo. Seria uma medida muito restritiva, pois na maioria das vezes só os clubes grandes iriam contar com esses pontos extra, porém a verdade é que, em nível de selecções, o futebol se restringe aos grandes clubes, o que beneficiaria as selecções e faria os técnicos buscarem resultados maiores; - Uma outra modificação que eu faria na FIFA, mas em nível de Copa do Mundo, é parar com essa história de "Vamos dar oportunidades iguais a todos". Se eles querem um Mundial de nível, há que colocar selecções de nível. 4 vagas para a África, 3 para a Ásia (sendo que o 3º qualificado disputaria uma repescagem com o representante da Oceania), 8 para as Américas (reunidas numa só Confederação, e o 8º qualificado disputaria uma repescagem com a Europa), 16 para a Europa (o 16º qualificado europeu disputaria a repescagem com o 8º da América) e mais uma vaga para o país campeão da última edição do Mundial. É, com certeza, até uma forma de exclusão, admito, porém no Mundial têm que estar os melhores do Mundo, e se a maior parte deles está na Europa, o que fazer? Ah, o número de vagas para cada continente iria ser mudado a cada duas edições, e as vagas ficariam definidas através de um ranking entre as Confederações Continentais; - Fortalecer o futebol em regiões mais pobres, com investimento financeiro, patrocínio de técnicos credenciados para cada país incluído neste programa, criação de Academias de Futebol em cada país, fomentando protocolos entre esses países e os clubes mais ricos na Europa, Ásia e América, enfim... Promovendo directamente o desporto em questão em países que têm mais com o que se preocupar; Acho que essas seriam as coisas ideais a se fazer, pois só assim o futebol seria seriamente trabalhado. Haveria mais qualidade de jogo nas competições, mais mentalidade ofensiva, mais golos, e mais prazer em ver futebol. E talvez o Blatter fosse lembrado por fazer algo de bom.

Acabar ou reduzir o fora de jogo

Em primeiro lugar acaba-se com o fora de jogo ou então reduz-se a sua aplicação à area. Em segundo lugar coloca-se o jogo sobre cronometro exacto - paragem de jogo a dar paragem de cronometro - para aproveitar ao máximo o tempo de jogo. Com isto os esquemas de queimar tempo teriam menos impacto - há sempre algum porque estragam o ritmo do jogo. Além disso coloquem-se Chips no esférico para evitar que golos não sejam validados apesar da linha se ultrapassada.

Sugestões:

1º- Acabar com a posição de guarda-redes! 2º- Acabar com o fora-de-jogo! 3º- Aumentar (ainda mais) as balizas! 4º- Usar dois árbitros por desafio! Um de cada clube e a acompanhar o ataque do mesmo! P.S.- O Noko não pode ser. lol P.S.- A FIFA que respeite mais o futebol e seus intervenientes em vez de pensar só em encher os bolsos!!!

Facil

Aumentam o campo ou diminuem o numero de jogadores em campo. Dessa forma os treinadores deveriam repensar as suas tacticas. Outras ideias: - Alterar a regra do fora de jogo, dimunindo a sua area de intervencao, desta forma alongaria mais as equipas. - Limite de tempo que uma equipa poderia ter a bola em seu poder no meio campo defensivo.

Algumas sugestões

1º- Criar uma linha onde só a partir dela contasse o fora de jogo; 2º- Castigar sempre com amarelos simulações de faltas; 3º- Dividir o jogo em 3 partes de 20 minutos cada cronometradas (acabava logo o intuito de queimar tempo); 4º- Possibilidade de um desconto de tempo por jogo para cada equipa de 3 minutos cada; 5º- Não poder atrasar a bola para o seu meio campo (como no hóquei em patins). São apenas meras sugestões.

Re: Algumas sugestões

1º- Criar uma linha onde só a partir dela contasse o fora de jogo; - Já existe, chama-se linha de meio-campo. 2º- Castigar sempre com amarelos simulações de faltas; - Já está em vigôr, os árbitro é que não aplicam assim tanto. 3º- Dividir o jogo em 3 partes de 20 minutos cada cronometradas (acabava logo o intuito de queimar tempo); Deixava de ser futebol? Quando muito parar o relógio cada vez que a bola estivesse fora já não era mau. 4º- Possibilidade de um desconto de tempo por jogo para cada equipa de 3 minutos cada; Deixava de ser futebol? 5º- Não poder atrasar a bola para o seu meio campo (como no hóquei em patins). Deixava de ser futebol?

Só vejo uma solução...

marcar mais penalties.

Os foras de jogo

Deviam ser como nos infantis por exemplo só contavam na linha da grande área. Dar cartões amarelos por anti-jogo.