Apito Final: "Tribunal deu outra vez razão ao FC Porto" | Relvado

Apito Final: "Tribunal deu outra vez razão ao FC Porto"

FC Porto reage à decisão do Tribunal Administrativo de Lisboa, dizendo que é "a derrota dos que quis
 

O FC Porto considera, em comunicado no seu sítio na Internet, que o Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa “pôs a nu os atropelos à lei cometidos por uma certa justiça desportiva”, a propósito da decisão deste órgão judicial que considerou "inexistente" a reunião que confirmou as penas de FC Porto e Boavista no processo Apito Final (leia a notícia aqui).

Segundo os azuis e brancos, aquele tribunal “decidiu a favor de Jorge Nuno Pinto da Costa e, por consequência, a favor do FC Porto. Mais uma vez – e já não são poucas – um tribunal, desta vez um coletivo de juízes, deu razão à argumentação do FC Porto”.

“O acórdão conhecido esta quarta-feira vem, mais uma vez, reforçar o que o FC Porto sempre disse: que as decisões da justiça desportiva foram ilegais e parciais, tomadas, todos sabem, por alguém que perseguiu o FC Porto do primeiro ao último dia do seu mandato e sustentadas por um profissional de pareceres à la carte, que fica agora muito mal na fotografia”, dizem os dragões.

Segundo o comunicado, à FPF "cabe agora acatar a decisão (...), ou, em alternativa, recorrer".

“O FC Porto manterá a serenidade de quem sabe que a razão está do seu lado, como já antes tinha ficado provado nos diferentes acórdãos/sentenças, designadamente do Tribunal Arbitral do Desporto, em Lausana, dos tribunais Criminais, da Relação e por todos aqueles a quem a cegueira da paixão clubística não impede uma análise distante e imparcial”, prossegue o documento, que regista a posição dos campeões nacionais.

"A derrota dos que quiseram fazer mal ao futebol português"

A posição portista refere ainda que “este caso ficará para sempre na história como a derrota dos que quiseram fazer mal ao futebol português”.

“O FC Porto ganha e perde no campo e defende o nosso futebol como ninguém e na próxima semana irá disputar, no campo, mais duas finais de duas importantes competições, enquanto os invejosos continuarão a vê-las pela televisão”, conclui o comunicado.

O acórdão hoje conhecido declara ainda “a eficácia das decisões do presidente do Conselho de Justiça registadas na ‘Ata’ da reunião de 4 de julho de 2008” daquele órgão e “a legalidade da decisão de encerramento dessa reunião”, às 17h55.

Em causa está o facto de o então presidente do CJ da FPF, Gonçalves Pereira, ter declarado encerrada a reunião às 17h55, após o vogal Álvaro Baptista ter proposto que lhe fosse instaurado um processo disciplinar.

A polémica estalou quando Gonçalves Pereira declarou João Abreu impedido de participar na reunião, após FC Porto e Boavista terem suscitado o seu impedimento, com o argumento de que este vogal era incompatível para julgar os processos por integrar a lista de peritos para a Comissão de Arbitragem de Conflitos entre Clubes da FPF.

O tribunal considerou que a decisão de Gonçalves Pereira relativamente a João Abreu “foi proferida no âmbito da competência própria e exclusiva do presidente de declarar os impedimentos dos membros do CJ”.

Acompanhe os artigos do Relvado no Facebook e no Twitter.

I Liga:

Comentários [22]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Creio que ainda não é um tema findo.

Aguardo novidades.

Saudações

Pois nem findo

e principalmente....nem finito.

Saber ver o quadro completo

É interessante não ter sido posto aqui o cuidado de também transcrever a s escutas do LFV onde ele escolhe objectivamente o João "pode ser" Ferreira para apitar um jogo do Benfica.
Muito interessante era também aqui estar exposto o "já estou a fazer as coisas por outro lado" numa clara alusão que combinava e viciava um resultado.
Mas curiosamente estas e outras declarações não foram motivo de averiguações nem suscitaram inquéritos ou campanhas pela verdade desportiva nem provocaram escândalo e procuraram ser passadas o tão abafadas quanto possível na comunicação social e ainda hoje quase que se finge que não aconteceram apesar de estarem escarrapachadas no youtube.
Pois estas escutas não interessam e assobiar para o lado é o modo de se tentar fingir que não existiram. Mas não para desgosto de muitos estão lá e contra a evidência há que tentar desviar as atenções.
Eu sou de um tempo em que não havia transmissões em directo na televisão de somente 2 canais de jogos televisionados, muito menos repetições em câmara lenta de diversos ângulos e perspectivas, em que a "verdade desportiva" era feita pelo jornal "A Bola" duas vezes por semana á sexta e á segunda e onde não havia mais nenhum jornal desportivo , em que o meio de saber o que acontecia em campo era o relato na rádio feito pelos "isentos" comentadores e onde a "verdade desportiva" era feita por jornalistas tão "isentos" como o regime em que viviam.
Nesses tempos em que o Benfica tinha de ganhar para o futebol continuar a ser o "ópio" do povo foi o tempo em que esse clube tão "brilhantemente" ganhava tudo. Houve períodos que o mereceu e outros houve que foram carregados.
Talvez compreendam agora com que é que o Norte e Pinto da Costa tiveram de lutar para inverter a tendência "natural" do clube dos seis milhões ter que ganhar por decreto.
Para se ganhar contra um Benfica naquela altura tinha de se ser quase sobre-humano e não me admiro que nessa tentativa de se equilibrar a balança para ao menos se conseguir tratamento igual se tenham ultrapassado as margens.
Mas como se vê a imagem é muito mais ampla do que o reducionismo quer fazer supor.
Esta é a peça que tem que pôr no puzzle para compreender o passado histórico e tantas vezes o mencionam que já é tempo de a história ser contada completa.

+1

Excelente comentário.

E ESTA EIN???

Boa noite e cumprimentos. Não valerá a pena muito mais conversa sobre a questão em apreço, pois já muito foi
dito. A mim só me assalta uma dúvida: Dando de barato que é uma "boa" decisão considerar as escutas ilegais,
que dizer do seu conteúdo???????????????????????????????????????????????????????????????????
saudações desportivas e benfiquistas.F.Reis

ah e tal mas e fruta de

ah e tal mas e fruta de dormir presidente....
sim pode mandar, pode mandar...

parecem baratas a estrebuchar

sim..

..o joãozinho..pode ser..vou fazer as coisas pelo outro lado..olha é que estas funcionarias do

claro que sim..

e os lugares na liga também são mais importantes que contratar jogadores

enquanto lá esteve ricardo costa foi um grande reforço

cambada de corruptos V

27/10/2003 Boavista 0-1 FC Porto
Após o jogo, Pinto da Costa combina com o jornalista Tavares Teles uma notícia falsa sobre a possibilidade de Deco recusar jogar pela Seleção no Euro’2004 se fosse castigado no caso da bota atirada contra o árbitro Paulo Paraty. Pinto da Costa combina tudo com Deco. Antero Henrique dá os parabéns a Pinto da Costa pela genial chantagem.

PC: Estou?

TT: Sim, Jorge Nuno?

PC: Então?

TT: Então? Olha pá, eu… eu já escrevi aquela história… do…do Deco…opá, aquilo… o Manuel Tavares estava… a querer pôr aquilo… em grande destaque pá!

PC: Tem mais impacto aí do que…

TT: Pronto! Ouve lá, e…e…e… entretanto, o FC Porto vai jogar…e…e os gajos vão perguntar ao Deco! O Deco o que é que vai dizer?

PC: O Deco vai dizer que está a pensar!

TT: Que está a pensar, não é?

PC: É.

TT: Está… o gajo não é maluco o suficiente para dizer que não… que não é nada, que é tudo mentira?

PC: Não. Eu falo com o Antero e ele avisa.

TT: Fala… fala com ele a dizer que lhe vão perguntar.

PC: Ok.

TT: Está bom?

PC:Está bem.

TT: Pronto… um abração… tem aqui muitas coisas giras! Lê isto, amanhã, que tem aqui coisas muito giras.

DECO E PC

Deco: Fala.

PC: Tou, Deco?

Deco: Sim.

PC: Estou, é o presidente. Tás bom Deco?

Deco: Ó presidente, então, tudo bem?

PC: Olha, estou-te a falar pelo seguinte… amanhã, como sabes, nós metemos o recurso do teu castigo, não é?

Deco: Sim, sim.

PC: Amanhã, vai sair naquele coiso do Pato…

PC: … uma coisa a dizer… do género de: pode estourar uma bomba… ofendido com o que foi dito… aquele termo de indigno e o castigo…

PC: Então pode estourar uma bomba, que é possível que o Deco, desgostoso com a perseguição, dentro daquilo que tu disseste hoje

Deco: Sim, sim.

PC: Ofendido com a perseguição que lhe está a ser feita, se calhar, vai pedir dispensa de jogar na Seleção ou no Europeu… uma coisa assim, estás a perceber?

Deco: Hum, hum.

PC: Que é como forma de pressão para…

Deco: Hum, hum.

PC: Para o Conselho! Portanto, se amanhã alguém te perguntar se isso é verdade, se não é, ou que é que pensas, tu dizes: desculpe, sobre isto eu não falo nem uma palavra! Na altura própria, eu… eu direi o que tiver a dizer.

Deco: Claro, está bem.

PC: Compreendes?

Deco: Só que é assim… hoje… hoje, eu dei uma entrevista para a Bola… porque eu… tinha marcado já com o gajo e o Antero tinha falado comigo, por acaso… e então, se for o caso… fala com o Antero para poder então a entrevista não sair.

PC: Mas o que é que dizias na entrevista?

Deco: Não… disse o básico, o normal como… aquilo que eu já disse mas agora não se isso prejudica de alguma forma…

PC: Não, não prejudica, não! É só se te perguntarem… se te perguntarem alguma coisa: Isso é verdade não é? E o que é que há? Dizes “desculpe, sobre isso eu não digo nada, falarei na altura devida”.

Deco: Tá bem, tá bem.

PC: Compreendes?

Deco: Tá bem.

PC: Falarei na altura devida… que é para eles ficarem a dizer assim: Epá, isto é uma bronca dos diabos, deixa lá reduzir isto.

Deco: Claro, claro.

PC: Agora nem dizes nem que sim nem que não nem que estás… nada! “Na altura própria, eu falarei”…

Deco: Está bem, está bem.

PC: Deco, um abraço. Até amanhã.

Deco: Está. Um abraço

PC E ANTERO

PC: Sim?

Antero: Presidente, bom dia.

PC: Então?

Antero: Esta do Pato, do Deco… vou-lhe dizer uma coisa pá! Eu já sabia que o presidente era um génio, mas esta… foda-se!

PC: Como é que vem?

Antero: Vem espectacular pá!

PC: Como é que está?

Antero: Acho que é uma chantagem fantástica!

PC: Como é que está?

Antero: Por aquilo que o Pato sabe, pode rebentar, muito em breve, uma bomba dos diabos! Deco ofendido com os termos que a comissão disciplinar da Liga utilizou para qualificar o seu comportamento no já famoso caso da bota, entre outras coisas comportamento indigno e intimidatório consabidamente descabelado e indisciplinado com redobrado intento de desonrar, desprestigiar e fazer ver ao árbitro do que era capaz, parece estar na disposição de pedir escusa da Seleção Nacional, pelo menos enquanto a dita comissão disciplinar não se retratar daquilo que ele considera ser um atentado ao seu nome, pelo que Scolari pode ter de reduzir o número de jogadores que fazem parte da sua primeira Seleção de 28 para 27.

PC: Ahahahahahahah

Antero: Espectáculo pá !!

PC: E o que é que traz mais?

Antero: Espectacular presidente! Espectacular pá.

Antero: Está presidente. Olhe, um abraço, até logo.

PC: Ok

cambada de corruptos IV

02/01/2004

"Pinto da Costa (PC) – Estou.

Pinto de Sousa (PS) – Estou, Zé!

PC – Já rectificaste a nota do homem?

PS – Eh, eh, eh!!!!! É pá, deixa lá o rapazinho em paz, coitadinho!

PC – Ah???

PS – 8... 8,4

PC – É uma boa nota!

PS – É uma boa nota!

PC – Pois foi, mas o observador tem de ser reclassificado!

PS – Olha, estou-te a telefonar pelo seguinte. Estou a pensar nomear o Jacinto Paixão para o Porto-Felgueiras. Não há inconveniente nenhum?

PC – Ah!

PS – Jacinto Paixão... Porto-Felgueiras! Não é nada de especial.

PC – Se entretanto ele não for nomeado para outro jogo [...] nomeado para a casa Pia!

PS – Eh, eh, eh!

PC – Mas não é de muito longe? [...]

PS – Não, coitado, precisa de fazer um joguito e como ainda fez poucos.

PC – Por mim, pode.

Poucas horas depois, Pinto de Sousa volta a telefonar a Pinto da Costa. Afinal, Jacinto Paixão não pode ser nomeado porque vai apitar um jogo do Estoril.

Pinto de Sousa (PS) – Olha, afinal, o Jacinto Paixão vai fazer agora o Estoril, no próximo dia 4 de Janeiro, eu não tinha reparado [...] De maneira que olha, como não é um jogo importante ia o Paulo Pereira, de Viana do Castelo.

Pinto da Costa (PC) – É fraquinho!

PS – É. Mas o jogo também não tem interesse nenhum...

PC – Sim, mas porque é que não pões um gajo do Porto?

PS – Pá, porque o Jorge Sousa vai fazer o Estoril- -Setúbal [...] O Paulo Costa e o Paulo Paraty não os nomeei já porque fizeram um jogo a semana passada. E o Martins dos Santos não se justificava para este jogo [...] e em segundo lugar vai fazer um jogo importante.

PC – Qual é o jogo?

PS – Talvez o Nacional, com o Leiria [...]

PC – Mas o Martins, para lá para baixo é bom. Que assim põe aquilo tudo em sentido.

PS – É, mas esse vai para Leiria.

PC – É, está bem."

02/02/2004

"Pinto da Costa – Não! Eu disse-te a ti, os dois penáltis, são penáltis, não houve nenhum erro crasso [...] E apitar o Boavista, para um gajo que não esteja ali a pensar que o major é o presidente da Liga, é complicado... porque com aquelas palhaçadas todas, o gajo tem de os pôr na rua.

Pinto de Sousa – Pois é...

[...]

PC – Agora, tudo isto nasce de uma má nomeação do imbecil...

PS – É, sem dúvida!

PC – Olha, não te esqueças mas é de comunicar ao gajo, para ele não queimar nenhum [...] Devias pedir por escrito, para ficar.

PS – É, vou-lhe mandar por escrito. Vou-lhe telefonar e dizer [...] vou-lhe mandar por escrito, os jogos.

PC – Os jogos, esses quatro vão fazer esses jogos! Diz mesmo, esses jogos!

PS – Digo.

PC – É, assim ele já não tem desculpa."

Outubro/2003

"PC - Estou, sr. Major! Como está?

VL - Então como é que vai o meu amigo? Está na Madeira, cara no bananal!

PC - Então mais uma mais uma vez desautorizados !

VL - Em quê?

PC - No Deco! Baixou de três para dois!

VL - Já se sabia, carago!

PC - Já se sabia? Mas é uma esses gajos não têm vergonha, caralho!, se tivessem vergonha.

VL - Ó Jorge!

PC - Eu vou eu vou sabe o que é que vou dizer?

VL - Ó você vai dizer!

PC - “É é pena que para ser juiz não seja preciso ter vergonha!”

VL - Ó não diga isso.

PC - Eles depois que me processem!

VL - Hum, não diga isso, pá! As várias instâncias podem sempre ( ) os tribunais é a mesma coisa! Você não viu agora o caso do Ritto e da Rita e dessa gente toda.

PC - Ó ó Major, o que é engraçado é que é sempre é sempre do

VL - Enquanto, enquanto lá estiver o Mortágua, é assim, pá!

PC - É e enquanto estiver o Cebola

VL - é a resposta é a resposta que eles podem dar, pá!

PC - É ?

VL - É!

PC - Então que “deiam”! Que “deiam”! ( )

PC - Major, Major!

VL - Diga!

PC - mas você, um dia vamos os três Eu, você e o Mortágua e depois o Mortágua conta-lhe coisas!

VL - Óptimo! Pronto ! Se ele me contar, pá sei lá! Sei lá disso! Mas quê?!, do Gomes da Silva?

PC - O pior de todos é um tal Cebola

VL - O Cebola... mas eu nem sei quem ele é o Cebola eu só conheço este gajo e um rapaz agora novo, que apareceu de Famalicão ou não sei quê!, pá!... substituiu um outro gajo que foi para Timor ou para o caralho, pá! De resto, nem os conheço, pá! Cebola ?!... Cebola, até cheira mal, pá! Cebola

PC - É de Coimbra! É um gajo de Coimbra

VL - Não sei quem é! E e e é quê? do Benfica?

PC - Não sei o que é! Sei que é o mais anti-Porto possível! Isto dito pelo Mortágua!"

Fevereiro/2004

"Pinto da Costa (PC) - Esteve com o homem?

Antero (A) - [...] Ele está um bocado atrofiado... mas ó presidente, ele também é incoerente, percebe? [...] Como é que correu com o Major, presidente?

PC - Ó pá, disse-lhe que havia a bomba de podermos dia 14 .... faltar! Ele entrou em pânico ... e eu disse-lhe: “Ó Major, eu sei que não adianta nada, mas pelo menos, olhe, vamos ter a oportunidade de dizer ao mundo do futebol porque é que temos de fazer isto!"

cambada de corruptos III

Horas depois do caso Mourinho, Antero Henriques, dirigente da SAD, prepara com Pinto da Costa as primeiras explicações para negar os insultos de Mourinho e o caso da camisola rasgada.

Antero Luís (A) - Foda-se! Não dormi um caralho! Estou com uma enxaqueca, pá.

Pinto da Costa (PC) - Filhos da puta.... [...] Tínhamos morto esta merda ontem [...]

A - Embora eu ache que o Mourinho, no final, também se exaltou muito!

PC - É, um bocado.

A - É! Aquela história de dizer que o Rui Jorge morreu em campo e...

PC - Ele disse aonde?

A - Ele diz que disse cá em baixo, disse cá em baixo, junto a... quando estava a malta toda ali! Mas eu liguei para a 'Bola' e para o 'Jogo' a desmentir! A dizer que ele estava a dizer que era mentira!

PC - Não, não! Não... não é desmentir! A gente tem é de processar o gajo que diz! [...]

A - É... e em relação à camisola, também tem de se arranjar ali uma tanga, presidente!

PC - Arranjar que ele foi provocar para a porta do balneário!

A - É. E que o Mourinho disse que: "Esta camisola é indigna de ser trocada. Porque se a tivesse rasgado não a mandava outra vez para o balneário do Sporting." [...] É! Temos de arranjar aí uma tanga, senão saímos por baixo desta merda toda.

PC - Mas já falou com o Mourinho, não?

A - Não, não, não. Vou agora com ele ver o Rio Ave, agora, às quatro horas!

PC - É... mas diga-lhe, é pá! Ele que não preste dec... diga-lhe só...

A - Não, por isso é que vou com ele! Por isso é que vou com ele!

PC - E amanhã é um processo-crime contra...

A - É...

PC - Esse Bettencourt e os jornais carago!

A - É que esse gajo é mesmo um cobarde!

VALENTIM LOUREIRO

No dia 2 de Fevereiro, Pinto da Costa toma conhecimento de que Mourinho terá um processo disciplinar e que não haverá qualquer processo contra Liedson, jogador do Sporting, que alegadamente teria agredido Jorge Costa. Zangado, liga para Valentim Loureiro a pedir explicações.

Valentim Loureiro (VL) - Estou!

Pinto da Costa (PC) - Sr. presidente, como está?

VL - Ilustre amigo!

PC - Eu estou um bocado fodido com o meu amigo!

VL - Comigo?

PC - Então! Eu falo-lhe no Liedson... o Liedson não apanha nada, põe um processo disciplinar ao Mourinho!!!

VL - Isso ainda não está decidido, pois não?

PC - Está! Então! O processo disciplinar

VL - Eu cheguei agora à Liga [...] Como é que você sabe?

PC - Oh...

VL - Foi algum comunicado?

PC - Estou a dizer-lhe! Processo disciplinar ao Mourinho!

VL - Ó pá, desconheço isso em absoluto! Cheguei agora!

PC - E ao Liedson nada! [...] Vai um gajo à televisão dizer que o Paulino, que o Paulino que é um atrasado mental disse uma coisa e pronto! E o treinador tem um processo disciplinar!

VL - Jorge, eu vou ver isso, está bem?

PC - Está!

ADELINO CALDEIRA

Quatro horas depois de ter falado com Valentim, Pinto da Costa recebe um telefonema de Adelino Caldeira, também administrador da SAD, que já conhecia o relatório do árbitro.

Pinto da Costa (PC) - Estou?

Adelino Caldeira (AC) - Estive a ver o relatório, pá... ali há uma coisa complicada! O... aquele cabrão de Braga, o Paulino, sabe quem é?

PC - Sim, sim...

AC - O gajo escreve que viu! A história da camisola! [...] É o que ele escreve, presidente!

PC - Oh!

AC - Pois, está bem! Agora, ó presidente, das duas uma: ou se arranja alguém que chegue ao pé do gajo, que o gajo vá dizer que não viu mas que lhe foram contar... ou se o gajo mantém essa versão no relatório, no mínimo uma semana, no mínimo!

PC - É um filho da puta! [...] Quem se dá.... quem se dá bem com ele é o Zé Mário!

AC - Ó presidente, quer que eu fale com ele?

PC - O Zé. Eu falo com o Zé Mário!

AC - É que... atenção! Ou o gajo chega lá... o gajo, o gajo não chega lá a dizer que viu! Porque ele... porque ele, depois diz a seguir: e quanto à afirmação veio contar-me o Bettencourt! Portanto!

PC - Ah!

AC - ...o que se presume que ele viu! Agora o que ele pode dizer - como está lá escrito no relatório! - "Não, a mim também me contaram!"

PC - Pois.

AC - Ó pá! É tão simples quanto isso! É que se não aquilo dá um mês de pena mínima, no caso dos treinadores é reduzido para 25 por cento!... é pá, que dá um mínimo de uma semana... [...] Não tem hipótese nenhuma mas... ó pá, pode dar e depois e... estes cabrões ... pode dar sempre duas a três semanas. E se eles derem por exemplo três meses - por causa do passado do Mourinho! - ou quatro... 25 por cento é um mês não é? [...]

PC - É... mas eu falo com ele amanhã.

PINTO DA COSTA

No dia seguinte, 4 de Fevereiro, Pinto da Costa e Antero falam logo pela manhã. Antero Henriques está preocupado com Mourinho que entende não ter recebido a necessária solidariedade dos dirigentes portistas.

Pinto da Costa (PC) - Estou!

Antero Henriques (A) - Devia ir a Gaia, que o gajo está todo atrofiado!

PC - Porquê? Lá por causa...

A - Estive agora a falar com ele, diz que não sente da parte do clube... uma defesa que vai... que vai... vai avançar sozinho!

PC - Não sente, da parte do clube?

A - Não!

PC - Uma grande defesa???

A - Disse-lhe: "Ó pá, isso não tem jeito nenhum!" ...diz: "Ó pá, mas pronto! Não, não sinto uma solidariedade pá... as pessoas vão dizer que... pá... pede desculpa ao Sporting" e o caralho... [...]

PC - Não! Nós já ontem pusemos uma coisa no site...

A - Eu sei, eu sei, eu sei. Mas ó presidente, eu acho que devíamos ir com uma queixa-crime para cima do delegado da Liga se fosse possível!

PC - Isso é a minha ideia!

A - Se fosse possível... falar com o Adelino, se é tecnicamente possível... Avançar já com essa merda!

VALENTIM LOUREIRO

Minutos depois de terminar a conversa, Pinto da Costa telefona a Valentim e ameaça que os jogadores não vão à Luz se Mourinho for punido. A intenção no entanto nunca existiu, como se comprova em outros telefonemas.

Pinto da Costa (PC) - Eu precisava de falar consigo porque isto está a tomar proporções que vai dar uma bronca do carago!

Valentim Loureiro (VL) - Então?

PC - Eu estou aqui no centro de estágio... e os jogadores estão reunidos...

VL - Hum...

PC - e querem faltar ao jogo da Luz!

VL - Faltar?

PC - Sim...

VL - Oh!

PC - Perdem os três pontos, não há problema!

VL - Oh, oh, oh.

PC - Não querem e o Mourinho vai processar judicialmente o delegado da Liga! Já entregou a um advogado!

VL - Hum... Você vem para baixo?

PC - Eu... eu estou aqui, estou a falar com eles... estão reunidos [...] Depois vou para a torre das Antas!

VL - Então ligue-me, lá para o meio-dia.

ANTERO HENRIQUES

O actual número dois do Porto depois de se reunir com José Mourinho liga a Pinto da Costa a contar-lhe o estado de espírito do treinador. Por sua vez, Pinto da Costa relata a Antero a conversa com Valentim e conta-lhe que disse que os jogadores ameaçavam não ir à Luz.

Pinto da Costa (PC) - Esteve com o homem?

Antero (A) - [...] Ele está um bocado atrofiado... mas ó presidente, ele também é incoerente, percebe? [...] Como é que correu com o Major, presidente?

PC - Ó pá, disse-lhe que havia a bomba de podermos dia 14 .... faltar! Ele entrou em pânico ... e eu disse-lhe: "Ó Major, eu sei que não adianta nada, mas pelo menos, olhe, vamos ter a oportunidade de dizer ao mundo do futebol porque é que temos de fazer isto!"

ADELINO CALDEIRA

Terminado o telefonema com Antero, Pinto da Costa telefona a Adelino Caldeira e conta-lhe da ameaça de não jogarem com o Benfica. Ao administrador da SAD, Pinto da Costa diz que aquilo não passou de uma tanga e que serviu para assustar Valentim. Caldeira promete ligar depois ao Major a meter "veneno" sobre a mesma matéria. E no dia seguinte volta a ligar a Pinto da Costa porque já "conseguira" mudar o relatório do observador.

Adelino Caldeira (AC) -Ameaçou com o Estádio do Benfica?

Pinto da Costa (PC) - Exacto, fiz uma tanga quando estava a falar com ele, de modo que o gajo ficou em pânico. [...]

AC - O relatório, segundo o relatório, diz claramente que não viu nada... e que foi só o Bettencourt que lhe contou tudo o que escreveu! Portanto melhor que isto é impossível!

PC - É impossível, está bem! [...]

AC - Portanto o relatório limpa tudo completamente, OK?

PC - OK.

AC - Diz exactamente isso. Claro que o gajo vai ser sacrificado, se calhar vai ter de lhe deitar a mão, mas também o gajo foi um filho da puta, escreveu primeiro portanto... que se lixe, né?

Para limpar tdxcom's e afins

A Admin tem que dar pontos de penalidade ao pessoal, esse tdxcom é uma aberração, era o miguelix virou bola 1980, este nick apareceu no meio.

Tudo lixo.

cambada de corruptos II

Conclusões óbvias...- Augusto Duarte percebeu obviamente a quem se referia António Araújo ao chamar Pinto da Costa, através de códigos tais como “engenheiro máximo” ou “gerente de caixa”- António Araújo sabia perfeitamente qual o objectivo do encontro ao referir-se, também em código, à “obra”, à “coisa”- Pinto da Costa sabia, obviamente, da visita, pois foi ele mesmo quem a encomendou e, aliás, para além de ter dito ao telefone: “Está bem. Está combinado.”, foi também ele quem através de telefone deu as indicações de como ambos chegariam a sua casa.

Todas as escutas 16 Abril 2004[/]

Hora: 10.56
Intervenientes: António Araújo e Augusto Duarte
(cumprimentos iniciais)...
António Araújo (AA) - Olhe, logo à..., precisava, logo à noite, de jantarmos,queria que o amigo jantasse aqui por estas zonas, porque eu tinha aqui, tinha aqui uma obra para ser vista...
Augusto Duarte (AD) - Hum... Hum..
AA - ... e eu precisava, porque... vem o...
AD - O engenheiro para ver isso?
AA - Exactamente, não é?
AD - Pois, mas é que eu logo à noite eu tenho o curso de árbitros, meu querido...!
AA - Logo?
AD - Logo, exactamente. Não tenho hipótese nenhuma...!
AA - E então e amanhã, e amanhã?
AD - Amanhã joga o meu “Braguinha” em casa com o Benfica...” Tem que se levar a mulher
ao futebol...!
AA - Pois é...
AD - Ó meu querido, tenho que levar a mulher ao futebol, senão...
AA - Ah, pois é, pois é, pois é...!
AD - ... senão ela despede-me!
AA - E então, mas é que o senhor engenheiro, o senhor engenheiro máximo...
AD - Hum, hum...
AA - ... faz questão de coisa, porque não sei quê, porque... e...
AD - Pois. Hum, hum...
AA - Hã?
AD - Como é que vamos fazer isso?
AA - Não tem nada a ver, não tem nada a ver com..., com o dois. É o número um, não é... ?
AD - Pois, exactamente.
AA - Que é o... que é o gerente de caixa, não é...?
AD - O gerente de caixa, exactamente. Não sei como é que nós vamos fazer isso então, meu querido... É que eu logo não tenho hipótese nenhuma porque tenho o curso de árbitros e agora estamos quase na fase de exame, de hoje a oito, não é?
AA - Exacto...
AD - Portanto, não posso, não posso, de maneira alguma... estar. Amanhã, prometi à mulher que a levava à bola, portanto... Como é que, estamos a ficar apertados...!
AA - Pois é! Pois é!
AD - Pois é!
...(conversa sem interesse para os
autos em investigação)...
AA - E o almoço?
AD - O almoço é capaz de dar, mas o almoço não, não assim muito para o clarão?
AA - Não, porque depois nós vamos ver uma casa...!
AD - Ah, está bem! Está bem! Podemos então combinar isso...! Para o almoço?
AA - Nós vamos ver a casa, vamos ver a casa, a ver se...
AD - Ai vamos, aproveitamos e vemos... Também é mais de dia, consegue-se ver melhor...!
AA - Pois, exactamente, vamos ver a casa...!
AD - Está bem. Está bem. Podemos combinar isso para o almoço...!
AA - E eu agora, agora eu, eu não posso almoçar com um amigo?
AD - Ah, então, pode e deve! Até, você tem, tem que almoçar comigo, que temos que ver aquele negócio, senão nunca mais resolvemos aquele problema!
AA - Exactamente!
AD - Olhe, eu estou a ficar é sem bateria.
AA - Pronto...
AD - Se entretanto for a baixo, liga-me para o outro, que eu estou no outro!
AA - Exactamente! Então fica marcado..., então eu amanhã, eu..., a gente vai-se encontrar a quê? Meio dia, meia hora, uma hora...?
AA - É isso, uma hora!
AD - Ok amiguinho! Aqui, aqui, nesta zona daqui. Eu falo, então. Está combinado!
AA - Está bem. Está combinado, então...!
(cumprimentos finais).

Hora: 14.37
Intervenientes: António Araújo e Pinto da Costa
(cumprimentos iniciais)...
António Araújo (AA) - Olhe, o... o “intendente” tem, tem que..., portanto, tem a responsabilidade de..., lá da vida dele de curso...
Pinto da Costa (PC) - Serviço, sim...
AA - ... e..., portanto, ficou amanhã, ele vem, vem almoçar comigo e depois então a gente encontra-se.
PC - Está bem. Está combinado.
AA - Está certo para o senhor?
PC - Está sim senhor.
(cumprimentos finais).

Hora: 17.09
Intervenientes: António Araújo e Pinto da Costa
(cumprimentos iniciais)...
António Araújo (AA) - Ó senhor presidente! Dava para logo, dava... A pessoa, estive a falar com a pessoa novamente... Ele ligou-me agora, e ele...
Pinto da Costa (PC) - Sim, sim...
AA - ... Já dava para logo à noite.
PC - A que horas?
AA - Portanto, eu dez horas para,para as dez e meia, eu estava lá, como, como ontem ficou combinado.
PC - O senhor liga-me antes
AA - Exactamente.
PC - Está combinado.
(cumprimentos finais).

Hora: 21.43
Intervenientes: António Araújo e Augusto Duarte
Augusto Duarte (AD) - Estou?
António Araújo (AA) - Então amiguinho?
AD - Estou a chegar...
AA - Portanto, você já está a chegar aqui na cidade, não é?
AD - Exactamente.
AA - Pronto... e então, eu... eu daqui por um bocado já estou na, na cidade mesmo, está bem?
AD - Está bem, está.
AA - É o tempo de eu sair daqui e estar lá, não é?
AD - Está bem, está. Até já, então.
AA - Está amiguinho? Até já.
AD - Até já.

Hora: 22.18
Intervenientes: António Araújo e Pinto da Costa
Pinto da Costa (PC) - Estou.
António Araújo (AA) - Estou presidente?
PC - Sim...
AA - Tudo bem?
PC - Como está?
AA - Olhe! Eu virei aqui, eu virei aqui, portanto, para a zona da Madalena, não é?
PC - Sim.
AA - E agora, eu viro depois aonde? Que eu vim só no dia do seu aniversário...
PC - O senhor virou onde diz “Madalena”, não é?
AA - Exacto.
PC - E agora vem em frente, ...
AA - Certo.
PC - Vem, vem em frente e... sobe um bocadinho, não é?
AA - Sim...
PC - Sobe um bocadinho e o senhor vira à esquerda.
AA - Certo.
PC - Está a virar?
AA - Sim, sim...
PC - E depois vira à direita.
AA - Certo.
PC - E agora vem sempre por aí abaixo...
AA - Hum... Espere aí, então. Espere aí... Tem alguma, alguma tabuleta em especial, não?
PC - Não. Vem, vem sempre por..., em frente, por aí abaixo.
AA - ... Pela nossa direita, não é?
PC - Sim, o senhor vire pela direita, portanto, tem uma tabuleta que diz Porto, não sei quê, para esquerda...
AA - Hum, hum...
PC - ... e o senhor vira à direita, vem à..., continua em frente pela direita sempre a descer.
AA - Certo.
PC - Pronto, agora vai descendo...
AA - ...Espere aí. É que eu já tinha caminhado um bocado... Pronto, eu estou aqui, cheguei nesta rotunda.
PC - Qual rotunda?
AA - Eu... Tem a... que diz assim: Porto...
PC - Porto. Pronto. O senhor aí vem para baixo. Em vez de ir para o Porto, vem para baixo.
AA - Pronto, venho para baixo. Tem... E depois não tem uma rotunda, que até tem umas flores no meio?
PC - E o senhor vem sempre em frente para baixo...
AA - Venho sempre em frente. Continuo sempre em frente.
PC - Sempre em frente. Dá meia volta à rotunda e vem por aí abaixo.
AA - Certo. Vou à zona da Madalena, não é?
(ndr: as indicações continuam por largos minutos, apesar de Pinto da Costa ter dito em tribunal que desconhecia que iria ser alvo de uma visita)...
AA - Exactamente. À minha esquerda é o “Clube da Madalena”.
PC - E o senhor vem, vem aí e vai chegar à frente.
AA - É sentido proibido, tenho que virar à direita.
PC - À direita. É uma rua larga, estão aí muitos gajos aí parados e encostados,...
AA - É, parece que é “para a viola”...
PC - É “para a viola” e o senhor vem em frente.
AA - Exactamente.
PC - E nessa rua larga, vira à esquerda.
AA - Aqui já estou eu.
PC - Vira à esquerda.
AA - Já estou eu na, na esquerda
PC - E no fundo, vira à esquerda.
AA - Outra vez na esquerda.
PC - Outra vez na esquerda. E depois vai em frente...
AA - Já vou.
PC - ... e no fundo dessa rua tem uma (imperceptível) que diz praia...
AA - Exactamente.
PC - ... e o senhor vira à esquerda.
AA - Viro à esquerda. Aqui vou eu.
PC - E cem metros à frente..., o senhor vira à direita e é nessa rua, na casa que está iluminada.
AA - Ok. Isso já, já, já estou! Já estou a ver!
PC - Já está...

cambada de corruptos

Dois dias antes do jogo, o empresário de jogadores, António Araújo conduz até casa o árbitro da partida, Augusto Duarte. O presidente do FC Porto dá a rota certa até sua casa, na Madalena, em Vila Nova de Gaia.

Conversa entre António Araújo e Pinto da Costa:

Pinto da Costa (PC): Estou

António Aráujo (AA): Estou Presidente?

PC: Como está?

AA: Eu virei aqui, eu virei aqui, portanto, para a, para a zona da Madalena, não é?

PC: Sim

AA:E agora, eu viro para depois aonde? Que eu vim só no dia do seu aniversário...

PC: O senhor virou onde diz Madalena, não é? E agora vem frente e... sobe um bocadinho não é?

AA: Sim...

PC: Sobe um bocadinho e o senhor vira à esquerda.

AA: Certo...

PC: Tá a virar?

AA: Sim sim

PC: E depois vira à direita.

AA: Certo.

PC: E agora vem sempre por aí abaixo...

AA: Hum... espere aí então, espera aí. Tem alguma, alguma tabuleta em especial, não?

PC: Não, vem sempre por... em frente por aí abaixo

AA: Pela nossa direita não é?

PC: Sim, o senhor vire pela direita, portanto, tem uma tabuleta que diz Porto, não sei quê para a esquerda... e o senhor vira à direita, vem à ... continua em frente pela direita sempre a descer. Pronto... Agora vai descendo

AA: Espere aí. É que eu tive que... já tinha caminhado um bocado...pronto, eu estou aqui, cheguei nesta rotunda.

PC: Qual rotunda?

AA: Eu...tem a... que diz assim: Porto.

PC: Pronto, o senhor aí vem para baixo. Em vez de ir para o Porto, vem para baixo.

AA: Pronto, venho para baixo. Tem... e depois não tem uma rotunda, que até tem umas flores no meio?

PC: E o senhor vem sempre em frente para baixo... dá meia volta à rotunda e vem aí abaixo.

AA: Certo. Pronto, já lá estou. Assim já vou melhor. Depois tem as escolas do lado direito...

PC: Tem uma escola do lado direito. Vem sempre em frente.

AA: Certo

PC: Tá a passar por uns correios, não?

AA: Depois, agora, agora tem aqui uma tabuleta que diz: Coimbrões, Rego d'Água.

PC: Não, não. Sempre em frente.

AA: Sempre em frente. Ok. Ora aqui vou eu. Já estive aqui carago.

PC: E está a passar por onde?

AA: Ora bem, agora tem... agora tem aqui uma tabuleta que diz: Avim??

PC: Não não. Isso não sei o que é.

AA: Ai não?

PC: Isso não sei onde é que o senhor anda.

AA: Ó diabo! Então tenho aqui uma tabuleta que diz: à esquerda Avim. Continuo sempre para baixo?

PC: Vá. Continue sempre para baixo.

AA: Pronto, eu continuo sempre para baixo. E vou passar...

PC: Está a passar o que?

AA: Depois tem aqui...Apeadeiro à direita

PC: Não. Sempre para baixo.

AA: E à frente tem uma pontezeca...

PC: Exacto. Sempre para baixo.

AA: Exatamente. Eu se vir aí alguma coisa que...

PC: E depois, à direita vai ver uma casa grande, que é...

AA: Exatamente. Um casa já antiga

PC: Assim muito grande...

AA: Certo

PC: Sempre em frente

AA: Sempre em frente...eheheh. E agora aqui em baixo tem costa, estaleiro de Madalena, Orfeão...

PC: Sempre em frente

AA: Sempre em frente...Farmácia...

PC: Sempre em frente

AA: Junta de freguesia da Madalena

PC: Junta...isso eu não estou a ver onde é...

AA: Depois tem clínica dentária...

PC: Sempre em frente...

AA: Agora direita ou esquerda?

PC: Sempre em frente...

AA: Agora... à direita ou à esquerda?

PC: Sempre em frente...

AA: Ah, mas aqui tem uma, tem a funerária e depois tem a orbitur..

PC: O senhor na funerária, vira a esquerda

AA: À esquerda, Orbitur...

PC: Sempre em frente, para a esquerda. Passa à frente da funerária

AA: Exatamente, elá vou eu

PC: ...E vem, e vem sempre em frente

AA: E lá vou eu... sempre por aqui abaixo...agora tenhou outra, outra..., mais um jardinzeco à minha esquerda. É aqui?

PC: Jardinzeco à sua esquerda?

AA: Sim, tipo um triângulo.

PC: Não, o senhor vem sempre em frente.

AA: Sempre em frente, aqui vou eu. Agora temos aqui... Para a igreja ou para a praia?

PC: Hum... ora, deixe-me ver onde é que está?

AA: Campismo, farmácia...

PC: O senhor passou, passou...

AA: Ou viro para o , para o ideal clube da Madalena...

PC: Vira para aí, que é para a esquerda, não é?

AA: Exatamente

PC: E vai passar nuns columbófilos...

AA: Ora aqui vou... agora a estrada estreita aqui um pouquinho...

PC: Exacto, e vai passar na sociedade columbófila e no clube da Madalena não sei qué...

AA: Pronto, tem aqui um cruzeiro...

PC: Exatamente, sempre em frente é estreitinho aí...

AA: Exatamente

PC: Pronto, e o senhor depois...

AA: Sociedade Columbófila da Madalena, Já estou a passar...

PC: Passa por ela e depois no fundo vira à direita, que tem aí o clube da Madalena

AA: Exatamente, à minha esquerda é o clube da Madalena.

PC: E o senhor vem aí e vai chegar à frente

AA: É sentido proíbido, tenho que virar à direita

PC: À direita, é uma rua larga, estão aí muitos gajos aí parados e encostados...

AA: É, parece que é "Para a viola"...

PC: É É..."Para a viola" e o senhor vem em frente.

AA: Exatamente

PC: E nessa rua larga vira à esquerda.

AA: Aqui já estou eu

PC: Vire à esquerda

AA: Já estou eu na, na esquerda

PC: E no fundo, vira à esquerda.

AA: Outra vez à esquerda

PC: Outra vez à esquerda e depois vai em frente.

AA: Já vou

PC: E no fundo dessa rua tem uma seta que diz praia...

AA: Exatamente

PC: ... e o senhor vira à esquerda

AA: Viro à esquerda. Aqui vou eu

PC: E 100 metros à frente o senhor vira à direita e é nessa rua, na casa que está iluminada

AA: Ok, isso já, já estou! Já estou a ver
.

Sr. Presidente

vá até ao fim do mundo, mas saque-os da toca escura de lodo onde chafurdam e traga-os à justiça.

Carroça à frente dos bois !!!!

É o que faz colocar a carroça à frente dos bois !!!!
Felizmente para o FCP não teve grandes consequências, em relação ao Boavista, foi catastrófico !!!!

Lamento que muita gente não soubesse na devida altura, tirar a camisola do clube e ajuizar de acordo com justiça e bom senso !
É pena que muita gente não saiba diferenciar a "Justiça" de um "Linchamento", pois foi exactamente um linchamento que fizeram ao FCP e ao Boavista que foram julgados e condenados em praça pública sem qualquer prova.
Derrota a todos os níveis para esses Srs. que se julgavam donos de toda a verdade.

Passem bem.

Eu ia escrever

Bastou ler.

Obrigado.

Obrigado

.

Largos dias tem 100 anos!

Se mais uma vitória azul e branca na verdadeira justiça é saborosa mas não muda muita coisa, já o boavista pode ter aqui uma séria possibilidade de mudar a estória e fazer história no futebol português.

O regresso à 1ª divisão e uma milionária indeminização é o minimo que se pede.

Para os paladinos...

..da verdade desportiva,se este tribunal tb não servir,podemos sempre ir para outros.

Cambada de invejosos ressabiados!!!

Esta polémica fas-me lembrar esta anedota

Um Turco, Um Judeu e um Preto

- Um turco pediu dinheiro emprestado a um judeu.
Acontece que o turco gabava-se de nunca ter pago uma dívida sequer.
Por outro lado, o judeu nunca havia perdido nenhum centavo em negócio
nenhum.
- Passa o tempo e o turco enrolando e fugindo do judeu e este na captura do
turco.
Até que um dia eles cruzaram-se no bar de um preto e começaram uma
discussão.
O turco encurralado não encontrou outra saída, pegou num revólver
encostou à própria cabeça e disse:
- Eu posso ir para o inferno, mas não pago esta dívida!
E puxou o gatilho, caindo morto no chão.
- O Judeu não quis deixar por menos, pegou o revólver do chão, encostou em
sua própria cabeça e disse:
- Eu vou receber esta dívida, nem que seja no inferno!
E puxou o gatilho, caindo morto no chão.
- O preto, que observava tudo, pegou o revólver do chão, encostou-o à sua
cabeça e disse:
Ah ah ah !...., isto vai dar merda ! Tenho de ir ver !

Disseste preto?

Tás fuddddd*****.

Racista, branco, copo de leite... LOL