Reflexos do caso Webster | Relvado

Reflexos do caso Webster

 

Portugal sai muito afectado com esta história, pois somos exportadores de futebolistas e os clubes portugueses necessitam dessas transferências para sobreviverem.O que me parece que irá acontecer é que os jogadores terão ordenados ainda maiores e os grandes clubes ricos da Europa o domínio completo do futebol.Aquela lei está em vigor desde 2001 nos regulamentos de transferências da FIFA e o defesa escocês Andy Webster foi o primeiro a invocar o tal artigo 5 anos depois de ele ter sido escrito, saindo do Hearts da Escócia para o Wigan de Inglaterra. Nestes casos a indemnização a pagar é igual ao valor dos vencimentos a pagar ao atleta até final do contrato. Isto é apenas válido para negócios internacionais, não se aplicando às transferências dentro do mesmo país.bacardiman

I Liga:

Comentários [7]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Não faltam....

...alternativas para contornar esse suposto problema ! Os mais lógicos são por exº, renovar os contratos de 2 em dois anos e colocar cláusulas de rescisão tal como já se faz. Não creio que isso terá um impacto tão grande como o da Lei Bosman já que os principais clubes ficarão desde já devidamente informados sobre as consequências das "distracções" no que toca à renovação dos elementos mais importantes dos seus plantéis.

Acho que falta aí um ponto muito importante

Penso que isto só se aplica quando no contrato não constam clausulas de rescisão. Portanto o que irá acontecer é existirem clausulas ridiculas como os 50 milhões de Cardozo, o que irá salvaguardar os clubes que os jogadores só saem com o acordo destes.

Para mim isto significa que os jogadores...

... vão ter ainda mais poder e vão conseguir extorquir melhores e mais elevados ordenados nos clubes de topo. Creio que os clubes deveriam pensar melhor nas suas políticas de contratação. Não vale a pena contratar jogadores que actualmente valham mais que 10 M€, pois na realidade nem valem 1/10. O que gera receitas são as equipas e não apenas um jogador, podem falar de Beckham e CRs, mas a realidade é que uma equipa ganha muito mais, pois ganha os prémios das competições em caso de vitória e ganha simpatia de adeptos, aumentando o potencial de associativismo e por conseguinte, mercado em merchandising. Aqueles clubes que mal ou bem forem conseguindo ter uma espinha dorsal ao longo dos anos, têm a tal chamada mística, e têm mais hipóteses de ganharem títulos. Os jogadores, os grandes jogadores, aqueles que querem bater recordes, esses gostam de ficar num clube e não vivem obcecados em ganhar mais e mais. Reparem onde anda hoje o CR e onde anda hoje o Hugo Viana? O Hugo Viana teve várias hipóteses de estabilizar a sua vida mas sempre escolheu a via monetária. Hoje se em vez de ter ido logo para o Valência ter-se esforçado por querer ficar no Sporting, a esta altura, poderia estar a dar o passo seguinte da sua carreira a nível de clubes e entraria nestes não como um jovem com progressão mas como um atleta de primeira linha. Cumprimentos Futebolísticos!

Isso significa que jogadores como

Quaresma, Lucho, Bosingwa, etc podem sair do clube e o Porto não receber nada?

Gostava de saber como fica ....

o contrato em causa, se este tiver uma clausula de rescisão. Sendo rescindido unilateralmente, não será necessário, o clube receber o valor estipulado na clausula?

Re: Gostava de saber como fica ....

Se o jogador tiver uma clausula de rescisão, não se aplica essa lei. Isto basicamente vai significar que ao fim de 3 anos os clubes vão ter sempre de pôr uma clausula de rescisão nos jogadores para não "fugirem" por baixos valores.

Engenho

Também se dizia que o Caso Bosman ia acabar com os clubes formadores, e passados 12 anos ainda não vi isso acontecer. Apenas é tomado mais um passo no sentido da equivalência na relação contratual entre os clube e os jogadores. Mas é um passo muito pequeno, porque o artigo 17 do Reg. da FIFA já existe desde 2001. Mas os clubes conseguem arranjar medidas para combater os hipotéticos efeitos deste acórdão. E, muito importante, o acordão do TAD não se pronunciou sobre a validade das cláusulas de rescisão. Porque mantendo-se estas cláusulas válidas, de pouco importa o jogador querer rescindir, se tem de pagar uma importância obscena ao clube em que joga. Mesmo que essas cláusulas sejam no futuro declaradas inválidas, ainda existem coisas que os clubes podem fazer, como renovar os contratos aos jogadores a cada 2 anos (e não acontece já isso, principalmente aos de maior potencial?).

Bem analisado LG, +1 Interessante Virtual!

Cumprimentos Futebolísticos!

Re: Engenho

a lei Bosman não acabou com os clubes formadores mas em termos desportivos tens dúvidas que estão mais fracos? Nunca uma equipa de topo que só pudesse inscrever 3 jogadores estrangeiros ocuparia uma vaga com um jogador de 17 anos. Cristiano Ronaldo sairia do Sporting quando fosse um valor seguro tal como aconteceu com Figo, Rui Costa, Paulo Sousa etc que sairam já com 20 anos e quando já tinham dado rendimento desportivo aos seus clubes. Agora com a lei Bosman qualquer clube vai buscar um puto que fez meia época em condições.