Jogadores de outra origem | Relvado

Jogadores de outra origem

 

Viu-se que Podolski não festejou sequer os golos marcados contra a Polónia por "respeito" pela nação de origem dele. O mesmo aconteceu com o Yakin quando marcou pela Suíça contra a Turquia...Acham normal um jogador não poder ou não querer exprimir a alegria quando marca um golo pela sua própria Selecção?Gostava que os relvas debatessem esta questão.
amaran

Euro 2008:

Comentários [26]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

E existem mais...

Que me lembre: Klose(Polónia), Guerreiro(Brasil), Senna(Brasil), Altintop(Alemanha), Odonkor(Ganâ), Gelson(Cabo Verde), Behrami(Albânia), Aurélio(Brasil), Benzema e Nasri(Argélia), Camoranesi(Argentina), Gomez(Espanha), Kuranyi(Brasil/Panamá), e provavelmente existiram mais. Já para não falar de ex colónias, como é o caso do Suriname(Holanda), e Senegal(França). Hoje em dia é raro a selecção que não tenha um jogador descendente de outro país, e sejamos realistas, Pepe e Deco fora os melhores Portugueses neste euro...

Re: E existem mais...

Gomez(Espanha), Nasceu na Alemanha!

Re: E existem mais...

Sim, mas tem origens espanholas.

Naturalizações

Repare-se bem nos exemplos dados... Podolski: polaco, vive na alemanha desde os 2 anos de idade (situação equivalente para Klose) Yakin: turco, nasceu na suiça. Ibrahimovic: bósnio, vive na suécia desde a adolescência. Deco e Pepe: brasileiros, vieram para portugal quando contratados por clubes portugueses. Não notam nenhuma diferença? Estão a pôr ao mesmo nível pessoas que adquiriram nacionalidade de um país onde se formaram e cresceram, com pessoas que após se terem tornado profissionais mudaram para o país em causa. Não tenho qualquer problema em que se tenha dado a nacionalidade portuguesa para o Deco e Pepe (se bem que gostava de saber porque motivo foi tão rápido com eles, e é tão lento para o comum dos mortais), mas jogarem na selecção de todos nós? Isso não! Ser português é mais do que ter um BI a dizer República Portuguesa. Mas continuem a naturalizar! Os resultados são os mesmos, e ao menos ainda podemos ser conhecidos como o brasil da europa (literalmente).

Não me parece mesmo nada!

A identidade de uma selecção não se perde, nem se ganha por haver um ou mais jogadores que não nasceram num determinado país e que não festejam um golo contra a equipa representativa de outro país a que também estão ligados! Sempre houve jogadores nascidos num país a irem assumir outra nacionalidade e representar outro! E isso não levantava estas polémicas de pacotilha! Creio, aliás, que dada a facilidade de emigração que existe hoje, com grandes fluxos de pessoas a circularem para os países europeus e norteamericanos, mais ricos, que isso terá tendência a acontecer cada vez mais! Diga-se que poucas coisas são tão complicadas como escolher uma nacionalidade! Tudo é fácil quando se tem uma só hipótese e se está ligado a apenas um país! Mas muuta gente tem até direito a ter duas nacionalidades! Mas para a FIFA só pode ter uma! E vai ter de escolher entre dois países de que pode gostar muito! E ao fazer essa escolha pode ferir as sensibilidades daqueles que lhe são mais próximos que podem ter feito as escolhas contrárias! Nada mais lógico que um jogador nessas circunstâncias não festeje um golo contra a selecção de outro país que também poderia representar! Estamos habituados a ter jogadores de origem africana, ainda que de países de expressão oficial portuguesa, a representar-nos nas mais diversas equipas nacionais. Esses já nem estranhamos! Mas dentro de poucos anos veremos aparecer nomes estranhos, de origem russa, moldava ou ucraniana, mas com a mesma legitimidade para vestir a camisola das quinas! Importa que não sejamos retrógrados de forma a não aceitar tal coisa!

Falsa questão!

Desde os primeiros anos do desporto que existe este tipo de situações!! E não será agora que se questionará o porquê de jogadores serem de "outra origem! Mas são algumas ponteiras ou jantes de pneus? Pensem nisto: Fontaine, Eusébio, Kubala, Di Stéfano, Puskas entre outros, não jogaram nas mesmas circunstâncias dos referidos Podolski, etc? Saudações Leoninas

Re: Falsa questão!

O Eusébio nasceu em Portugal (Moçambique era território português). Se implicas pelo Eusébio, então o Ronaldo também só deveria jogar pela selecção da Madeira.

Re: Falsa questão!

Mas o brasileiros são alguma civilização estranha a Portugal? Não temos laços em comum? A herança do Portugal ultramarino que tu defendes não é a mesma em relação a Portugal? É que ainda há 190 anos Brasil pertencia ao mesmo país que Moçambique fazia parte há 40! E tu, que pelo o que parece és de Guimarães não questiona o facto de haver milhares de brasileiros ter o mesmo apelido do nome da tua cidade? E não me digas que não tens pelo menos um familiar com laços no Brasil! Tenho família de Guimarães(parte da minha mulher) das Taipas e de S. João em que ambos tem familiares que emigraram para o Brasil e lá se naturalizaram mas sem renegarem as origens, inclusive tendo como desejo final o regresso a Guimarães num caixão, e com orgulho em pertencerem a ambos os países! Qual o país no mundo que tenha uma Diáspora portuguesa com tanto orgulho em fazer parte dos dois "mundos"? Será que o mesmo não se pode aplicar a brasileiros?

Re: Falsa questão!

Eu falei em alhos, e tu respondeste em bugalhos. Eu referi apenas que o Eusébio teria sempre que jogar pela selecção portuguesa porque ele era português nascido em território português. Moçambique não existia como país. Quanto à afinidade entre portugal e brasil; sim, ela existe. Isso leva-me a aceitar que um brasileiro represente a selecção portuguesa? Não. E tal como já referi noutro comentário que deixei por aqui, não tenho nada contra emigração e aquisição da nacionalidade portuguesa dentro da legalidade. Não aceito é que se naturalizem jogadores para jogarem na selecção. Situações como a do Deco em que a sua naturalização foi requisitada com carácter de urgência, são ridículas e rebaixam o estatuto de cidadão nacional. Mas até é normal que neste país de pimbas se dê urgência à naturalização de um jogador de futebol. Por cá, parece que o futebol é mais importante que tudo o resto. Só o Fado e Fátima é que já não têm o mesmo peso de outrora...

Com essas situações

E até mesmo com os treinadores estrangeiros. Porque como o nome indica as selecções deveriam ser uma selecção dos melhores de cada país!

Re: Com essas situações

E não são do nosso país? Se são naturalizados passam a ser cidadaes com os mesmos direitos que os outros, logo passam a ter os mesmos direitos.

Re: Com essas situações

Naturalizem à fartazana. Mas quando tiverem uma selecção de brasileiros, angolanos, e moçambicanos naturalizados, e começarem a meter água, depois não se venham queixar que têm falta de patriotismo.

Re: Com essas situações

cidadãos e nao cidadaes.

O que é um português, um espanhol ou um francês?

Para mim esta coisa dos jogadores naturalizados é uma eterna discussão que nem discussão merece: um homem, jogador ou não, é cidadão de um país, com todos os direitos e deveres, quando esse país o reconhece como seu cidadão. Todos os jogadores que jogaram o Europeu eram cidadãos dos países pelos quais se apresentaram. Não aceitar esta situação é admitir que pode haver cidadãos de um país com menos direitos que os outros, por exemplo de representarem esse país em provas desportivas. Por mim, não gosto de ver diferenças de tratamento entre portugueses, onde quer que tenham nascido. E nem vem ao caso o facto de o Deco, o Pepe, o Petit, o Nani e o Bosingwa terem sido dos melhores jogadores portugueses do Euro.

Re: O que é um português, um espanhol ou um francês?

O problema é tu teres jogadores a serem naturalizados com processos carimbados de urgência por interesse nacional, enquanto que o comum emigrante se não souber um verso do hino nacional já não lhe é permitido adquirir a nacionalidade portuguesa, apesar de cá morar à 20 anos. Isto nao é naturalizar... é contratar jogadores para a selecção. Pessoalmente, isto para mim é repugnante.

Penso que há certos casos...

Por exemplo, Deco chegou a Portugal aos 19 anos enquanto que Podolski está desde os 2 anos de vida na Alemanha. No caso do Deco eu não aceitaria, embora goste muito dele; já no caso do polaco naturalizado alemão aceitaria. Cumps Nota: Ibrahimovic não foi na Sérvia?!

Re: Penso que há certos casos...

Pois, é a tal coisa... este artigo foi enviado quando ainda decorria o Euro. Agora é publicado em meu nome, com erros acrescentados pela edição... Obrigado ! Está totalmente remodelado e já não tem grande coisa a ver com o que eu escrevi. Fica a ideia de base.

Re: Penso que há certos casos...

Penso que tenha sido na Bósnia, e não na servia nem na croácia...

Re: Penso que há certos casos...

Bosnia!

Re: Penso que há certos casos...

É de ascendência Bósnia.

Não há jogadores...

... que não festejam contra antigos clubes, pelos quais têm alguma simpatia? Há, imensos. Faz assim tanta diferença acontecer o mesmo nas selecções? Ah, e o Yakin nasceu na suíça, embora os pais sejam turcos. Ou seja, foi apenas por respeito aos país e ao facto da Turquia ser, de certeza, um país que lhe diz bastante, que o homem não festejou.

Re: Não há jogadores...

O facto de nascer na Suiça não dá automáticamente direito à nacionalidade suiça como é o caso em certos países.

Re: Não há jogadores...

Até pode ser, mas dá automaticamente a que a parte do artigo em que se diz "Yakin (suíço nascido na Turquia)" esteja errada.

Re: Não há jogadores...

Pois, vê o meu outro comentário... o meu artigo foi completamente modificado pela edição, e foi tão bem feito, que meteram la alguns erros para serem simpáticos...

Re: Jogadores de outra origem

não querendo estar aqui a debater a questão das nacionalizações, porque isso já foi mais que debatido, eu apenas acho que, a partir do momento em que um jogador opta por uma selecção, ele deve dar tudo em prol dessa selecção e deve, pelo menos ter o cuidado de se integrar no espírito dessa selecção. Logo deve festejar quando marca golo e ganha (embora cada um tenha uma maneira diferente de festejar) e ficar triste quando perde. ninguém os obriga a optar por outras selecções, e nesses casos sim, as respectivas federações e equipas técnicas deveriam reflectir sobre se vale a pena ter um jogador assim. Uma selecção não devera ser um clube. Uma selecção devera ser acima de tudo espírito! cumps

Re: Jogadores de outra origem

100% de acordo.