Afinal onde está a vitalidade do Braga? | Relvado

Afinal onde está a vitalidade do Braga?

 

«O prazo para apresentação de listas às eleições do Sporting de Braga terminou hoje, sem que tivesse surgido qualquer candidato. Apesar disso, a data das eleições mantém-se para 12 de Outubro». Esta é uma situação que se vê em vários clubes portugueses... ninguém lhes quer pegar, porque são um poço de dívidas e dão pouca visibilidade. Mas o Braga? Trata-se de um dos melhores clubes portugueses, sem grandes problemas financeiros, que apresenta resultados, e no entanto, ninguém se candidata à sua presidência. No mínimo, é estranho. Clubites à parte, o que os relvas têm a dizer desta situação?

I Liga:

Comentários [56]

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

lost.soul.22@gmail.com

A vitalidade está nos poucos sócios presentes...

...na última Ass. Geral realizada o mês passado...

quando o v.guimaraes esta mal,o braga esta bem

quando o braga esta mal o v.guimaraes esta bem looooool isto ate parece combinado a epoca passada quando o v.guimaraes desceu muitos bracarenses gozavam com eles,agora é o braga que esta mal e ser gozado pelos vimaranenses. futebol tem piada.

Re: quando o v.guimaraes esta mal,o braga esta bem

Para tua informação este artigo não tem a intenção de ofender o Braga. A intenção deste artigo é perguntar aos bracarenses como é possível um clube como o Braga não ter interessados para a sua presidência. É um fenómeno estranho que eu não compreendo. Se queres ver neste artigo uma caça às bruxas, é problema teu.

Re: Re: quando o v.guimaraes esta mal,o braga esta bem

opa eu so disse verdade quem gosta gosta quem nao gosta nao gosta.

Tenho a solução para todos os problemas do SCB

-É treinador -Português -Desempregado -Dizem que é especial -Treinou clubes azuis -Está em Portugal Ora o Braga precisa de um treinador, de preferencia português e se for desempregado melhor ainda. O braga tem o equipamento alternativo azul porque esse senhor está habituado a treinar de azul e precisa dele no imediato, por isso é bom que ele esteja em Portugal. Venha daí o JOSÉ COUCEIRO :P ... o que é que tavam à espera... sendo ele o Mourinho II também ele é especial. Cumps

Re: Afinal onde está a vitalidade do Braga?

Não poderá ser o efeito contrário? A própria estabilidade do Braga não constituír neste momento um desafio aliciante e motivador, pela percepção de que os poroblemas financeiros e administrativos estão controlados e que desportivamente não é fácil fazer muito melhor?

Re: Re: Afinal onde está a vitalidade do Braga?

Não me parece. Se tudo estivesse bem no Braga, apareceriam nem que fossem apenas os oportunistas para sacarem dinheiro.

Braga, Leiria, Faro, Chaves, Barcelos...

Deixemo-nos de tretas. O problema do Braga é um problema mais vasto do futebol português. Em toda a Europa a vitalidade do futebol depende do brio das regiões. Ser de Liverpool é ser do Liverpool, ser de Manchester é ser do Manchester. Quem vai comer umas tapas a um bar de Barcelona e o empregado lhe diz que é do Real Madrid, nem é preciso perguntar de onde ele é: ou de Madrid, ou andaluz ou galego. Catalão, quase pela certa, é que não é. O próprio Espanhol de Barcelona foi uma criação franquista, apoiada na pequena comunidade de madrilenos "exilados" em Barcelona, para minar o espírito catalão. O mesmo se passa em Marselha em relação ao Paris Saint-Germain e em Paris em relação ao Marselha. Nunca vi um marselhês com a camisola do Paris Saint Germain que não tivesse sotaque parisiense. Apesar de ser reconhecidamente o clube mais forte na Alemanha, é inimaginável que o Bayern vá jogar a Bremen, por exemplo, e se sinta em casa. Houve um problema na Europa com as longas ditaduras que formataram a maneira de pensar e agir dos seus povos. Quem conhece a realidade dos países saídos de longas ditaduras no século XX, como é o caso de Portugal, da Grécia e da Turquia, sabe que há atavismos que não passam com uma nem com duas gerações. O nacionalismo típico das ditaduras leva as populações a descaracterizarem-se em nome dum nacionalismo bacoco e de um espírito centralista em que o importante é ter uma montra, uma capital pretensamente "europeia" nem que para tal o resto do país coma a parte da sardinha que era para o gato. Quem vai a Braga ver um jogo Braga-Benfica e se interessa em ver para além do futebol, assiste a um fenómeno impressionante. Milhares de minhotos das aldeias dos arredores de Braga, descem à cidade de boné e cachecol do Benfica, eufóricos para apoiar o clube de fora contra o clube da casa. É uma das cenas mais caricatas a que se pode assistir. No Algarve, então nem falemos. Quando se fala na falta que faz ao futebol português um clube do Algarve, só mesmo para dar utilidade a um estádio que nunca deveria ter sido construído. O algarvio típico, quando sai de casa para ver futebol é para deitar abaixo o clube da terra e apoiar o clube de fora, ou então para atacar um rival de seu clube de fora, nunca para apoiar o seu clube. Por essa razão, quando me vêm falar de Chaves, Barcelos, Faro, Évora e outras cidades onde ou não há futebol, a única coisa que eu não entendo é como ainda há futebol em Braga e Leiria. Ou melhor, até entendo. Há futebol em Braga e Leiria porque vai havendo um artolas qualquer que vai metendo o papel que lhe sobra no clube da terra que, até nem sequer é o seu clube. Quando acha que já ganhou renome suficiente, fecha a tasca, como fez o emigrante americano do Chaves, e deixa cair o clube por aí abaixo. PS - Para os que são um pouco mais perspicazes na observação do "fenómeno desportivo", como diria o noko, reparem num pequeno pormaior: Durante anos, e eu sou desse tempo, em Guimarães era raro o jogo Guimarães-Porto que não acabasse à pancada,, ou melhor, à pedrada entre os adeptos dos dois clubes. Salvo uma pequena minoria de sócios, os adeptos do Guimarães eram, antes de mais, benfiquistas. Quem for ler os jornais da altura, dificilmente encontrará uma crónica ou artigo de opinião a condenar a atitude dos adeptos vimaranenses. Só que se passou em Guimarães um fenómeno único. A nova geração começou a ter brio na sua cidade e a ser do Vitória. Quem ainda não foi a Guimarães ver um jogo e gosta do futebol paixão, aconselho-o a não perder a oportunidade. É tão lindo ver um jogo do Vitória, seja contra quem quer que seja, como é deprimente assistir aum Braga-Benfica. Só que, para a imprensa lisboeta, o mal que é preciso extirpar é o mal vimaranense. A subserviência dos adeptos do Braga é, para eles, quase um valor. Basta ler os jornais desportivos, e não só, da capital, sempre tão preocupados em promover a competitividade do futebol nacional, para ver a imagem que transmitem das gentes de Guimarães. È que isto, aos Cartaxanas, Pinhões, Delgados e afins dói que se farta. Já viram se o exemplo pega, e um dia, num futuro mais ou menos próximo, os clubes da capital vão jogar a uma cidade de província, que nem de hospital precisa, e são hostilizados. Haja respeito, que o respeitinho é muito bonito!

Estavas inspirado !

Comentário excelente!

Re: Braga, Leiria, Faro, Chaves, Barcelos...

"Durante anos, e eu sou desse tempo, em Guimarães era raro o jogo Guimarães-Porto que não acabasse à pancada,, ou melhor, à pedrada entre os adeptos dos dois clubes. Salvo uma pequena minoria de sócios, os adeptos do Guimarães eram, antes de mais, benfiquistas" Não me digas que aqueles gajos que andaram à pancada com os portistas em 1995, em pleno relvado de Guimarães, eram todos benfiquistas que passaram a ser do Vitória. A ser assim, porque é que não há nenhuma casa do Benfica em Guimarães?

Re: Re: Braga, Leiria, Faro, Chaves, Barcelos...

Quer-me parecer que os anos de que ele fala são mais dos anos 70/80, bem longe de meados dos 90!!

Bom Senso em Contra Senso...

Numa altura em que vivemos num mundo cada vez mais global, em que facilmente encontramos adeptos do Real Madrid, do Barcelona ou do Man Utd, na China ou no Burkina Faso, vem esta treta provinciana do "se és minhoto tens de ser do Braga ou do Guimarães e se és Algarvio tens de ser do Portimonense ou do Olhanense". Obviamente respeito a tua opinião, mas parece-me um perfeito disparate isso que dizes. Mas então se eu morasse no Porto e não me identificasse com o clube representativo da região, teria de ser desse mesmo clube a toda a força? Outra coisa que não concordo é o facto de comparares aí Portugal com Espanha, Inglaterra ou mesmo Alemanha, porque simplesmente te esqueces da força e da dimensão que esses países têm em relação ao nosso. Facilmente vês um Bremen a lutar pelo título alemão e com lugar na Champions, mas não vês facilmente um clube como o Braga ou o Leiria a fazê-lo e não me venhas dizer que é por causa das pessoas das aldeias não os apoiarem. Se fores ao Brasil, vais ver pessoas de todos os estados a torcer por clubes como o Flamengo, Vasco ou Corinthians; tal como se fores a Itália também irás ver pessoas de todas as regiões a torcer por clubes como o Milan, o Inter ou a Juventus. As pessoas torcem pelos clubes com os quais se identificam e não pelos clubes que têm à porta de casa. Isso é a situação mais fácil! É o minimalismo puro! Seres do Norte e do Benfica ou do Sporting ou seres do Sul e seres do FC Porto ou do Boavista só demonstra o quanto os portugueses têm uma visão nacional e não bairrista e provinciana. P.S. Acho que nem vale a pena referir as "tretas" do costume em relação ao Estado Novo, porque é óbvio onde elas pretendem chegar. Cumps

Re: Bom Senso em Contra Senso...

Vou só alterar um pouco a tua frase e deixar que sigas com a tua lógica: "Numa altura em que vivemos num mundo cada vez mais global, em que facilmente encontramos adeptos da Itália, da França ou da Espanha na China ou em Portugal, vem esta treta provinciana do "se és português tens de ser de Portugal e se és espanhol tens de ser da Espanha". Ainda achas provinciano? Ainda achas que os valores dependem do tamanho dos países. E como explicas que o Anderlecht ou o Ajax, clubes com longo historial de países mais pequenos que Portugal, joguem sempre em estádios com um público adverso. E como explicas que num país imenso como a Turquia, sejam todos adeptos dos clubes da capital efectiva (que é Istambul já que Ancara só o é por razões semelhantes às de Brasília). E que o mesmo se passe na Grécia, onde só há grandes clubes na capital.

Re: Re: Bom Senso em Contra Senso...

Grande resposta!!! O problema reside em 2 factores: - Um: a comunicação social inunda a sociedade com informação do benfica, porto e sporting, e escrevem-se rios de tinta sobre se um lance é penalty ou não; mas se for um lance duvidoso que envolva algum dos outros clubes, merece apenas uma linha nos jornais, e por vezes nem a repetição dos lances dão. - Dois: o povo português apoia vencedores!

Re: Re: Bom Senso em Contra Senso...

Acho que marquei bem a minha posição no meu comentário, mas, ainda assim, deixa-me dizer-te que não se pode confundir países com regiões. Não me parece lógico que um português torça pela Selecção de Espanha ou vice-versa, mas, já não me aperece ilógico que um nortenho seja adepto do Belenenses. A menos que tenhamos ideiais independentistas e queiramos criar uma Selecção para o Norte e outra para o Sul. Ainda achas que os valores dependem do tamanho dos países. Não, mas acho que dependem em muito da força económica desses países. A Holanda e a Bélgica, por exemplo, são países pouco dependentes das suas capitais, já que são estruturalmente fortes economicamente. Pelo contrário, a Grécia e a Turquia - não que seja um país pobre, mas pelas razões políticas e religiosas que se lhe reconhecem - têm os seus mais fortes clubes nas capitais, pela simples razão de que não estão ainda estruturados para que outros clubes de outras regiões possam lutar pelo título. O mesmo se passa em Portugal. Cumps

Re: Re: Re: Bom Senso em Contra Senso...

Mas foste tu que falaste na globalização.

Re: Re: Re: Re: Bom Senso em Contra Senso...

A Globalização não tem necessariamente a ver com um português começar a torcer por outra qualquer Selecção. Já o facto de uma pessoa ser de um clube de outra região ou até de outro país, já me parece mais normal. Cumps

Re: Re: Re: Re: Re: Bom Senso em Contra Senso...

Também concordo contigo em que uma selecção é bastante diferente de um clube, em muitas coisas, mas aqui particularmente no sentido de apoio popular. Mas penso que o que se critica aqui é o facto de que 90% da população portuguesa é apoiante de somente 3 clubes. É claro que a pessoa "A" se pode identificar mais com este clube e a pessoa "B" se pode identificar mais com aquele. Não é normal é 90% da população da população se restringir, como disse antes, a 3 clubes. Além do mais, acho que toda a gente percebe perfeitamente qual é o "factor de identificação": ganham mais! Não tem absolutamente nada a ver com gostar das cores, gostar do simbolo, gostar dos jogadores entre outras razões. Está pura e simplesmente relacionado com o facto desses clubes ganharem mais que os outros, e, assim como quanto mais ganham mais adeptos ganham (salvo alguns fenómenos muito particulares), cria-se um fosso imenso entre estes 3 clubes e o resto. Neste momento esse fosso é tal que me parece que existem mais semelhanças, principalmente económicas, entre um clube qualquer da Bwin (exceptuando os 3 grandes) e um clube qualquer da 2ª divisão B do que um qualquer clube da Bwin e um dos 3 grandes. Não consigo encontrar uma explicação razoável para este fenómeno. Não percebo sequer porque é que em Portugal toda a gente tem que apoiar o que ganha, enquanto mesmo aqui ao lado na Espanha isso não acontece. Nem isso existe em mais nenhum país da Europa de forma tão acentuada. Mas concerteza que eles encontram um factor de identificação mais forte do que o ganhar no momento...

Re: Re: Re: Re: Re: Re: Bom Senso em Contra Senso...

Diferente em quê? Até já se naturalizam jogadores, como os clubes contratam jogadores.

Re: Re: Re: Re: Re: Re: Re: Bom Senso em Contra Se

Muito diferente. Um país, salvo raras excepções, tem uma cultura e história muito mais característica e profunda que o diferencia dos outros em vários aspectos. Uma região nem tanto... É claro que que também existem excepções como em tudo. Essa história dos jogadores naturalizados não é o mesmo que contratação de jogadores por parte dos clubes e sabes disso :P Sem bem que daqui a alguns anos não me admirava nada que se confundissem.

Re: Braga, Leiria, Faro, Chaves, Barcelos...

Apesar das virtudes do teu comentário que fizeram empolgar vários relvas, não concordo com algumas coisas em particular com o que dissestes sobre Braga. Não sei de que cidade és nem quantas vezes visitastes Braga. Se o fizesses com regularidade, incluindo ver jogos frente aos grandes e em especial frente ao Benfica decerto denotarias uma evidente mudança do paradigma clubistico nesta cidade. Tal como disse o presidente do Braga há um ou dois meses a propósito dos adeptos do seu clube, há 10 anos atrás num Braga - Benfica 2/3 eram "lampiões e 1/3 bracarense, e hoje acontece precisamente o contrário. Os valores poderão não se ter invertido totalmente mas é óbvio como se pode constatar no ultimo scb-slb que em Braga há cada vez mais adeptos do... Braga. Comparar Braga com Leiria é simplesmente inacreditável e nem vale a pena comentar. cumps

Mais um moderação negativa para o reportório...

É mt bonito continuarem a moderar-me negativamente por mais banal que seja o meu comentário, mas pelo menos podiam explicar o porquê de tal acção. Qual foi a mentira que eu disse? Quem é que eu insultei? Incomodei alguém com a minha opinião? cumps

Re: Mais um moderação negativa para o reportório...

Nunca ouviste dizer que quando não há argumento para contrapôr se responde com uma moderação? Pois bem, no relvado.com é assim. Deixa lá, o teu comentário é bom!

Re: Braga, Leiria, Faro, Chaves, Barcelos...

Tudo muito bonito e até concordo com bastantes coisas de que tu escreves! Agora explica-me, como é que o distrito de Braga foi o que teve a maior percentagem de votos no não no referendo para a regionalização? É que me faz impressão, que tenha sido feito uma mapa de regiões administrativas em que foi recusado por uma parte significativa da população nortenha! E mais impressão me faz, já que sou de Lisboa e fui dos que não fui pra praia e fui votar no Sim! E como comentas a postura de muitos políticos assumidamente regionalistas e da igreja em todo este processo falhado de uma regionalização necessária? Saudações Leoninas

Regionalização

Antes de mais parabéns pelo post, bastante lúcido e muito atento à realidade, embora me pareça que a situação de Braga tem registado uma efectiva evolução nos últimos anos, o que faz com que alguns chavões comecem a colar mal com a realidade. Quanto ao tema da regionalização e do referendo, não concordo com a tua análise, embora seja difícil num post como este, abordar o tema. Eu sou um acérrimo defensor da autonomia e um inimigo do centralismo. No entanto, o que estava em causa no referendo fez-me votar NÂO. Apenas porque entendi que o que estava em avaliação era um certo modelo de descentralização, para criar uma nova classe política, a dos barões regionais e das mini capitais de Portugal. Isso não me interessa. O que me interessa é aproximar o poder dos cidadãos, olhá-los como responsáveis e não como bonecos.

Re: Regionalização

Exactamente. E antes a regionalização, convém que haja alguma desconcetração de serviço, senão a primeira de pouco servirá.

Re: Re: Braga, Leiria, Faro, Chaves, Barcelos...

Ó Skin, queres mesmo a resposta: Então aí vai: Os resultados do referendo sobre a regionalização não dão qualquer informação sobre o que as pessoas pensam da regionalização. Quando muito só deu para ver qual é o grau de fidelidade do eleitorado comunista. Os referendos servem para, a nível local, a população decidir se o adro da igreja deve ser empedrado ou levar alcatrão e para pouco mais. Os referendos a nível nacional só foram possíveis porque os chefes dos dois maiores partidos eram o Guterres e o Marcelo, mai-la sua falta de credibilidade. Fizeram dois referendos como se dá um mergulho no Tejo. Iam era comprometendo a legalização do aborto (já emendaram a mão). Decisões sobre questões essenciais, não vão a referendo. É para isso que se elegem os políticos: para evitar poucas vergonhas, como é o caso do cantão de Appenzell na Suiça em que as mulheres não têm direito de voto por decisão repetidamente referendada. Se fizesses um referendo sobre a adesão à União Europeia nos tempos áureos do cavaquismo, a percentagem favorável seria esmagadora. Hoje ninguém se atreve a fazê-lo por que há o risco de dar para o torto. Só que a opinião que os portugueses tinham sobre o Tratado da CE não é diferente da que têm sobre o Tratado Reformador, ou seja, nenhuma, porque não entendem patavina nem de um nem de outro. Estão é nas mãos de um qualquer demagogo como o Portas e o Portugal comparado a um bacalhau cortado às postas. Se lhes perguntarem o que pensam do Tratado vão responder dizendo o que pensam do Sócrates e do actual governo. E nem imaginas a quantidade de professores, e falo-te de pessoas normalmente mais avisadas, que descobriu recentemente que "é contra a Europa". Já agora uma pequena correcção: A região que teve a mais alta percentagem contra a regionalização não foi Braga, foi a Beira Interior (80 e tal por cento, salvo erro). Ora a Beira Interior foi o exemplo apresentado durante semanas pelas televisões generalistas do enorme atraso do Interior em relação ao litoral. Era na Beira Interior que estavam concentrados os casos mais alarmantes de aldeias sem estradas, electricidade e condições mínimas. Se não percebeste porque é que o Porto e Lisboa (cidades) tiveram altas percentagens a favor da regionalização enquanto o Interior votou contra, também nunca vais perceber porque é que o Le Pen, em França, é mais forte nas zonas pobres operárias, etc, etc. e muito menos que todas as revoluções em favor dos mais pobres e desgraçados sempre foram feitas à custa do coiro de pessoas nascidas em berço burguês que combateram as injustiças. Dos cossacos da Rússia czarista às velhinhas da Beira Alta vestidas de preto, quem tinha razão era o czar e o Salazar. A estudantada é que nunca quis trabalhar.

Re: Braga, Leiria, Faro, Chaves, Barcelos...

grande Bom Senso! 100% O centralismo existe e é alimentado por esta meia dúzia de filhos da puta que manipula a imprensa. E não só. Mas estes aqui ocupam-se de fazer a lavagem ao cérebro das pessoas, ou de o tentar fazer. era de os retalhar a todos com um machado

Muito bom!

Adorei ler o teu comentário. Tens algum blog onde escrevas regularmente? Há no entanto uma pequena nota que tenho que deixar: de todos os estádios que foram construídos para o Euro, o estádio do Algarve é dos que mais lucro dá (exceptuando os dos 3 grandes), devido a vários eventos desportivos que por lá passam, levando muitos turistas a desembolsar dinheiro (bilhetes com preços exorbitantes também é comum) e a manterem o estádio activo. Por exemplo, por lá passaram já alguns bons concertos, assim como o próprio Rally de Portugal teve lá uma etapa interessante. Cmptos