Invasão estrangeira coloca "em perigo" futebol português | Relvado

Invasão estrangeira coloca "em perigo" futebol português

 

O futebol português está a seguir um "perigoso caminho" com a consecutiva aposta em atletas estrangeiros, alerta o presidente do Sindicato dos Jogadores perante a circunstância de a Liga nacional ser a terceira da Europa com mais profissionais de além-fronteiras

Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), alarma-se com os números do estudo sobre as nacionalidades que a entidade promoveu. "Na época passada, a Liga principal de futebol teve 46 por cento de jogadores portugueses contra 54 por cento de estrangeiros, ao passo que na Segunda Liga houve 77 por cento de portugueses e 33 por cento estrangeiros", constata o dirigente.

Com mais estrangeiros do que os campeonatos profissionais portugueses só as Ligas de Inglaterra e Chipre. "Ainda por cima a maior parte dos estrangeiros que vem não acrescenta qualidade", lamenta Evangelista, notando que é um "perigoso caminho que o futebol português teima em prosseguir".

O sindicalista lamenta que "os responsáveis da Federação, da Liga, dos clubes, dirigentes e treinadores" não pareçam estar preocupados com o problema e que a "ambição desmedida por resultados desportivos e lucros económicos torna-se numa verdadeira ameaça ao jogador nacional e à identidade clubista sendo cada vez maior o desperdício do talento nacional".

Falando na "evidente e sistemática desvalorização do jogador nacional", Evangelista não duvida que as más prestações das Selecções portuguesas nos variados escalões estejam relacionadas com este excesso de estrangeiros, concluindo que "se nada for feito podemos estar a assistir à última geração de grandes jogadores" e considerando que "já hoje, se torna difícil encontrar referências futebolísticas em Portugal".

Perante este "grito de alerta", Evangelista aponta que é preciso uma "urgente e transparente reflexão sobre o caminho que queremos para o futebol português e para as Selecções Nacionais".

 

Foto: FIFA

 

I Liga:

Comentários [3]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Isto tudo começa com os clubes pequenos...

onde só lá entram os amigos dos amigos dos amigos,muitos deles com um IMC de 40,e pes de chumbo,não existe interacção entre os clubes e os jovens das localidades,e também culpa dos clubes da 1ª Liga,que preferem trazer mão-de-obra barata de fora,muita dela com defeito para evitar o máximo de custos possíveis com a formação de jogadores...

Nada de preocupações,

Nada de preocupações, Evangelista, o salvador está aí, tem nome de Queiroz, gosta de mandar umas bocas e é o maior no que toca a trabalhar com os jovens. Já se vê os efeitos do seu trabalho, segundo o próprio, porquanto a selecção sub-21 não se apurou para o europeu. Ora aqui está o verdadeiro trabalho desse salvador, o grande D. Sebastião do futebol português.

A culpa não é totalmente dos clubes...

mas sim da lei que permite que isso aconteça, ok quanto à lei dos comunitários nada a fazer, mas podiamos fazer como em muitos Países e impor limite de não comunitários quer nos planteis, quer no 11, não sei se na Russia ainda é assim mas lembro-me que há 2, 3 anos atrás só podiam jogar 3 estrangeiros no 11 mais 1 no banco, qualquer coisa desse tipo.

Não é novidade para ninguém que o futebol Português precisa de ser repensado(e de que maneira) mas se calhar outros interesses se levantam para ninguém querer mudar... €€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€

Cumprimentos