Crónica: os ingredientes dos grandes jogos | Relvado

Crónica: os ingredientes dos grandes jogos

 

Grande parte dirá que são os jogos com muitos golos e com grandes intervenientes, um jogo com fair-play, a demonstrar a verdadeira essência do futebol. Um jogo com bom ambiente entre as equipas e adeptos, onde todos celebram a festa do futebol, uma verdadeira vénia ao desporto-rei.Mas será que é mesmo assim? Não será esta a resposta politicamente correcta? Temos como exemplo os jogos realizados para angariação de fundos para uma causa qualquer. Grandes jogadores, muitos golos, muito espectáculo... mas onde pára a emoção?Todos estarão de acordo que os GOLOS são um factor fundamental num jogo de futebol, bonitos ou feios, um remate espectacular do meio da rua ou um ressalto numa confusão na pequena área, eles têm é que surgir e em grande quantidade de preferência!Os ERROS DE ARBITRAGEM são, quer se queira quer não, parte integrante do espectáculo e constituem um dos ingredientes para a emotividade do jogo. Quem não gosta de ver a sua equipa remar contra uma maré de prejuízos e sair vencedora?E há ainda os cânticos inflamados entre ADEPTOS. Quem não gosta de sentir aquela tensão fora das quatro linhas? Não propriamente a violência, mas o desejo puro e simples de poder olhar para o adepto adversário e festejar um golo enquanto o vemos a olhar para o chão desolado!O RELVADO ENCHARCADO que proporciona jogos ainda mais físicos, mais disputados. A imagem de 20 jogadores a disputarem um pequeno espaço numa área enlameada, ou um carrinho no meio da chuva que provoca colisões espalhafatosas.Um PÉNALTI FALHADO pelo adversário celebrado como se de um golo se tratasse, tendo ainda como bónus a frustração dos adeptos e jogadores adversários. A bola para a bancada ou um golpe de génio do guarda-redes...Uma EXPULSÃO de um jogador adversário - é comum afirmar-se que é uma pena para o espectáculo, mas os adeptos rejubilam quando, no meio da bancada, conseguem ver aquele pontinho vermelho no ar. É motivo de festejo, como se de um 0-0 se passasse imediatamente para o 1-0.E, por fim, quem não gosta dos INCIDENTES? Uma boa provocação por parte de um jogador que coloca os adeptos em polvorosa? Um jogador ou uma qualquer rixa no relvado que atiça os jogadores e lhes coloca os sentidos alerta e os faz empenhar-se ao máximo na partida?Será que não são estes ingredientes que nos fazem gostar do futebol e relembrar certas e determinadas partidas? Apesar de alguns deles serem moralmente reprováveis, não será este o sal do futebol? A verdade é que sem a rivalidade e algumas irregularidades o futebol não seria o desporto-rei como é hoje em dia...Diabo Tripeiro

I Liga:

Comentários [2]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Futebol

De futebol... uns gostam, outros não. Uma grande parte das pessoas que vão ao futebol, vão para ver tudo menos futebol. Quanto mais roubos, quanta mais porrada, quanto mais merda se passar durante os 90 minutos, melhor. O futebol serve de arma contra os outros. Como somos pessoas muito "civilizadas", não temos inimigos declarados. Mas nós ainda há muito pouco tempo saímos da selva e o nosso lado animalesco precisa de lutas, de guerras e os adeptos dos outros clubes servem perfeitamente para fazerem o papel de "inimigos". Às segundas-feiras, quem conseguir manter-se afastado dos fervores da "guerra", parte o coco a rir (ou talvez nem tanto) com os ataques ferozes e muitas vezes barrados com estupidez e ignorância, que vão de trincheira em trincheira... Não, meu amigo. Lamento desiludir-te, mas eu gosto do futebol pelo espectáculo em si. Gosto de futebol limpo e honesto, mesmo que na 2ª feira eu não tenha matéria para conversar com os meus amigos...

Os grandes jogos...

Isto veio a propósito do clássico de sábado. Temos assistido a bons clássicos entre os grandes mas confesso que sinto algumas saudades daqueles jogos onde os ânimos se exaltavam em pleno relvado... Em certos aspectos, tenho saudades daqueles jogadores durões que sentem estes jogos no seu íntimo e não olham a meios para ajudar a equipa e...atormentar o adversário. Parece feio dizer isto, mas vocês não vibram muito mais? PS: Artigo inspirado pelo livro do Sr. Nick Hornby, um verdadeiro guia do adepto fanático. Aconselho-o a todos vós, provavelmente vão-se identificar muito com as "manias" do autor, um autêntico doente pelo Arsenal.